Bar Mitzvah: conheça esta importante celebração judaica

Para o judaísmo, a transição mais importante na vida de um judeu acontece quando os rapazes completam 13 anos de idades e as raparigas 12. De acordo com a religião, a partir dessa idade os adolescentes alcançam a maioridade, isto é, passam a ser livres e responsáveis pelos seus atos. Assim, as suas escolhas deixam de ser responsabilidade dos seus pais, o que permite que o jovem assuma a sua maturidade social e cultural, como cidadão e judeu. A essa transição dá-se o nome de Bar Mitzvah, que em hebraico significa “filho da lei ou do mandamento”.

O Bar Mitzvah é uma tradição que acontece há mais de 2 milénios na comunidade judaica, sendo, portanto, uma das festividades mais conhecidas deste povo. O seu início é marcado de acordo com a passagem bíblica de Gênesis (34:25), quando Levi, então com 13 anos, é autorizado a empunhar e utilizar uma espada junto com os seus irmãos para proteger a honra da sua irmã Diná. A cerimônia do Bar Mitzvah não é apenas uma comemoração comum de aniversário, é também a ocasião mais importante na vida de um judeu, quando este atinge a idade para entrar na aliança com Deus e no compromisso de manter, estudar e praticar todos os mandamentos da Torá.

Ficou interessado neste assunto e quer saber mais sobre o que é o Bar Mitzvah, seus rituais e outros detalhes desta importante celebração do mundo judaico? Então continue a leitura deste artigo e aproveite para o partilhar com os seus amigos. Acompanhe!

A preparação do Bar Mitzvah

Antes do grande dia, o jovem, ao completar 11 anos de idade, começa um curso preparatório sobre os vários aspetos do Bar Mitzvah. Durante a preparação, um dos períodos é dedicado à própria cerimónia, visto que é o adolescente o responsável pelo ritual repleto de simbologias, realizado, em parte, em hebraico.

O curso contempla também aulas de conteúdos variados, que abordam temas como a amizade, a lealdade, a ecologia, a sustentabilidade, os direitos humanos, a responsabilidade, a justiça, entre outros assuntos relevantes para a formação moral dos jovens. Além disso, são ministradas aulas sobre o judaísmo, cuja intenção é fazer com que o jovem reflita e interprete as leis da religião do seu modo. Para os judeus, este é um momento especial, em que o indivíduo tem a oportunidade de se tornar um ser humano melhor.

A cerimónia do Bar Mitzvah

Quando finalmente completa 13 anos e um dia, o “homem” é chamado pela primeira vez para a leitura da Torá, livro sagrado dos judeus que é conhecido como Pentateuco pelos cristãos. A partir desse momento, do Bar Mitzvah, passa a integrar o miniam, nome que se dá ao quórum mínimo de 10 homens adultos, cuja presença é indispensável para a realização de certas cerimónias judaicas.

Ao ler a Torá, simbolicamente o jovem está a dizer que, a partir daquele momento, o livro sagrado também lhe pertence, passando a ser responsável por si mesmo e a ter liberdade para interpretá-lo. Desta forma, apropria-se da lei, dos valores, da história e do texto.

O tefilin é outro símbolo muito importante no Bar Mitzvah. Tratam-se de caixinhas pretas com faixas de couro que são colocadas no braço, na altura do coração e também na cabeça. Quando o jovem coloca este símbolo, assume que, a partir daquele momento, passará a agir de maneira coerente, procurando sempre alinhar o que pensa, o que sente e o que realiza. Além desse importante símbolo, durante a cerimónia o rapaz utiliza um paramento chamado talit, um manto branco com quatro pontas e franjas que representam a beleza interior, a transparência, as boas ações e o comprometimento do novo adulto com o bem.

A cerimónia do Bar Mitzvah tem uma duração média de uma hora e meia, cujo início é marcado quando o jovem coloca o talit e o tefilin pela primeira vez. Feito isto, reza e canta, recebendo em seguida a Torá da maneira mais tradicional: na forma de um grande rolo ou pergaminho. Então, carregando o livro, anda pela sinagoga, gesto que reproduz simbolicamente a viagem em que Moisés, principal figura do judaísmo, conduziu as Tábuas da Lei com os Dez Mandamentos até à Terra Prometida. A intenção é mostrar que a mensagem precisa de circular, de viajar, isto é, não pode ficar presa, esquecida dentro de uma gaveta. Cabe ao jovem, a partir desse momento, ler, discutir e reinterpretar a palavra, dando início, então à sua própria viagem.

Após a leitura de alguns trechos da Torá, o adolescente escuta uma mensagem escrita pelo rabino, o líder religioso da comunidade judaica, cujo conteúdo é específico para a ocasião. Finalizando o ritual, o jovem recebe a bênção final, momento que precede uma grande festa em homenagem à nova fase da vida do adolescente.

A importância do Bar Mitzvah

O Bar Mitzvah não é apenas uma comemoração comum de aniversário: é um ritual de passagem que marca o início de uma nova fase da vida do adolescente. Normalmente, os jovens passam por um ritual de mazal-tov, que seria como dizer “boa sorte” na etapa que se inicia. Durante esse ritual, o rapaz ou a rapariga, sentam-se numa cadeira e depois são levantados várias vezes pelos participantes da cerimónia.

A organização de um Bar Mitzvah requer riqueza nos detalhes, e cada família define o perfil de festa que quer, sobretudo em relação à decoração. Geralmente, esse evento é uma celebração única, cuja preparação pode levar anos.

Bat Mitzvah: o Bar Mitzvah das meninas

Sabia que as raparigas também têm uma cerimónia nos mesmos moldes do Bar Mitzvah? Sim, essa cerimónia existe e é chamada de Bat Mitzvah, que em hebraico significa “filha do mandamento”. Trata-se de uma festa judaica em que as adolescentes do sexo feminino, assim como masculino, tornam-se responsáveis pelas suas próprias vidas. O Bat Mitzvah foi criado com o intuito de trazer as mulheres de volta às sinagogas, e assim como o Bar Mitzvah, exige um curso preparatório individual ou coletivo antes de sua realização.

O Bat Mitzvah existe há cerca de 70 anos, ou seja, é bastante recente, sobretudo quando comparada ao Bar Mitzvah, que existe há 2.000 anos. Antigamente, as mulheres, em diversas correntes do judaísmo, eram dispensadas dos estudos religiosos, facto que explica o porque do ritual feminino ter surgido apenas no século XX.

Embora a cerimónia seja bastante parecida, existem algumas diferenças: a cerimónia das raparigas acontece quando estas completam 12 anos, pois na visão judaica o amadurecimento emocional e físico das jovens acontece antes do amadurecimento dos rapazes, sendo assim, a partir do décimo segundo aniversário elas já estão prontas para ingressar no mundo das responsabilidades adultas.

Gostou deste artigo? Então não se esqueça de o partilhar com os seus amigos. Certamente irão gostar de conhecer mais sobre o Bar Mitzvah, esta fascinante cerimónia que é tão importante para o judaísmo, e que em muito tem para nos ensinar sobre os valores indispensáveis para a vida em comunidade.

Luana Castro Alves

Graduada em Letras e Pedagogia, redatora e revisora, entusiasta do universo da literatura, sempre à procura das palavras. "Não se pode escrever nada com indiferença." (Simone de Beauvoir)