Como escolher uma televisão?

Se lhe perguntassem se saber como escolher uma televisão, responderia certamente que sim. Mas será que é realmente assim? Sabe quais as diferenças entre LCD, LED, OLED ou QLED? E entre 4k, Full HD e HD Ready? Nós explicamos!

A televisão é um dos aparelhos eletrónicos mais utilizados em todo o mundo. Embora tenha perdido algum relevo em virtude do aparecimento da internet, é rara a casa que não tem, pelo menos, um televisor.

À semelhança de outros equipamentos, as televisões passaram por diversas mudanças tecnológicas. Se nos seus primórdios a imagem era a preto e branco, atualmente a multiplicidade de cores é tão variada que torna a imagem quase perfeita.

No entanto, hoje em dia, escolher uma televisão não passa única e exclusivamente pela qualidade de imagem e pelo tamanho da tela, há inúmeros outros fatores a considerar, muitos dos quais acabam-no por nos passar ao lado.

Por esta e outra razões redigimos o presente artigo com o intuito de o ajudar a compreender as características que devem ser consideras ao escolher uma televisão.

O que considerar antes de comprar a televisão?

1. Orçamento disponível

Um dos pontos inevitáveis antes de escolher uma televisão é o seu custo. Por se tratar de um bem durável, uma das primeiras dúvidas que surgem está relacionada com quanto deve gastar? Qual o preço de uma boa televisão? Consigo comprar uma televisão por um preço baixo?

A resposta para todas essas perguntas irá depender daquilo que procura numa televisão (algo mais simples ou mais sofisticado?), bem como de orçamento que dispõe.

Embora seja comum acreditar-se que o custo de uma televisão é medido em função do seu tamanho, isso poderá não ser sempre verdade. Um televisor de maior dimensão mas com uma tecnologia mais antiga, deverá ser necessariamente mais barato que um televisor mais pequeno de um tecnologia muito recente.

Nos retalhistas de referência em Portugal (Rádio Popular, Worten, Mediamarkt, Fnac, etc.), é possível escolher uma televisão entre os 100€ aos 150€. No entanto, os modelos nessa faixa de preço são necessriamente os mais básicos e com menos funcionalidades. Já os televisores de maior dimensão e qualidade podem chegar aos 5000€.

Embora não haja propriamente um valor referência, acreditamos que é possível, para a generalidade das famílias de classe média, escolher uma televisão com boas especificações e uma boa dimensão de tela entre os 500€ aos 1000€.

2. Smart TV ou não?

A grande maioria das televisões disponíveis no mercado hoje em dia são aparelhos Smart TV. Ao escolher uma televisão tenha em consideração que este tipo de equipamento tem a vantagem de se conectar à internet e permitir a instalação de aplicações, como por exemplo o Netflix. Regra geral, o sistema operativo das Smarts TVs é muito intuitivo e de fácil utilização.

Com a conexão da internet, existe a possibilidade de reproduzir vídeos em streaming e ter acesso às redes sociais. Algumas TVs permitem ainda a função de comandos por voz. Outra funcionalidade muito importante das Smart TVs é a capacidade de interação com outros dispositivos através de cabos ou conexões via Wi-Fi e Bluetooth, por exemplo.

Por esta e outras razões, se gosta de conetividade, o investimento numa Smart TV poderá ser o mais indicado ao escolher uma televisão, mesmo que isso implique alguns euros a mais.

3. Tamanho da tela

Ao escolher uma televisão, deverá ainda considerar o tamanho da tela, existindo opções para todos os gostos e orçamentos. Regra geral, o tamanho da tela deve ser escolhido em função do espaço e da distância entre a televisão e o local onde estará sentado. De nada lhe adianta comprar uma televisão muito grande quando a distância entre o local onde está a televisão e o seu sofá for de 1.5 metros (m).

Poderá usar como referência a tabela infra para escolher uma televisão:

PolegadasEspaço indicadoDistância da TV
Até 32″Ideal para espaços pequenos ou com pouca circulação de pessoas, como a cozinha ou um quarto infantil1.5 m
De 40″ a 49″Indicada para salas de estar e quartos. Nestes tamanhos, as televisões já podem ser encontradas com funcionalidades HD Ready e Full HD e 4k1.5 a 2 m
50″ a 54″Indicada para espaços maiores, como salas de estar, já que trazem uma ótima qualidade de exibição e maximização da experiência2.5 m
55″ ou maisIdeal para divisões com bastante espaço, como salas de estar3 m

Embora não seja sempre o caso, como já referimos, o tamanho da televisões poderá influenciar o seu custo. Isto é, quanto mais o tamanho da tela, juntamente com outros fatores, mais será o preço.

4. Tela: LCD, LED, OLED, QLED ou Micro LED?

Ao escolher uma televisão certamente já cruzou com as siglas LCD, LED, OLED ou QLED, sem saber o seu sinficado. Nada mais são que diferentes tecnologias de ecrãs. Nós explicamos:

  • LCD – trata-se da sigla em língua inglesa para “Liquid Crystal Display”, que significa ecrã de cristal líquido. Consiste num painel de vidro fino com cristais líquidos no seu interior. Dado ser uma tecnologia relativamente barata, as televisões são, regra geral, as mais baratas do mercado.
  • LED – sigla inglesa para “Light Emitting Diode”, que significa diodo emissor de luz. Esta tecnologia veio substituir os ecrãs LCD. Para além de mais finos e mais eficientes energeticamente, apresentam uma melhor qualidade de imagem, designadamente no que concerne à definição, às cores e ao contraste.
  • OLED – sigla inglesa para “Organic Light Emitting Diode”, trata-se de uma evolução dos ecrãs LED, embora com diferenças significativas. Os ecrãs em OLED apresentam cores mais vivas, mais brilho e melhor contraste. As telas desta tecnologia são particularmente finas e flexíveis. As suas desvantanges prendem-se com o preço (mais elevado que os LED e bastante mais que os LCD) e um menor tempo de vida útil.
  • QLED – sigla em inglês para “Quantum Dot Emitting Diodes”. Faz uso da tecnologia de pontos quânticos, na qual os cristias transmitem cores muito vivas ao entrar em contacto com a luz do LED emitida pela televisão. Apresentam um nível de constrante muito bom, mesmo com condições de iluminação pouco favoráveis. Os ecrâs QLED são considerados como a tecnologia comercial de melhor qualidade. O grande senão é mesmo o preço.
  • Micro LED – trata-se da tecnologia mais recente, embora ainda pouco comercializada. Junta o melhor do LCD e do OLED, através de milhões de pequeníssimos LEDs que emitem luz própria. Apresentam uma excelente eficiência energética, um excelente contraste e um período de vida útil maior que os ecrãs da tecnlogia OLED.

5. Curvatura do ecrã

Outro ponto a considerar ao escolher uma televisão, embora talvez de menor importância, é a curvatura do ecrã. Embora não se trate de uma nova propriamente dita, estando já presentes no mercado há alguns anos, só mais recentemente se massificou em Portugal os ecrãs curvos.

  • Ecrãs planos: os ecrãs convencionais (planos) proporcionam a mesma experiência de visualização em qualquer posição num ângulo de 180º.
  • Ecrãs curvos: concebidos para recriar a visão periférica do olhar de forma a garantir uma experiência de visualização mais intensa (daí serem muito populares em monitores de gaming). A curvatura do ecrã passa a sensação que o ecrã é maior do que realmente é, tornando a experiência potencialmente mais imersiva. A desvantagem dos ecrãs curvos prende-se com o facto de o “obrigar” a estar sentado em frente ao ecrã.

6. Resolução da imagem: HD Ready, Full HD ou 4K Ultra HD?

A resolução do ecrã (leia-se, qualidade de imagem) é um dos pontos mais importantes ao escolher uma televisão. Embora a generalidade das televisões hoje produzidas sejam de alta resolução, todavia, existem tecnologias que são melhores que outras.

Regra geral, podemos dividir a qualidade de alta definição em três categorias:

  • HD Ready – tratam-se das televisões mais baratas e, consideradas por muitos, ultrapassadas tecnologicamente, dado que a generalidade das marcas trabalha com FULL HD, uma versão mais aprimorada em termos de qualidade. Apresentam um resolução de imagem inferior ao 1080p do Full HD, sendo a sua imagem de de 1 milhão de pixéis (1280x720p).
  • Full HD – trata-se da evolução da tecnologia HD Ready, sendo a sua iamgem formada por mais de 2 milhões de pixéis.
  • 4K Ultra HD – as televisões com qualidade 4K possuem 8 milhões de pixéis (3840x2160px), um número de pixels quatro vezes superior às do modelo Full HD, ou seja, possuem imagens mais detalhadas e com muito qualidade melhor, sendo hoje considerada como a melhor tecnologia do mercado.

7. Pixels: RGB ou RGBW?

Não sabe o que essas siglas significam? Não tem qualquer problema, mas lembre-se de considerar este ponto ao escolher uma televisão.

Padrão de corDescrição
RGBO RGB é um padrão de cor, composto por vermelho, verde e azul. As televisões mais sofisticadas, principalmente as que tem resolução 4K, usam este sistema de cores para formar as imagens. Com essas três cores é possível formar toda a gama de cores existente.
RGBWO RGBW leva ainda um LED de cor branca e isso faz com que, em algumas situações, o padrão de cor uma determinada tonalidade pela cor branca. Deste modo, as imagens reproduzidas são mais “esbranquiçadas”, o que pode fazer com que percam alguma qualidade.

8. Conetividade: Wi-Fi, Bluetooh, HDMI, USB, etc.

Hoje a televisão é um equipamento que se conecta com vários outros, seja através de cabos ou conexões Wi-Fi ou Bluetooth. Podemos conectar a televisão às nossas consolas de vídeojogos, home theater, computador, telemóvel, box de televisão por cabo, etc. Por esta razão, as entradas mais importantes serão naturalmente as HDMI.

Existem aparelhos que possuem apenas duas entradas, mas pretender conectar a televisão a vários outros aparelhos, poderão ser necessárias mais, devendo considerar isso ao escolher uma televisão. Já se pretender conectar o telemóvel à televisão, a entrada relevante será USB.

Muitos dos aparelhos mais modernos contam também com pelo menos uma entrada LAN, para receber internet via cabo, caso o WI-FI não funcione ou caso pretenda velocidade de tranmissão mais ra´pidas.

A maioria dos novos modelos de televisão já inclui, por definição, uma conexão Bluetooth, lembre-se apenas de ao escolher uma televisão verificar se é uma versão 4.0 ou superior, dado insto influenciar a velocidade de transmissão de dados.

11. Pense no ambiente ao escolher uma televisão

Em último lugar, mas não menos importante, está a questão da eficiência energética. Esta consiste na capacidade de uma determinada televisão executar as funções para a qual foi concebido, recorrendo à menor quantidade de energia possível.

Embora este seja um ponto ao qual muita gente ainda pouca importância dá, não obstante a questão da responsabilidade de cada consumidor em garantir um mundo mais sustentável, deve sempre ter em consideração que mais mais eficiente energticamente for a televisão, menor será a conta da eletricidade ao fim do mês.

Por esta razão, não deve deixar de considerar este ponto ao escolher uma televisão nova para sua casa.

Já vi a quantidade de pontos que deve considerar ao escolher uma televisão? Como constatou a coisa não é assim tão simples e fácil, esperando que o presente artigo o tenha ajudado nesta tarefa. Boas compras!

A redação do trabalhador.pt