Como escrever uma carta de motivação para ser aceite num mestrado?

A carta de motivação é provavelmente o documento mais personalizável e pessoal que pode apresentar num processo de candidatura a um mestrado, já que é através desta que se dá a conhecer e revela informações relevantes que não podem ser encontradas num simples currículo.

Este tipo de documento não se trata de uma mera formalidade, pois as instituições de ensino tiram o seu tempo para lê-la e analisá-la detalhadamente. Afinal, através da carta de motivação, consegue refletir a sua personalidade, objetivos e intenções – aspetos chave para um recrutador conseguir avaliar se é a escolha certa para determinado curso/universidade.

Continue a ler para perceber como deve escrever uma ótima carta de motivação para candidatura a um mestrado.

O que é uma carta de motivação?

A carta de motivação é uma forma de apresentar as razões pelas quais seria um bom candidato para dado mestrado ou universidade. Através deste documento, pode descrever as motivações que o levaram a escolher o mestrado e a instituição em causa, bem como pode mostrar um lado mais pessoal, dando a conhecer as suas intenções, objetivos e expectativas.

Enquanto o currículo permite-lhe demonstrar a sua experiência e formação profissional, a carta de motivação serve como um complemento ao mesmo, pelo que inclui informação adicional e também relevante, mais focada em você como pessoa, não tanto como profissional. Portanto, dê uso a esta oportunidade para se dar verdadeiramente a conhecer e diferenciar dos restantes candidatos.

Se estiver a questionar-se quanto à diferença entre uma carta de motivação e uma carta de apresentação, a explicação é simples: a primeira é dirigida a instituições de ensino, enquanto a segunda é mais usada em contextos profissionais, por exemplo, quando se candidata a um novo local de trabalho.

O que ter em conta antes de escrever a carta de motivação?

1. Pesquise informações sobre a universidade e o mestrado

Este deve ser o primeiro passo a dar. É muito fácil informar-se acerca de uma universidade e dos respetivos cursos, pois os sites das mesmas são muito claros e possuem todas as informações de que precisa. Além disso, tem rápido acesso às formas de contacto da instituição caso queira esclarecer alguma dúvida.

2. Pense na razão pela qual escolheu o mestrado em questão

Certamente deve possuir uma lista detalhada com razões para candidatar-se a este mestrado, por isso partilhe-a! Escolheu o mestrado porque este está muito bem posicionado em algum ranking mundial? Porque vai ter a possibilidade de estudar e viver numa cidade que adora? Porque o mestrado prioriza aulas práticas em detrimento das teóricas? Porque a taxa de empregabilidade após a sua conclusão é muito elevada?

Estas são todas questões legítimas que passam pela cabeça de qualquer estudante que se encontre na mesma situação que você. Certifique-se de que possui uma ideia clara de todas as suas motivações.

3. Não tenha medo de falar sobre si

É exatamente esse o objetivo da carta de motivação – dar-se a conhecer e encontrar formas de se destacar dos restantes candidatos. Seja honesto quanto aos seus pontos fortes e fracos, mencione as suas competências e como estas, aliadas à sua personalidade, fazem de si a pessoa certa para ingressar no mestrado.

Recomendamos ainda a não se deixar ficar por afirmações como “sou determinado e criativo”, em vez disso, dê exemplos em que essas características se provem como verdadeiras.

4. Prime pela boa aparência

Tal como em qualquer outro documento, a carta de motivação deve estar devidamente estruturada e conter o tamanho e tipo de letra adequado. Além disso, não se esqueça de rever várias vezes o texto que escreveu para conseguir identificar erros gramaticais ou repetições.

O que deve constar na carta de motivação para candidatura a mestrado?

Comece por enumerar os pontos que acha mais importantes, e mais tarde inclua-os de forma estruturada no documento. Deve seguir uma ordem deste género:

  1. Comece por dirigir a carta a alguém (normalmente é ao departamento de recursos humanos, mas pesquise que caso se aplica ao seu contexto);
  2. Expresse o motivo pelo qual está a dirigir-se a dada pessoa/departamento;
  3. Fale brevemente sobre o seu percurso até ao ponto atual e expresse claramente o seu objetivo;
  4. Mencione a razão pela qual acha que o mestrado em questão é o mais apropriado para si, ou melhor, porque é que você é a pessoa certa para o mestrado;
  5. Fale sobre as suas qualificações, experiências passadas, qualidades e outras informações que achar relevantes;
  6. Reforce a sua intenção de prosseguir os estudos através do mestrado em causa e agradeça o tempo e atenção disponibilizados;
  7. Por fim, não se esqueça de assinar a carta.

Exemplo de uma carta de motivação para mestrado

Caro(a) (nome da pessoa),

O meu nome é Joana Mendes e estou a escrever esta carta como forma de expressar o meu desejo de integrar o Mestrado em Gestão na Universidade Nova de Lisboa.

Completei a Licenciatura em Economia na Universidade de Economia do Porto (FEP) em apenas três anos, acabando com uma média de 15 valores. Imediatamente após a conclusão da licenciatura, passei o verão seguinte a estagiar numa empresa de consultoria, através da qual consegui perceber o que realmente quero para a minha vida.

Sou uma pessoa muito ativa e que gosta de abraçar novas oportunidades. Desde pequena, sempre me envolvi em inúmeros desportos e atividades estudantis, sendo que aprendi, assim, a gerir muito bem o meu tempo e a lidar com muitas pessoas diferentes. Reconheço agora que essas situações me ajudaram a crescer e a tornar-me na pessoa que sou hoje e na profissional que serei um dia.

Após várias pesquisas, percebi que este era o mestrado certo para mim devido às inúmeras opções de emprego que oferece, à elevada qualificação nos rankings nacionais e mundiais e pelo plano de estudos propriamente dito com o qual me identifiquei.

Teria todo o gosto em estudar na vossa instituição, pois tenho a certeza de que poderia crescer como indivíduo e profissional. Obrigada pelo seu tempo e consideração.

Joana Mendes

trabalhador.pt

Adicionar comentário