Bronquiolite: o que é, sintomas, causas, diagnóstico e tratamento

Os bebés são lindos, fofos e muito frágeis. Por serem ainda tão pequeninos, não possuem um sistema imunitário e aparelho respiratório bem desenvolvidos, o que os deixa mais suscetíveis a várias doenças, principalmente infeções.

Entre essas doenças está a bronquiolite aguda, uma infeção viral que atinge crianças nos primeiros dois anos de vida. Esta provoca bastante incómodo, visto que afetar as vias respiratórias mais finas, obstruindo-as e causando dificuldade respiratórias.

A generalidade dos casos de bronquiolite aguda é provocada pelo vírus sincicial respiratório (VSR), cuja incidência é de 75%, sendo mais comum nos meses de novembro a abril. Contudo, também pode ser causada por outros vírus, incluindo aqueles que estão na origem da gripe ou da constipação comum. Eventualmente, também pode ser causada por infeção bacteriana, mas é raro.

Em virtude das diversas dúvidas sobre esta doença, redigimos o presente artigo no qual procuramos responder a algumas das perguntas mais frequentes sobre a bronquiolite, nomeadamente quais as suas causas, sintomas e tratamento.

A bronquiolite é uma doença contagiosa?

Sim, a bronquiolite é bastante contagiosa. A transmissão acontece através do contato direto com secreções nasais infetadas, tosse ou mãos contaminadas. Por isso, é muito importante que higienize frequentemente as mãos das crianças e solicite às pessoas que tenham contacto com estas que façam o mesmo.

Geralmente a bronquiolite surge em contexto epidemiológico de infeção respiratória, familiar ou outros casos. Os bebés costumam ser contaminados pelos adultos, bem como por crianças mais velhas, ainda que estas apresentem sintomas leves.

Por serem ainda muito vulneráveis, acabam por sofrer mais com os sintomas da bronquiolite. Uma maneira de evitar o contágio é evitar espaços pequenos e fechados, com muitas pessoas, pois estes habitualmente são focos da infeção. Além disso, a amamentação também fortalece o sistema imunitário da criança, sendo, por este e outros motivos, fortemente recomendada.

Quais os principais sintomas da bronquiolite?

Entre os sintomas mais comuns da bronquiolite estão:

  • Corrimento nasal;
  • Tosse seca de agravamento progressivo;
  • Respiração ruidosa e sibilante;
  • Grande esforço respiratório;
  • Cansaço;
  • Retrações intercostais, em que os músculos em redor das costelas “afundam” à medida em que a criança tenta respirar;
  • Respiração acelerada;
  • Dificuldade para se alimentar;
  • Vómitos provocados pela ingestão de líquidos;
  • Febre.

Como evolui geralmente a bronquiolite?

Na maioria dos casos a bronquiolite dura entre 3 a 7 dias e o seu prognóstico é geralmente favorável. A maioria dos doentes não necessita de cuidados hospitalares, podendo o tratamento realizado em casa, mas sempre sob a supervisão de um médico pediatra ou de um pneumologista.

Não obstante, em Portugal, de acordo com a Sociedade Portuguesa de Pediatria, cerca de 3% das crianças com menos de 1 ano de idade desenvolvem a forma grave de bronquiolite, precisando, portanto, de internamento hospitalar.

Quais as crianças com risco de doença grave?

Os bebés com menos de 12 semanas, ex-prematuros, crianças que sofrem de outras patologias (doença pulmonar crónica, doença cardíaca, doença neurológica grave ou imunodeficiência) estão mais vulneráveis à forma grave da bronquiolite. Geralmente necessitam de internamento hospitalar e cuidados intensivos.

Lembramos que estas crianças não devem ser expostas, em nenhuma circunstância, ao fumo do tabaco, visto aumentar o risco de infeção e de doença grave.

Como funciona o tratamento da bronquiolite?

O médico poderá solicitar a realização de testes e de raio X, mas, não raras vezes, o diagnóstico da bronquiolite poderá ser feito apenas pela observação dos sintomas e de um exame físico.

A bronquiolite não possui um tratamento específico e, por ser usualmente de origem viral, os antibióticos não são indicados. Contudo, podem ser adotadas algumas medidas de âmbito hospitalar para cuidar de uma criança com bronquiolite, a saber:

  • Hidratação e alimentação adequadas durante a manifestação da doença;
  • Controlar os sintomas de febre;
  • Facilitar a respiração;
  • Prevenir e tratar complicações da doença.

Poderão também ser adotadas outras terapias para tratar a bronquiolite, entre elas, a hidratação por sonda nasogástrica ou endovenosa, monitorização (oximetria de pulso), suplemento de oxigénio por sonda nasal ou máscara, entre outros cuidados.

Como cuidar de uma criança com bronquiolite?

Se já procurou ajuda médica e o especialista garantiu que não há necessidade de internamento hospitalar para tratamento da bronquiolite, é porque o poderá fazer em casa. Entenda agora o que poderá ser feito para amenizar os sintomas da bronquiolite e proporcionar mais conforto para a criança:

  • Deixe o bebé descansar; portanto, evite “perturbá-lo” e desaconselhe que terceiros o façam;
  • Refeições pequenas, fracionadas. Enquanto alimenta o bebé, faça pausas frequentes, elevando o tronco ao fim da alimentação;
  • Faça a higiene nasal do bebé;
  • Eleve um pouco a cabeceira da cama, pois esta medida evitará que o seu filho sufoque;
  • Fique atento à respiração do bebé;
  • Controle a febre com a medicação prescrita pelo médico.

A bronquiolite pode causar problemas crónicos?

Na maioria dos casos, não. Depois de uma bronquiolite o bebé pode ainda apresentar tosse e pieira, uma espécie de “assobio” que se ouve na expiração, recorrente ou arrastada.

Entretanto, estes sinais costumam passar, não sendo, portanto, duradouros. Não há qualquer comprovação de que a bronquiolite possa facilitar o desenvolvimento de outras patologias respiratórias crónicas, como por exemplo a asma.

Quando devo recorrer aos serviços de saúde?

Mesmo que lhe tenha sido indicado que o tratamento da bronquiolite pode ser realizado em casa, deverá recorrer aos serviços de saúde sempre que o se seu bebé apresentar alguns dos seguintes sintomas:

  • Agravamento das dificuldades respiratórias;
  • Respiração acelerada (mais de 60 inspirações e expirações por minuto);
  • Cansaço;
  • Irritação;
  • Dificuldade para mamar;
  • Dificuldade para ingerir alimentos;
  • Vómitos frequentes e em grande quantidade;
  • Recusa à alimentação ou ingestão de líquidos durante mais de 4 a 6 horas;
  • Palidez ou cianose (lábios cinzentos/azulados);
  • Sonolência excessiva;
  • Prostração;
  • Urinar pouco (fralda seca por período superior a 12 horas),

É importante referir que os sintomas previamente descritos são habituais em formas mais graves de bronquiolite.

Importante: lembramos que este artigo pretende apenar disponibilizar informação genérica sobre a bronquiolite, não substituindo, de forma nenhuma, o aconselhamento médico. Cuide dos seus!

Luana Castro Alves

Graduada em Letras e Pedagogia, redatora e revisora, entusiasta do universo da literatura, sempre à procura das palavras. "Não se pode escrever nada com indiferença." (Simone de Beauvoir)