Bicicletas elétricas: quais as vantagens e como escolher?

A mobilidade urbana é algo cada vez mais importante. A procura por soluções mais sustentáveis é hoje tida como uma prioridade, não somente pelo Governo português, como também da própria União Europeia, estando a ser feito um grande investimento em inúmeras ciclovias. O objetivo é simples, tornar as cidades mais acessíveis, menos poluídas e menos ruidosas.

Como resposta à crescente procura por soluções mais ecológicas, surgiram várias soluções, sendo uma das maiores populares as trotinetes e bicicletas elétricas.

A Câmara Muncial de Lisboa, por exemplo, lançou um serviço de bicicletas elétricas partilhadas de Lisboa, chamado Gira – Bicicletas de Lisboa. Este serviço permite que, através da compra de um passe (diário, semanal ou mensal), as pessoas possam utilizar as bicicletas elétricas disponibilizadas por este serviço dentro da cidade de Lisboa.

Neste artigo procuramos responder às perguntas mais frequentes sobre bicicletas elétricas, nomeadamente quais as suas vantagens, face a outras formas de mobilidade, como também partilhando algumas dicas que consideramos importantes ao escolher uma bicicleta elétrica.

O que são bicicletas elétricas?

As bicicletas elétricas são alimentadas através de um motor elétrico

As bicicletas elétricas nada mais são do que bicicletas comuns, todavia, em vez de alimentadas pela força exercida nos pedais, possuem motores elétricos, controladores e baterias, que ajudam a impulsionar e a deslocar a bicicleta.

Ao contrário do que possa pensar, as bicicletas elétricas, também conhecidas por e-bikes, não são uma inovação do nosso tempo. Os primeiros modelos de bicicletas elétricas foram criados no final do século XIX. É claro que hoje, as modernas bicicletas elétricas são muito diferentes dos seus primeiros modelos.

As bicicletas elétricas não são todas iguais, não se limitando a um único modelo, dado existirem bicicletas para montanha, para cidade (urbanas), dobráveis e mistas. Por isso, é importante que antes de avançar para a compra de uma bicicleta elétrica, tenha em consideração algumas características importantes.

As bicicletas elétricas são uma ótima opção para quem pretende praticar desporto, fugir do trânsito de grandes centros urbanos, como Lisboa ou Porto, ou até mesmo para quem pretende ter um meio de transporte que cause menos impacto no meio ambiente.

Quais as vantagens das bicicletas elétricas?

Para além da sustentabilidade, a economia é outro ponto forte das bicicletas elétricas

São muitas as vantagens das bicicletas elétricas, desde a economia de tempo, até ao menor desgaste físico, comparativamente às bicicletas convencionais. Em seguida, listamos algumas das maiores vantagens em optar por uma bicicleta elétrica:

1. Economia

A aquisição e manutenção de um carro ou de uma mota é algo bastante dispendioso. Também por esse motivo, muitas pessoas optam por se deslocar (para o trabalho, por exemplo) em transportes coletivos, como por exemplo o autocarro ou o metro.

As bibicletas elétricas são uma dessas alternativas. Além de não implicar gastos com combustíveis, das manutenções anuais e dos seguros, as bicicletas elétricas são produtos que apresentam um ótimo custo-benefício a médio ou longo prazo.

Embora impliquem um custo de aquisição elevado – entre os 750€ aos 2000€ (isto se não pretender utilizar um serviço de bicicletas elétricas partilhadas), as bicicletas elétricas acabam por compensar ao fim de algum tempo. De acordo com alguns estudos o custo com energia elétrica é de aproximadamente 0,10€/km.

2. Sustentabilidade

Todos meios de transporte causam impacto ao meio ambiente. Todava, as bicicletas elétricas são uma das melhores alternativas, sobretudo quando comparadas com meios de transporte convencionais .

A maioria das bicicletas elétricas funcionam através de baterias de lítio. Embora estas tenham um impacto no meio ambiente, este é menor do que o causado pelos combustíveis fósseis.

3. Combater o sedentarismo

Ao optar por se deslocar numa bicicleta elétrica em detrimento de um automóvel, por exemplo, estará a combater o sedentarismo. Acresce que alguns modelos de bicicletas (muitos, aliás) dispõem de pedais, permitindo que pedale enquanto anda de bicicleta – claro que exigindo menos esforço do que um modelo de bicicleta convencional.

4. Agilidade

Ninguém gosta de perder tempo no trânsito, no entanto, essa ainda é a realidade da grande maioria das pessoas, principalmente para as que vivem nos grandes centros urbanos, como Lisboa e Porto. Quanto mais veículos estiverem na rua, mais trânsito haverá e mais a espera.

As bicicletas elétricas são uma forma de “driblar” esse momento stressante. Por serem menores, com as bicicletas elétricas pode fugir do trânsito e do stress do “para e arranca”.

5. Conforto

Muita gente gosta de pedalar para o trabalho, faculdade, ou até como opção de desporto e lazer. Mas, por vezes pode ser bastante cansativo ter de pedalar alguns quilómetros para chegar ao destino que pretende, principalmente se for um local distante.

Nesse caso, as bicicletas elétricas poupam o trabalho de ter de estar sempre a pedalar e permitem que se possa locomover com agilidade e segurança. Além disso, alguns modelos de bicicletas elétricas contam ainda com outros acessórios e características que proporcionam ainda mais conforto, como amortecedores e freio a disco.

6. Praticidade

Além de todas as vantagens previamente referidas, as bicicletas elétricas são ainda um meio de transporte extremamente prático. Pode levar sua bicicleta elétrica para qualquer lugar, dado que a maioria dos modelos são compactos (alguns até desdobráveis) e permitem que as baterias sejam carregadas em tomadas normais, com um tempo de carregamento médio de entre 3 a 5 horas.

Velocidade e autonomia das bicicletas elétricas

A velocidade máxima média de uma bicicleta elétrica é de 25 km/h

Regra geral, as bicicletas elétricas conseguem atingir velocidades por volta dos 25 km/h, no entanto, existem alguns modelos mais avançados que podem chegar até aos 45 km/h.

Em função do modelo, as bicicletas elétricas podem ter uma autonomia entre os 30 aos 100 km. Não obstante, existem modelos com maior autonomia, podendo ultrapassar os 200 km – naturalmente mais caros.

Existem alguns fatores que podem interferir no desempenho das bicicletas elétricas, nomeadamente a/o:

  • Mecânica das bicicletas;
  • Peso, altura e o estilo de condução do ciclista;
  • Tipo de piso/terreno;
  • Temperatura e pressão atmosférica;
  • Potência do motor;
  • Capacidade da bateria.

Que características ter em conta?

Antes de comprar uma bicicleta elétrica deve considerar alguns pontos

Se pretende dar uma “oportunidade” às bicicletas elétricas, deve escolher um modelo que se adapte às suas necessidades. Por isso, listamos abaixo alguns dos critérios que consideramos serem importante de serem observados na hora de realizar comprar uma bicicleta elétrica.

1. Tipo de bicicleta

As bicicletas elétricas são podem ser divididos em dois grupos:

  • Bicicletas elétricas de pedais assistidos: são os modelos mais comuns e os únicos que são realmente considerados bicicletas.
  • Bicicletas elétricas rápidas (speed bikes): estes modelos possuem a aparência de uma bicicleta comum, todavia são mais potentes, uma espécie de “motocicleta”.

2. Tipo de bateria

O desempenho das bicicletas elétricas varia de acordo com a bateria integrada, tanto pelo tempo de serviço, como também pela capacidade de amazenamento de energia elétrica que possuem.

O rendimento das baterias de lítio é superior ao de outros tipos de baterias. Não obstante, independentemente do tipo de báteria é relativamente comum que, ao fim de algum tempo de utilização (aproximadamente dois anos), a capacidade das báterias acabe por diminuir um pouco.

3. Localização do motor

Os motores das bicicletas elétricas podem ser estar localizados em dois sitíos distintos: numa das rodas ou no eixo da bicicleta.

Quando o motor se encontra no eixo da bicicleta elétrica, a pessoa sente o pedal da bicicleta normalmente. Este é o local adequado para quem utiliza a bicicleta elétrica, principalmente, para praticar desporto.

Já quando o motor se localizada na roda, geralmente na dianteira, além de oferecer mais tração, os modelos vem com um sensor de movimento.

4. Potência do motor

Ao escolher um dos vários modelos de bicicletas elétricas disponíveis, é importante considerar a potência do motor, já que esse é um dos aspectos primordiais para o desempenho das bicicletas elétricas.

Caso se trate da primeira bicicleta elétrica que pretende comprar, recomendamos que opte por um modelo que não ultrapasse os 350W, e que também tenha uma velocidade máxima, nunca superior a 25 km/h. Mais potência e mais velocidade podem ser perigosas para quem não tem experiência.

5. Travões / Freios

Os freios são outro ponto muito importante nas bicicletas elétricas já que, por serem veículos mais rápidos do que as bicicletas convencionais, precisam ter travões resistentes para evitar acidentes e realizar a freagem de maneira correta.

Na tabela infra, abordamos um pouco mais sobre os tipos de freios das bicicletas elétricas:

Tipo de travãoCaracterísticas
Travão de tamborTêm uma maior resistência e, consequentemente, uma maior durabilidade. São mais baratos, mas a travagem é menos eficaz.
Travão CantileverÉ o tipo de travão mais comum, porém não executa uma travagem 100% segura. Aconselha-se o uso deste apenas em estrada e atividades de lazer.
Travão V-brakePossui molas que equilibram a força da travagem, sendo a travagem mais suave. Podem ser encontrados nas versões mecânica (mais barata), ou hidráulica (mais cara e segura).
Travão a disco mecânicoMelhor que os travões V-brake, este tipo de travão possui um rotor. Indicado para ciclistas mais experientes, possui um preço acima da média.
Travão de disco hidráulicoO melhor tipo de travão. Ideal para aqueles que praticam desportos radicais e necessitam de maior segurança na travagem.

6. Rodas

Assim como nas bicicletas convencionais, as rodas devem ser proporcionais ao tamanho de quem vai utilizar a bicicleta elétrica. Por exemplo, pessoas baixas , com menos que 1,60 m devem optar por bicicletas elétricas com rodas de 26” (polegadas) ou menos. Já para as pessoas mais altas, as rodas de 28” são as ideais. O tamanho das rodas influencia diretamente o sistema de amortecimento das bicicletas elétricas.

Esperamos que o presente artigo tenha sido útil, quanto mais não seja para perceber que as bicicletas elétricas são hoje uma excelente alternativa de mobilidade urbana, sobretudo nos grandes centros urbanos.

Agora é consigo. Que tal ir dar uma volta?

A redação do trabalhador.pt