Bruxismo: o que é, quais os sintomas, causas e tratamentos

Após um dia cansativo de trabalho, é comum que ao chegarmos a casa o nosso maior desejo seja relaxar, descansar e dormir. Quando dormimos, é como se nosso corpo e nosso cérebro se desligassem, não fazendo a mínima ideia do ocorreu durante a noite.

Justamente por isso, é particularmente difícil para algumas pessoas perceberem que sofrem de bruxismo. Por vezes, esta condição só é detetada ao fim de algum tempo, nomeadamente em visitas ao dentista, em virtude do desgaste ou outra alteração aos dentes. Mas o bruxismo pode também “manifestar-se” de outras formas, nomeadamente dores nos maxilares e dor de cabeça

Neste artigo abordamos este distúrbio, procurando responder a algumas das perguntas mais frequentes, nomeadamente em que consiste, quais as suas causas, os seus sintomas e qual o tratamento mais indicado.

O que é o bruxismo?

O bruxismo é um distúrbio funcional caracterizado pela aplicação de forças excessivas no apertar e/ou ranger dos dentes, de forma involuntária. Este distúrbio acontece muitas vezes como uma resposta do organismo ao stress e ansiedade.

Embora mais associado ao período da noite, importa referir que existem dois tipos de bruxismo, o bruxismo noturno, também conhecido como bruxismo do sono, e o bruxismo diurno, também designado por bruxismo de vigília:

  • Bruxismo diurno – atividade da mandíbula, onde o individuo de semi-voluntária, aperta os dentes mesmo estando acordado, como se de um “tique” se tratasse. Não o é tão comum haver ranger de dentes, ocorrendo enquanto a pessoa afetada está a realizar alguma atividade (ver televisão, responder a emails, etc);
  • Bruxismo noturno – caracteriza-se pela atividade de ranger e/ou apertar os dentes durante o sono, havendo produção de sons. Regra geral, esta condição não ocorre durante toda a noite, apenas em períodos de crise, nomeadamente nos momentos de sono mais leve.

Esta atividade involuntária tem consequências para a saúde oral, sobretudo a médio-longo prazo, nomeadamente fraturas de restaurações e dentes, desgaste dentário, e em casos mais graves até mesmo problemas ósseos.

Quais os sintomas do bruxismo?

Em virtude do ranger dos dentes e da pressão exercida, este distúrbio manifesta-se de várias formas. Entre os principais sintomas do bruxismo estão:

  • Dores de cabeça, mais precisamente nas têmporas ou na nuca;
  • Dores e zumbido nos ouvidos;
  • Dores na mandíbula e nos músculos faciais;
  • Alterações do sono;
  • “Estalos” ao abrir e fechar a boca;
  • Desgaste e fraturas nos dentes;
  • Cansaço durante o dia, dado afetar a qualidade do sono.

Os sintomas do bruxismo podem não ocorrer todos os dias, dependendo da intensidade do problema, algo que é diferente de pessoa para pessoa.

Quais as causas do bruxismo?

Ainda não são totalmente conhecidas as causas do bruxismo, não obstante, existem algumas disfunções que parecem levar ao problema.

O bruxismo parece estar ligado a vários fatores, nomeadamente ao stress, à ansiedade, a quadros de depressão, a problemas físicos relacionados com a oclusão ou fecho inadequado da boca, bem como a fatores genéticos. Problemas respiratórios como a apneia do sono são também apontados como possíveis causas de bruxismo.

Embora não apontadas como causas direta, o consumo de cafeína, tabaco e bebidas alcoólicas são fatores que podem potenciar/aumentar a frequência das crises.

Como é feito o diagnóstico de bruxismo?

Conforme mencionamos no início do texto, o bruxismo não é facilmente detetado pela própria pessoa, uma vez que este problema manifesta-se, sobretudo, durante o sono. São precisamente os sintomas que fazem que a pessoa acaba por ir ao médico, sendo-lhe então diagnosticada essa condição.

O diagnóstico do bruxismo pode passar pela realização de exames médicos, como por exemplo um estudo poligráfico do sono noturno, também conhecido como polissonografia, para melhor avaliar o bruxismo noturno e a extensão deste distúrbio do sono.

O bruxismo tem tratamento?

Sim. Após determinada a gravidade do bruxismo, através de uma investigação clínica, regra geral, com a realização de exames, o tratamento do bruxismo pode passar por vários profissionais de saúde, nomeadamente médico dentista e psicólogo. Isto, naturalmente, dependerá de caso para caso.

A primeira indicação de tratamento é o de uma goteira de relaxamento (em acrílico, a mais comum, ou em silicone e moldada com o formato dos dentes do paciente) colocada na boca de forma a proteger os dentes e a reduzir a atividade muscular involuntária. Nos casos em que o bruxismo cause muita dor, poderá ser prescrita complementarmente o uso de relaxantes musculares.

Em virtude do bruxismo poder ter na sua origem quadros de stress e ansiedade é possível que sejam propostas terapêuticas comportamentais, como por exemplo psicanálise, hipnose e/ou técnicas de relaxamento.

O bruxismo pode afetar crianças?

Sim. O bruxismo não é um distúrbio exclusivo dos adultos, podendo também afetar as crianças. Estas podem padecer de bruxismo sobretudo em dois momentos: aquando do nascimento dos primeiros dentes (conhecidos como “dentes de leite”) bem como, e quando se inicia a troca para a “dentição permanente” – regra geral, terminando quando esta fica concluída.

No entanto, é preciso estar atento, pois existem alguns problemas de saúde que podem também levar as criança a desenvolver bruxismo, nomeadamente alergias, distúrbios intestinais, stress e ansiedade.

Assim, recomendamos que caso perceba que os dentes dos seus filhos estão desgastados, ou caso se queixem dores ou sensibilidade, procure a orientação de um médico dentista.

Como prevenir o bruxismo?

Existem alguns hábitos que podem podem ajudar a prevenir ou atenuar o bruxismo, impedindo que este distúrbio se agrave, nomeadamente:

  • Consulte periodicamente um dentista, para deteção de alterações nos dentes;
  • Tenha atenção para perceber se aperta os dentes durante atividades que exijam concentração. Em caso afirmativo, evite fazer essa pressão;
  • Evite mascar pastilha elástica ou o hábito de morder objetos (canetas, lápis, etc);
  • Pratique exercício físico e atividades que ajudem a diminuir o stress e ansiedade;
  • Se lhe for indicada o uso de uma goteira, não se esqueça de a usar todos os dias;
  • Reduza a ingestão de cafeína e o consumo de álcool e tabaco.

Como noutros problemas de saúde, é importante estarmos atentos a alterações que ocorram no nosso corpo. Assim, para prevenir que o bruxismo se agrave, é importante consultar periodicamente um dentista e seguir as indicações de tratamento. Cuide-se!

A redação do trabalhador.pt