Atividades extracurriculares: vantagens e desvantagens

As crianças e adolescentes passam uma boa parte das suas vidas dentro de uma sala de aula, lugar onde têm acesso a um conjunto de disciplinas obrigatórias que compõem o currículo central da escola. Não obstante, nem sempre o currículo básico da educação consegue suprir todas as eventuais lacunas do desenvolvimento cognitivo e pessoal dos alunos, questão que pode ser resolvida com o auxílio de uma ferramenta pedagógica importante: as atividades extracurriculares.

As atividades extracurriculares visam complementar a formação dos estudantes, assegurando-lhes um pleno desenvolvimento intelectual, físico, emocional e psicológico. Por isso, na hora de escolher a escola de uma criança, muitos pais dão prioridade àquelas que vão além, isto é, que reconhecem a relevância de se promover a melhoria da formação de um indivíduo social. No entanto, como em tudo na vida, é preciso saber dosear as expetativas em relação ao processo ensino-aprendizagem, para não correr o risco de sobrecarregar o tempo daqueles que tanto amamos, afinal, assim como nós, as crianças e os jovens precisam ter tempo livre para descansar.

Quer saber mais sobre esse assunto? Neste artigo, vamos esclarecer algumas questões acerca do tema das atividades extracurriculares de forma a lhe ajudar a identificar todas as vantagens e desvantagens deste método que tem vindo a ganhar cada vez mais importância.

O que são atividades extracurriculares?

Como referido, as atividades extracurriculares referem-se à criação de situações de aprendizagem, seja pelas instituições de ensino, cursos especializados ou oficinas, que vão além do ensino tradicional, isto é, que estão fora do currículo obrigatório das escolas.

Ademais, podem ser utilizadas para preencher o tempo livre dos alunos, sobretudo daqueles cujos pais passam o dia todo no trabalho, sendo, portanto, a escola um ambiente de acolhimento. Independentemente da situação, as atividades extracurriculares têm sempre como objetivo enriquecer a vivência acadêmica dos estudantes, garantindo assim uma formação completa.

Entre as atividades curriculares mais procuradas por pais e alunos estão:

  • Desportos;
  • Artes;
  • Cursos de idiomas;
  • Cursos tecnológicos;
  • Passeios e viagens;
  • Eventos multidisciplinares (que interligam várias áreas do saber);
  • Cursos e grupos de estudo;
  • Oficinas e debates;
  • Formação de cidadania.

Importa referir que estudos na área da educação demonstram que a prática de atividades extracurriculares promove uma série de benefícios para a vida de crianças e jovens – tema sobre o qual falaremos a seguir.

Quais as vantagens das atividades extracurriculares?

Facto é que toda atividade que estimula a cognição e promove o desenvolvimento socio afetivo contribui de forma significativa para o desempenho e formação de crianças e adolescentes. Entre os principais benefícios dessa ferramenta podemos mencionar:

1. Ajudam a encontrar aptidões

Esta é uma das principais vantagens das atividades extracurriculares, sobretudo para a vida académica dos adolescentes. Durante a juventude, é comum que os alunos se sintam perdidos em relação às futuras escolhas profissionais, por isso torna-se essencial que sejam direcionados para encontrar as suas aptidões e assim definirem os seus projetos pessoais – o que pode ser feito por meio das atividades extracurriculares.

2. Formam cidadãos mais conscientes

Por serem situações que incentivam o constante aperfeiçoamento do aluno, as atividades extracurriculares desempenham um papel relevante para a formação de melhores cidadãos e mais engajados na busca pelo aprimoramento das suas capacidades físicas e intelectuais. Além disso, durante as atividades as crianças e adolescentes entram em contato com outros colegas, o que estimula a formação de novas amizades. Através dessa interação, tornam-se mais tolerantes, comunicativos e abertos a outras opiniões e visões de mundo distintas.

3. Melhoram o rendimento na escola

Diferentemente do que acontece com as disciplinas convencionais, as atividades extracurriculares não são obrigatórias e podem ser escolhidas pelos pais – ou pelos próprios estudantes – de acordo com as suas áreas de interesse. Ao estudar um tema com o qual tem afinidade, o aluno sente-se estimulado a dedicar-se mais aos estudos, o que traz um ganho expressivo no rendimento escolar como um todo.

4. Ensinam regras e disciplina

Como acontece na sociedade, a escola também impõe as suas regras de conduta, que podem ser reforçadas com o auxílio das atividades extracurriculares. Dessa forma, o aluno adquire um reforço de saberes essenciais para a vida além muros da instituição de ensino, tais como o trabalho em equipa, o respeito pela hierarquia e a divisão de responsabilidades, por exemplo.

5. Permitem a aprendizagem de novas competências

Quando incentivados a frequentar atividades extracurriculares, os alunos têm a oportunidade de aprender e desenvolver novas competências e habilidades, às quais não teriam acesso se não fosse a formação continuada. Importante referir que o objetivo não é formar especialistas numa determinada área, mas sim promover o contato com diferentes saberes e práticas, a fim de aumentar as possibilidades e expandir a aprendizagem do indivíduo.

6. Promovem a saúde física dos alunos

As atividades extracurriculares físicas são importantes para a saúde dos estudantes, pois além de promoverem o entretenimento, ajudam a combater a obesidade, problema que em Portugal tem uma dimensão muito preocupante, com taxas de excesso de peso e de obesidade muito próximas do 30% – o que coloca o nosso país entre as nações com maior incidência desta doença. Por isso, a prática de atividades físicas no contexto das atividades extracurriculares motiva crianças e adolescentes a tornarem-se indivíduos ativos, o que diminui consideravelmente a possibilidade de serem adultos com excesso de peso, entre outros problemas advindos do sedentarismo.

7. Fomentam o trabalho em equipa

As atividades extracurriculares proporcionam vivências que promovem e estimulam o trabalho em equipa. Seja através da prática algum desporto, da participação de aulas de teatro ou até ao fazer parte do grupo musical da escola, todas essas alternativas fomentam o sentido de coletividade, além de contribuir de forma expressiva para a divisão de tarefas e responsabilidades.

8. Criam um sentido de responsabilidade

O sentido de responsabilidade é outra vantagem associada às atividades extracurriculares, afinal, ao promover o espírito de coletividade, a escola estimula os seus alunos a buscarem, juntos, um objetivo comum, cujo sucesso depende do desempenho de todo o grupo. Assim, crianças e adolescentes conseguem compreender que as suas atitudes podem refletir-se de forma positiva – ou negativa – na performance dos colegas.

Quais as desvantagens das atividades extracurriculares?

As atividades extracurriculares podem proporcionar todos os benefícios sobre os quais falamos anteriormente – sobretudo quando encaixadas de forma saudável na rotina de uma criança ou adolescente. Todavia, é preciso tomar alguns cuidados a fim de evitar que essas atividades não sejam planeadas apenas levando em consideração as preferências, interesses e agenda dos pais, o que poderá causar um efeito inverso ao esperado. Ao sobrecarregar um filho com inúmeras obrigações, corre-se o risco de o exaurir, o que pode ocasionar inúmeros problemas de aprendizagem, bem como de relacionamento.

Por isso, é fundamental agir com bom senso na hora de escolher e programar as atividades extracurriculares do seu filho. Certifique-se de que ele terá tempo livre para descansar e não se esqueça de dar preferência a cursos que correspondam aos seus talentos, ou seja, se a criança se interessa por astros e planetas, o mais apropriado é matricula-la num curso de astronomia, e não de gastronomia, não é verdade. É esse cuidado que fará com que ela não se sinta frustrada diante da dissonância de interesses que podem estimular sentimentos de incompetência que não procedem.

Concluindo…

São muitas as vantagens que as atividades extracurriculares acarretam para a formação do indivíduo, não obstante, convém evitar que estas ocupem o lugar da brincadeira, do jogo livre e da autonomia, aspetos tão importantes para o bem-estar de crianças e jovens. É legítimo buscar as melhores oportunidades para o seu filho, no entanto, não se esqueça de que eles precisam de descansar e aproveitar o tão benéfico ócio criativo.

Luana Castro Alves

Licenciada em Letras e Pedagogia, redatora e revisora, entusiasta do universo da literatura, sempre à procura das palavras. "Não se pode escrever nada com indiferença." (Simone de Beauvoir)