Apneia do sono: principais sinais, causas e tratamentos

A apneia do sono é um distúrbio comum que acontece enquanto as pessoas dormem e, muitas vezes, não estão cientes que têm este problema, o que pode levar a consequências mais sérias.

Se costuma roncar ou se percebe que o sono não está a ser reparador (isto é, se se sente cansado ao acordar e indisposto durante o dia), é importante ter atenção, pois estes podem ser sinais de que algo não está bem e de que há uma possibilidade de padecer de apneia do sono.

Para entender melhor do que se trata, redigimos o presente artigo onde, entre outros, abordamos as principais características da apneia, além das suas causas e possibilidades de tratamento. Confira!

O que é a apneia do sono?

A apneia do sono consiste na obstrução temporária das vias respiratórias enquanto se está a dormir

A apneia do sono ou apneia noturna, oficialmente designada por Síndrome da Apneia Obstrutiva do Sono (SAOS), trata-se de uma doença crónica que acontece quando há uma obstrução parcial ou total das vias respiratórias, por aproximadamente 10 segundos, enquanto a pessoa está a dormir.

Isso dificulta a passagem do ar e causa pausas repetidas e temporárias na respiração, o que não só prejudica o sono, que é constantemente interrompido, como pode levar a complicações mais sérias e, em casos mais graves, ser fatal.

O problema é comum especialmente em adultos com mais de 65 anos, embora com maior probabilidade nos homens e, particularmente, naqueles que apresentam um quadro de obesidade. Não obstante, acontece também com mulheres.

Muita gente não sabe que tem apneia do sono, dado que os sintomas podem não ser muito claros. A título de exemplo, referir que, pese embora o ronco possa ser um sinal da apneia – é aliás um dos mais comuns – isso não significa que todas as pessoas que roncam têm apneia. Isto dificulta a sua identificação, fazendo com que uma grande parte das pessoas acabe por não dar importância ao ronco, em virtude de pensar tratar-se de algo banal.

Quais os sintomas da apneia do sono?

Entre os principais sintomas da apneia do sono está o ronco frequente

Sem prejuízo do que referimos anteriormente, mencionar que existem alguns sinais (leia-se, sintomas) que o podem ajudar a identificar se sofre de apneia do sono. Entre os mais comuns estão:

  • Ronco frequente e em volume alto;
  • Ronco irregular e engasgos devido às paradas respiratórias;
  • Sensação de cansaço e sonolência durante o dia.

Além desses, algumas pessoas com apneia do sono podem também apresentar outros sinais, como por exemplo:

  • Sono agitado;
  • Dor de cabeça ao acordar;
  • Maior irritabilidade durante o dia;
  • Dificuldade de concentração;
  • Problemas de libido;
  • Ansiedade e depressão.

Caso identifique algum destes sintomas, é recomendável procurar um médico de forma a ser devidamente avaliado e, se for o caso, procurar o tratamento mais indicado para o seu tipo de apneia do sono.

Regra geral, este tipo de problema é tratado por diferentes especialistas, como otorrinos, neurologistas e outros. Ter uma consulta médica com um profissional é importante para identificar qual será a melhor alternativa terapêutica.

Quais as causas da apneia do sono?

Regra geral, a apneia do sono não se deve a um único motivo

Na generalidade dos casos, não há uma causa única que leve à apneia do sono. Regra geral o problema acontece devido à combinação de diferentes fatores. Todavia, acredita-se que a principal é a própria anatomia humana, isto é, uma garganta estreita e um queixo mais projetado para trás.

Outra causa mais comumente associada à apneia é a obesidade, que leva a uma acumulação de gordura na região da faringe, diminuindo a passagem de ar.

Também podem ser fatores de risco:

  • Envelhecimento, que deixa os tecidos da região respiratória mais flácidos e com mais probabilidades de obstrução;
  • Quadros crónicos de rinite alérgica e congestão nasal;
  • Consumo excessivo de bebidas alcoólicas e tabaco;
  • Remédios como relaxantes musculares ou calmantes.

Poderá ainda, haver uma tendência genética a desenvolver o problema. Quando há casos na família de apneia do sono, é mais provável que a pessoa também poderá vir a padecer desta doença.

Quais as principais consequências da apneia?

A apneia do sono pode ter consequências para a saúde

Além de prejudicar o sono e provocar mais cansaço durante o dia, devido às noites mal dormidas, há um risco maior de ter uma paragem respiratória enquanto dorme, o que poderá ser fatal. A apneia também aumenta as probabilidades de desenvolver alguns problemas de saúde sérios, como a hipertensão, a diabetes, a depressão e até mesmo de um acidente vascular cerebral (AVC).

Por isso reforçamos, uma vez mais, a importância de que, perante os sintomas desta doença, não deixe de procurar um profissional de saúde.

A apneia do sono tem tratamento?

O tratamento da apneia do sono depende do seu grau: leve, moderado ou grave

O diagnóstico da apneia do sono é feito a partir de um conjunto de exames, desde a avaliação clínica do paciente, dos seus hábitos, até ao monitoramento do sono com sensores eletrónicos ligados ao corpo enquanto dorme (a chamada polissonografia).

A partir daí, o médico irá definir qual o melhor tratamento para a apneia, que vai depender do seu grau, que pode ser leve, moderado ou grave.

  • Para apneia do sono de grau leve: o que se recomenda é a perda de peso, mudanças na posição de dormir e exercícios de respiração feitos com acompanhamento de um fonoaudiólogo;
  • Para apneia do sono de grau moderado: poderá ser necessário também o uso de máscaras ou aparelhos durante o sono (semelhantes aos da imagem supra), para facilitar a respiração;
  • Para apneia do sono de grau grave: em alguns casos a recomendação pode ser de cirurgia, como a de septo nasal ou quando há presença de pólipos.

Nos casos mais extremos de apneia do sono, a solução pode ser o procedimento de traqueostomia para abrir um orifício no pescoço e levar o ar através de uma cânula.

Independente do tipo de tratamento para apneia do sono, o objetivo é sempre fazer com que haja uma respiração em ritmo regular, sem roncos, proporcionando um sono mais tranquilo e aumentando a qualidade de vida dos pacientes.

Como prevenir a apneia do sono?

Há alguns comportamentos que o ajudam a prevenir a apneia do sono

Incluir ou mudar alguns hábitos do dia a dia é importante para evitar a apneia do sono. Deixamos algumas sugestões do que poderá fazer:

  • Praticar atividades físicas regularmente;
  • Evitar consumir bebidas alcoólicas com muita frequência;
  • Não dormir de barriga para cima;
  • Colocar a cabeceira da cama um pouco mais alta (entre 15 cm e 20 cm);
  • Controlar a alimentação e preferir produtos saudáveis;
  • Evitar comidas pesadas antes de dormir;
  • Perda de peso;
  • Não fumar.

São atitudes simples de serem colocadas em prática e que o podem ajudar a dormir melhor, evitando a apneia do sono e prevenindo problemas futuros.

Mariana Bueno

Brasileira, jornalista e escritora. Desde criança tem os livros como os seus grandes companheiros e, mais tarde, transformou a escrita em profissão. É formada em Comunicação e pós-graduada em Media Digitais. Gosta de transmitir informações por meio dos seus textos e adora ouvir e contar boas histórias, de preferência as que descobre ao viajar por diferentes lugares.