Anemia: o que é, tipos, sintomas e tratamento

A anemia é uma condição na qual faltam glóbulos vermelhos saudáveis ​​em quantidade suficiente para transportar oxigénio necessário para os tecidos do corpo. Em consequência, poderá sentir-se cansado e fraco, dois dos principais sintomas desta enfermidade.

O que fazem os glóbulos vermelhos?

O corpo produz três tipos de glóbulos – glóbulos brancos para combater infecções, plaquetas para ajudar a coagular o sangue e glóbulos vermelhos para transportar oxigênio por todo o corpo.

Os glóbulos vermelhos contêm hemoglobina – uma proteína rica em ferro que dá ao sangue sua cor vermelha. A hemoglobina permite que os glóbulos vermelhos transportem oxigénio dos pulmões para todas as partes do corpo e transportem dióxido de carbono de outras partes do corpo para os pulmões para ser expelido.

A maioria das células sanguíneas, incluindo as células vermelhas do sangue, são produzidas regularmente na medula óssea – um material esponjoso encontrado nas cavidades de muitos dos ossos grandes. Para produzir hemoglobina e glóbulos vermelhos, o corpo precisa de ferro, vitamina B-12, folato e outros nutrientes provenientes dos alimentos que ingerimos.

O que é a anemia?

Antes de mais, para melhor entender do que se trata a anemia, é importa lembrar que os glóbulos vermelhos, também conhecidos como eritrócitos, são as células responsáveis pelo transporte de oxigénio, como também pela cor vermelha do sangue.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), a anemia trata-se de uma condição na qual faltam glóbulos vermelhos saudáveis ​​em quantidade suficiente para transportar o oxigénio adequado para os tecidos do corpo. Em consequência, é normal que as pessoas que sofram de anemia se sintam cansadas e fracas, sendo estes dois dos principais sintomas desta enfermidade.

Importa também referir que existem vários tipos de anemia, cada uma com as suas causas específicas. A anemia pode ser algo temporário ou algo duradouro, como também poder variar de leve a grave. Caso suspeite que sofre de anemia, deverá consultar o seu médico para este lhe problema lhe ser diagnostica e indicado o tratamento mais adequado.

Em algumas situações, a anemia pode mesmo ser um sinal de alerta de uma outra doença.

Quais os tipos de anemia?

Como já referimos existem vários tipos de anemia, diferenciando-se entre si pelas causas que estão na sua origem. Não obstante, é possível agrupar os tipos de anemia em dois grupos: um que tem origem em falhas do próprio organismo e outro em falhas nutricionais (os mais comuns):

Tipos de anemia com base em falhas do organismo:

  • Anemia hemolítica: caracteriza-se pela destruição precoce das células vermelhas do sangue pelo organismo;
  • Anemia de células falciformes: caracteriza-se por um defeito estrutural hereditário dos glóbulos vermelhos;
  • Anemia sideroblástica: caracteriza-se pela incapacidade do organismo gerar ou utilizar a hemoglobina;
  • Anemia aplástica: trata-se de uma doença autoimune na qual a medula óssea diminui a produção de células sanguíneas.

Tipos de anemia com origem em falhas nutricionais :

  • Anemia ferropriva: caracteriza-se pelo défice de ferro. Pode ter como causas perdas de sangue e hemorragias (nas fezes e/ou durante a menstruação, por exemplo) ou uma deficiente absorção de ferro pelo organismo;
  • Anemia perniciosa: caracteriza-se pela deficiente absorção de vitamina B12 pelo organismo. Pode ter na sua origem fatores genéticos, a idade ou doenças autoimunes;
  • Anemia megablástica: caracteriza-se pela falta de ingestão de vitamina B12 ou de ácido fólico. Tem como principal consequência uma deficiente produção de glóbulos vermelhos pela medula óssea. 

Quais os sintomas da anemia?

Os sinais e sintomas da anemia variam dependendo da sua causa, ou seja, queremos com isto dizer que nem sempre os sintomas são idênticos nos diversos tipos de anemia. Por exemplo, se a anemia for causada por uma doença crónica, esta doença pode mascará-la, de modo que a anemia pode ser detectada por testes de outra condição.

Além disso, dependendo das causas da anemia, pode até acontecer que a pessoa esteja assintomática, isto é, não apresentando qualquer sintoma. Por isso, é extremamente importante que, pelo menos uma vez ao ano, realize análises clínicas. Isto aumenta muito significativamente as probabilidades de descobrir enfermidades, sobretudo as “silenciosas”.

Os sinais e sintomas da anemia podem passar por:

No início, a anemia pode ser tão leve que nem se percebe que a pessoa sofre dessa enfermidade. No entanto, os sintomas tendem a intensificar-se com o agravamento da condição.

Quando devo consultar um médico?

Caso se sinta fraco ou cansado sem motivo aparente, não consiga ganhar peso, com falta de apetite ou dores de cabeça constantes, então sugerimos que consulte o seu médico de família o quanto antes.

Todavia, é importante enfatizar que a fadiga tem muitas causas além da anemia, portanto, não presuma imediatamente que, se tem alguns do sintomas previamente referidos é porque é anémico. O diagnóstico só pode ser realizado por um especialista, portanto será escusado referir que jamais deve recorrer a automedicação.

Quais as causas da anemia?

Como já mencionamos no início do artigo, a anemia ocorre quando o sangue não contém glóbulos vermelhos suficientes para transportar o oxigénio adequado para o corpo.

Isto pode acontecer por vários motivos, designadamente por:

  • O corpo não produz glóbulos vermelhos suficientes;
  • O sangramento faz com que perca glóbulos vermelhos mais rapidamente do que eles são repostos pelo organismo;
  • O seu organismo destrói os glóbulos vermelhos.

Fatores de risco para a anemia

Os seguintes fatores aumentam o risco de anemia:

  • Condições crónicas. Se sofre de cancro, insuficiência renal, diabetes ou outra condição crónica, pode correr o risco de ter anemia ou de doença crónica. Essas condições podem levar à escassez de glóbulos vermelhos no organismo.
  • Histórico familiar. Se a sua família tem histórico de anemia hereditária, como anemia falciforme, poderá ter um risco maior de contrair esta doença. Nestes casos, recomendamos que consulte regularmente o seu médico.
  • Dieta pobre em vitaminas e minerais. Uma dieta pobre em ferro, vitamina B12 e ácido fólico aumenta o risco de anemia. Portanto, diversifique a sua alimentação!
  • Distúrbios intestinais. Ter um distúrbio intestinal que afeta a absorção de nutrientes no intestino delgado – como a doença de Crohn e a doença celíaca – pode colocá-lo em risco de anemia. Isto acontece porque o organismo pode apresentar dificuldades em absorver nutrientes.
  • Menstruação. A menstruação causa a perda de glóbulos vermelhos. Por isso, mulheres que ainda não entraram na menopausa têm um risco maior de anemia por deficiência de ferro.
  • Gravidez. Se está grávida e não está a tomar nenhum suplemento multivitamínico com ácido fólico e ferro, o risco de anemia é maior. Cuide-se!
  • Outros fatores. Histórico de infeções, doenças do sangue e doenças autoimunes aumentam o risco de anemia. O alcoolismo, a exposição a produtos químicos tóxicos e o uso de alguns medicamentos podem afetar a produção de glóbulos vermelhos e causar anemia.
  • Idade. Pessoas com mais de 65 anos de idade apresentam um risco maior de anemia. Consulte regularmente o seu geriatra.

Como prevenir a anemia?

Infelizmente, muitos tipos de anemia não podem ser evitados – regra geral, aqueles que têm como origem deficientes do organismo. Não obstante, é possível prevenir a anemia por deficiência de ferro e anemias por deficiência de vitaminas.

Isto pode ser feito através de uma dieta que inclua certas vitaminas e minerais:

  • Ferro. Alimentos ricos em ferro incluem carne bovina e outras carnes, feijão, lentilhas, cereais enriquecidos com ferro, vegetais com folhas verdes escuras e frutas secas.
  • Ácido fólico. Pode ser encontrado em frutas e sumos de fruta, vegetais de folhas verdes escuras, ervilhas, feijão, amendoim e produtos de grãos enriquecidos, como o pão, os cereais, as massas e o arroz.
  • Vitamina B12. Os alimentos ricos em vitamina B12 incluem a carne, os laticínios, os cereais fortificados e produtos à base de soja.
  • Vitamina C. Os alimentos ricos em vitamina C incluem frutas cítricas e sumos, pimentas, brócolos, tomates, melões e morangos. Isso também ajuda a aumentar a absorção de ferro pelo organismo.

Existe tratamento para a anemia?

Regra geral, a anemia adquirida tem cura – principalmente as mais comuns, causadas pela baixa ingestão ou perda de ferro e deficiências na absorção de vitamina B12.

As que ocorrem devido a outras causas (problemas nos rins ou doenças reumatológicas) são tratadas indiretamente, uma vez que o tratamento destes problemas acaba por resolver a anemia.

Já as anemias que são causadas por problemas na medula óssea, por terem quadros mais complexos, e as anemias hereditárias, por serem de “origem genética”, necessitam de tratamentos mais específicos. O importante é procurar aconselhamento médico e iniciar tratamento adequado para a anemia de forma a conter o avanço da doença e poder desfrutar de uma vida mais saudável!

Os tratamentos para a anemia podem passar pela prescrição de suplementos, caso se trate de uma anemia leve, ou até mesmo indicar procedimentos médicos, nos casos mais graves. Por fim referir que o presente artigo em nada substituiu o aconselhamento médico.

A redação do trabalhador.pt