Bancos de imagens: onde descarregar fotografias sem direitos de autor

Num mundo cada vez mais visual, um dos problemas que muitas vezes os trabalhadores encontram é obter imagens que possam ser utilizadas livremente. Por isso mesmo, existem bancos de imagens online e, muitos deles, sem qualquer custo. 

É do senso comum que o conteúdo quando é apresentado acompanhado por uma imagem fica bastante valorizado. Especialmente nos dias de hoje, em que a capacidade de atenção das pessoas é mais reduzida e tudo se tornou mais fugaz. Ou seja, a componente visual é extremamente importante e escolher a imagem certa – seja para uma publicação ou para um negócio – terá um impacto muito grande no resultado final.

1. Kaboompics

A Kaboompics é uma ferramenta que surgiu de ideia de uma fotógrafa começar a criar fotografias especificamente para o fim da distribuição e disponibilizá-las a custo zero. Este banco de imagens tem um foco em lifestyle e design de interiores. Mas uma das particularidades desta plataforma é o facto de incorporar um blog onde os utilizadores podem ler dicas sobre fotografia.

2. SplitShire

A SplitShire é um banco de imagens gratuito também gerido por um único fotógrafo. Durante 10 anos, ele foi acumulando milhares de fotografias, criando com um enorme arquivo fotográfico. No entanto, os utilizadores desse site têm que respeitar as regras que se estendem para lá da licença CC0. Apesar de ser possível utilizar as imagens para fins comerciais, não é permitida a venda de qualquer fotografia, a sua publicação em outros bancos de imagens e, finalmente, o seu uso com em projetos de conteúdo inapropriado, nomeadamente discriminação racial ou sexual.

3. Burst

Fornecida pelo Shopify – plataforma de e-commerce – a Burst é uma oferece milhares de fotografias tiradas por fotógrafos espalhados pelo mundo. Prezando a qualidade, o objectivo é, como a maioria destas ferramentas, disponibilizar imagens de alta qualidade e sem quaisquer restrições de uso. Neste de banco de imagens, algumas fotografias estão sob uma licença CC0.

4. Unsplash

Inicialmente focado na natureza e em paisagens, o Unsplash foi dos primeiros sites a disponibilizar imagens gratuitas. Naturalmente, foi também dos primeiros a ter um crescimento mais visível. Desde 2017 que a plataforma já tem a sua própria licença e que difere em apenas alguns detalhes com a CC0. A diferença principal é o facto de os utilizadores não poderem usar fotografias do site para a criação de outro concorrente.

5. Pexels

A Pexels pertence, desde 2019, à Canva, uma empresa especializada no mercado do design. Mas desde o início da sua criação que se tem vindo a afirmar como um dos bancos de imagem de eleição de muitos criativos. As fotografias são fruto da curadoria da equipa que, cuidadosamente, seleciona centenas todos os dias para as disponibilizar no site. Além disso, é ainda possível descarregar vídeos na Pexels.

6. Pixabay

A Pixabay começou como uma coleção privada de imagens. Tal como o banco de imagens anterior, também a Pixabay foi adquirida pela Canva em 2019 e, à semelhança do Unsplash, tem a sua própria licença. Não é permitida a venda de cópias inalteradas, nem a sua distribuição. Isto não impossibilitou o facto de rápido se ter tornado numa comunidade online com vários colaboradores. O seu crescimento foi tão grande que, hoje em dia, o site está disponível em 26 línguas diferentes. Referência em várias publicações do meio artístico, também oferece vídeos.

7. Reshot

A Reshot nasceu com uma missão bastante clara: partilhar fotografias de qualidade através de uma comunidade de fotógrafos emergentes. Assim, qualquer pessoa que necessite, pode descarregar umas das centenas de imagens selecionadas pela equipa e sem qualquer custo. Este banco de imagens gratuito, como o nome indica, presta principal atenção à arte da fotografia. A Reshot é uma plataforma para trabalhadores de áreas criativas encontrarem ferramentas de trabalho, mas também um sítio onde criativos podem divulgar o seu trabalho.

8. StockSnap

O StockSnap é outro banco de imagens grátis que visa facilitar o processo de seleção visual para sites profissionais ou, por exemplo, brochuras. Todas as imagens estão licenciadas sob o CC0 o que quer dizer que não há quaisquer direitos de autor que condicionem o seu uso. Apesar de ser uma plataforma que depende do trabalho extensivo de fotógrafos, existe um processo de seleção rigoroso de forma a assegurar a qualidade da oferta. Antes de as imagens serem publicadas, a equipa revê e avalia as fotografias que foram apresentadas por fotógrafos que estejam interessados em divulgar o seu trabalho.

Licença Creative Commons Zero e o domínio público

A dificuldade em utilizar certas imagens deve-se ao facto de muitas delas terem os constrangimentos associados aos direitos de autor. No entanto, graças à licença Creative Commons Zero (CC0), existem bancos de imagens grátis e que pertencem ao domínio público. Por outras palavras, é possível copiar, modificar e distribuir estas imagens sem a necessidade do consentimento do autor. Contudo, é importante realçar que atribuir o crédito ao respetivo autor é sempre correto.

Pode parecer uma necessidade que se restringe a um grupo específico de trabalhadores. Mas a verdade é que há muitos profissionais que, no dia-a-dia, têm recorrer a estas ferramentas. Claro que existem várias opções, já que nem todos os bancos de imagens têm a licença CC0 e, por vezes, as imagens escolhidas podem ter restrições. Por exemplo, o uso para fins não comerciais ou o impedimento de qualquer alteração, seja em tamanho, cor ou adição de outros elementos.

Mas no final de contas, contratar fotógrafos tem custos que as pequenas empresas não conseguem suportar. Portanto, os bancos de imagens – principalmente os gratuitos – são uma alternativa que alicia muita gente.

A redação do trabalhador.pt

Adicionar comentário