A sua candidatura de emprego foi rejeitada? Dicas para melhorar

Não é fácil lidar com qualquer tipo de rejeição, seja ela qual for, ainda mais quando se trata de uma candidatura a uma vaga de emprego na qual depositou expetativas de que poderia vir a ser o candidato selecionado. No entanto, é preciso ter em mente que toda as pessoas são rejeitadas profissionalmente algumas vezes na vida e que isso não quer dizer que seja um mau candidato.

A sua candidatura de emprego, muito provavelmente, foi rejeitada pura e simplesmente porque existia um candidato mais capacitado ou com um perfil mais adequado para a vaga. Muitos vezes a diferença entre si e o candidato selecionado poderá mesmo ter sido um pequeno detalhe, sem grande importância.

Pode não parecer, mas a rejeição de uma candidatura de emprego tem um lado positivo, em parte por obrigá-lo a perceber o que falhou e, em última instância, a melhorar. A verdade é que é sempre desconfortável ser rejeitado num processo recrutamento, sobretudo quando acontece candidatura após candidatura, todavia é certamente neste momento (e não nos bons) que se torna melhor profissional.

Neste artigo abordamos as causas que poderão estar por detrás da rejeição de uma candidatura de emprego, partilhando algumas dicas que o poderão ajudar a melhorar.

Causas da rejeição de candidatura de emprego

Uma das coisas conclusões mais comuns (precipitadas e erradas) quando se é rejeitado em alguma(s) candidaturas de emprego é achar, mesmo que inconscientemente, que esse revés o define como profissional, ou seja, que pelo facto de ter sido rejeitado, não é suficientemente bom naquilo que faz.

1. Os pequenos detalhes

Nesta matéria é importante não se julgar tanto, não atribuindo à rejeição da candidatura de emprego uma importância que esta não tem. Por exemplo, o recrutador pode ter escolhido outro candidato pelo simples facto de este residir mais perto da empresa, por ter trabalhado anteriormente na empresa, por ter sido recomendado por outro colaborar da empresa ou por ter mais 1 ou 2 anos de experiência que os restantes candidatos ao emprego.

2. O candidato selecionado era mais adequado à vaga

Obviamente que há sempre a possibilidade do outro candidato ser mais capacitado para o cargo. E, este “mais capacitado” pode, muitas vezes, ser um tanto ao quanto relativo, como a fluência de uma língua estrangeira menos comum.

3. Não cumpre com os requisitos do anúncio de emprego

Regra geral, todos os anúncios de emprego indicam os “requisitos mínimos” de um potencial candidato. Sejam estes quanto à sua formação profissional (por exemplo, licenciado em Direito, mestre em Engenharia Civil, Doutorado em Biologia, etc.), quanto ao domínio de língua (fluência em inglês, alemão e russo) ou quanto a softskilss (capacidade de comunicação, entre outros.).

Se a sua candidatura foi rejeitada e não foi convocado para a entrevista de emprego, muito provavelmente o motivo dessa rejeição prende-se com o facto de não reunir algum dos requisitos tidos como essenciais.

4. A entrevista de emprego correu-lhe mal

Outra possível causa para a sua candidatura ter sido rejeitada prende-se com a entrevista de emprego. Este momento é particularmente importante porque permite ao candidato ao emprego mostrar um pouco para além do que está no currículo. Imagine que estava num dia não e a entrevista não lhe correu propriamente bem. Porventura um outro candidato, até com um currículo inferior ao seu, estaria mais inspirado nesse dia e conseguiu estabelecer maior proximidade com o entrevistador. Isto acontece inúmeras vezes.

5. O seu currículo não é adequado

Embora o grafismo, o formato ou a extensão de um currículo devessem ser fatores completamente secundários a verdade é que, atualmente, são cada vez mais importantes. Nesta situações Coloque-se na pele do recrutador, já imaginou para quantos currículos terá de olhar ao longo de uma semana de trabalho? Aí está. A generalidade dos recrutadores tem de colocar determinadas métricas para proceder à avaliação dos currículos recebidos, sob pena de não conseguir fazer o seu trabalho em tempo útil.

Regra geral, a maior parte dos profissionais de recursos humanos tem apenas alguns segundos para, numa fase inicial, apreciar os currículos dos candidatos à vaga de emprego. Queremos com isto alertar para a importância do seu currículo permite ao recrutador que em poucos segundos retenha a informação necessária para perceber se é um potencial candidato à entrevista de emprego ou não.

Imaginemos que em termos de formação profissional até é o candidato mais qualificado para a vaga em questão, todavia o seu currículo tem 4 páginas e as referências à sua experiência profissional estão precisamente na última. Caso não seja chamado para a entrevista de emprego, isso poderá muito bem significar que o recrutador não conseguiu captar a informação necessária. Nestas situações só precisar de melhorar o seu currículo.

Desta forma, parece-nos importante que o currículo tenha determinadas características sob pena de ninguém o ler com atenção. Por exemplo, regra geral, atualmente os currículos devem ser:

  1. pouco extensos (preferencialmente apenas uma página);
  2. personalizados em função da vaga em concreto (evitar o currículo “chapa sete”);
  3. graficamente apelativos (esqueça o currículo europass).

Haverá outros motivos que podem estar na base de uma rejeição de candidatura a um emprego, todavia o importante é perceber que não é pela sua candidatura ter sido rejeitada que isso significa que seja um mau profissional. Procure tirar partido desta situação menos positiva e tente perceber o que terá falhado.

Lidar com a rejeição da candidatura a emprego

O primeiro passo é evitar emoções negativas quando algo assim acontecer – e vai acontecer. Não haja como se o entrevistador precisasse de se justificar ou até mesmo pedir-lhe. O melhor é aceitar e encarar a rejeição como parte do processo. Assumir uma postura negativa ou de confronto não lhe vai trazer nada de bom, aliás, muito pelo contrário. O mundo de trabalho é pequeno, pelo que nunca sabe se, no futuro, terá uma nova oportunidade.

O recomendável é que perante uma rejeição mostre compreensão pela decisão, agradecendo a oportunidade que lhe foi dada, não obstante o resultado não ter sido o que pretendia. Poderá até demonstrar disponibilidade para ser contactado no futuro nesse âmbito.

Num segundo momento é necessário fazer uma introspeção de forma a perceber o que poderá ter corrido mal. Porventura algum dos motivos previamente abordados? Correu-lhe mal a entrevista de emprego? Não conseguiu estabelecer proximidade com o entrevistador Não reúne os requisitos necessários? O seu currículo é demasiado extenso, desadequado ou graficamente datado? O candidato selecionado tinha mais experiência? Perceber o que está por detrás do insucesso vai permite-lhe que numa próxima vez as coisas possam correr melhor?

Em algumas situações, e desde que colocado adequadamente, poderá até ser útil solicitar feedback ao recrutador, no sentido de perceber o que poderá ter corrido melhor. Este, melhor que ninguém, saberá qual o motivo para ter rejeitado a sua candidatura.

Outras coisas que poderá fazer

Após ter sido rejeitada a sua candidatura de emprego, poderá procurar manter algum contacto com os recrutadores que o entrevistaram. Poderá abrir uma outra vaga para a empresa, pelo que, caso o tenham considerado um candidato válido, o facto de já o conhecerem poderá ajudar.

Sem ser inconveniente, e apenas muito esporadicamente, pode enviar um e-mail amigável no sentido de aferir se planeiam abrir novas vagas na empresa. Demonstrar este tipo de interesse é fundamental, no entanto é muito importante que o faça poucas vezes, sob pena de o excluírem porque está a ser demasiado intrusivo.

Além disso, procure tirar algo de valor da experiência, especialmente se chegou a realizar a entrevista de emprego. Isso mostra que o seu currículo foi bem avaliado – casos contrários não o teriam chamado – pelo que o problema poderá ter estado na sua prestação na entrevista de emprego.

No geral, o essencial é não desanimar, mesmo que está não tenha sido a sua primeira tentativa. Não pare, continue a enviar candidaturas de emprego que o seu momento chegará. Lembre-se, até mesmo a rejeição de uma candidatura tem sempre algo positivo.

A redação do trabalhador.pt