Análise SWOT: o que é, como aplicar e qual a sua importância?

O caminho para o sucesso empresarial é tumultuoso, sendo feito de curvas e contracurvas. Não obstante, certamente ajudará a qualquer empresário ter uma visão geral do seu negócio e estar atento a mudanças no mercado, bem como na concorrência.

Para isso é necessário ser capaz de analisar a informações de forma a determinar quais as oportunidades e ameaças que se colocam ao negócio, ao mesmo tempo que se trabalhar os pontos fortes e fracos. Para esta análise, uma das ferramentas a ser usada é a análise SWOT.

Esta análise é particularmente útil em empresas já estabelecidas, potencialmente ajudando na manutenção e no crescimento da empresa. Não obstante, nada impede que seja utilizada a empresas em início de atividade, até como forma de determinar quais as vantagens e desvantagens competitivas, bem como as oportunidades e riscos do mercado.

Neste texto abordamos a análise SWOT, procurando dar resposta às perguntas mais frequentes nomeadamente em que consiste esta ferramenta, como aplicá-la e quais os benefícios que esta pode ter para a sua empresa.

O que é análise SWOT?

A análise SWOT é uma ferramenta de estratégia de gestão, para todos os tipos de empresas, desde as micro às grandes empresas. SWOT é uma sigla inglesa para Strenghts, Weaknesses, Opportunities and Threats Analysis, que em português significa análise dos pontos fortes, pontos fracos, oportunidades e ameaças.

Esta ferramenta é utilizada para aferir quais os pontos fortes e fracos de uma empresa de uma empresa, bem como quais as ameaças e oportunidades que o mercado e a concorrência oferece. Baseado nestas informações o gestor estará certamente melhor capacitado para criar estratégias com vista à redução do risco.

O uso da análise SWOT é uma pratica comum entre as grandes empresas e, apesar de pouco conhecida entre as pequenas e médias empresas (PME) é também um importante instrumento ao alcance de qualquer um.

Não se sabe ao certo quem este na origem desta ferramenta, não obstante, existem indícios de que possa ter surgido na Universidade de Stanford, nos Estados Unidos da América, na década de 1960, numa análise feita por vários professores da universidade analisaram 500 das maiores empresas do país.

Como aplicar a análise SWOT?

A utilização da análise é relativamente acessível. Os pontos fortes, bem como os pontos fracos são relacionados a aspetos internos da empresa, enquanto as oportunidades e as ameaças devem ser determinadas em função da concorrência e do próprio mercado.

A maior dificuldade que a análise SWOT pode oferecer prende-se com a potencial dificuldade em determinar quais os reais pontos fortes e pontos fracos da empresa, sobretudo em empresas que iniciaram atividade recentemente.

1. Quais os pontos fortes da sua empresa?

Aqui é importante colocar a emoção de lado e pensar de forma racional nos reais pontos fortes da sua empresa, procurando determinar quais as características internas que se evidenciam na sua empresa. Neste âmbito, poderá ser particularmente útil pedir ajuda a terceiros que conhecem bem o seu negócio.

Exemplos de pontos fortes: para uma loja, o local onde esta se encontra, nomeadamente se tem um grande fluxo de pessoas, se estas correspondem a um perfil de potencial cliente; a patente de um produtos; entre outros.

2. Quais os pontos fracos da empresa?

À semelhança da pergunta anterior, é imprescindível ser honesto consigo mesmo. Para alguns empresários é mais fácil utilizar o termo “oportunidade de melhoria”, em vez de pontos fracos, não obstante é disso mesmo que se tratam.

Exemplos de pontos fracos: dependência de um número limitado de fornecedores; dificuldade na contratação de mão de obra qualificada; existência de intermediários entre a produção e o consumidor final; custos com pessoal; entre outros.

3. Quais as oportunidades para sua empresa?

Para a conseguir lista as oportunidades que o mercado lhe oferece é importante ter muito bem definidos os objetivos, metas e indicadores da sua empresa. Desta forma, será mais fácil analisar e determinar quais as oportunidades que realmente fazem sentido para a estratégia da empresa.

4. Quais as ameaças à sua empresa?

Neste ponto é necessário considerar os pontos fracos da sua empresa e relacioná-los com as empresas concorrentes. A título de exemplo, referir que uma maior capacidade produtiva de uma empresa concorrente, que fabrica o mesmo produto ou presta o mesmo serviços, por exemplo, pode determinar uma redução significativa no custo para o consumidor desse produto. Esta redução de preço poderá ser suficiente para, por exemplo, ameaçar a sua margem de lucro.

A esta análise devem somar-se as variáveis políticas económicas, sociais e tecnológicas.

Importância da análise SWOT para a sua empresa

Utilizar a análise SWOT na sua empresa confere-lhe uma visão mais próxima do que necessitará de ser melhorado face às particularidades do mercado, além de minimizar a sua exposição ao risco, sendo esta um dos grandes benefícios desta ferramenta. Mencionar também que este instrumento permite-lhe ter uma visão mais clara da que a sua empresa ocupa no mercado.

Com as informações resultantes da análise SWOT, poderá tornar-se mais claro algumas particularidades do mercado, nomeadamente o que procura o consumidor. Isto permite-lhe adaptar os seus produtos e/ou serviços em função dos potenciais clientes, estando mais habilitado a responder à procura.

Permite também detetar nichos de mercado que não estejam a ser trabalhados por parte de empresas concorrentes.

A análise SWOT possibilita também a resolução de problemas persistentes que pareciam insolúveis. A título de exemplo, referir que com esta ferramenta poderá perceber que o tempo de entrega de um dos produtos que comercializa está um parceiro logístico externo e que, portanto, a sua troca por um outro permitiria resolver o problema, sem que isso implicasse o aumento dos custos.

Como fomos referindo ao longo deste artigo, a análise SWOT é uma ferramenta de manifesta importância para qualquer empresa, conferindo-lhe uma maior clareza nas decisões em virtude de o auxiliar a potencializar os seus pontos fortes e corrigir os fracos

A redação do trabalhador.pt