Dia da Família: conheça as origens desta importante data

Dia da família

No dia 15 de maio, comemora-se no mundo todo o Dia Internacional da Família, ou, simplesmente, o Dia da Família. A data foi definida por deliberação da Assembleia Geral das Organizações Unidas (ONU) em 1993, desde então, há, em várias partes do globo, conferências e celebrações que têm por objetivo reforçar a importância das famílias para a sociedade, bem como discutir e traçar projetos para o futuro desta importante instituição.

Ficou interessado neste assunto e quer saber mais sobre o Dia da Família, o que é família, novas configurações familiares e principais desafios que esta instituição enfrenta no século 21? Então continue a leitura deste artigo e descubra como fortalecer vínculos afetivos e promover o bem-estar daqueles que mais ama.

Qual o significado de família?

Do ponto de vista da sociologia, a família é uma unidade social básica constituída por um agregado de pessoas relacionadas entre si por laços de sangue, casamento, aliança ou adoção, que compartilham da atribuição primária de reprodução e de cuidador dos membros mais novos e mais velhos do grupo, e que convivem, via de regra, no mesmo ambiente físico por um período não determinado.

No entanto, embora a família seja definida pelo senso comum como uma instituição fechada, isto é, formada pelo pai, mãe e filhos (família nuclear), pode também ser compreendida como um conjunto de regras e padrões de comportamentos que podem sofrer mudanças.

De acordo com as Organização das Nações Unidas (ONU), 65% de todas as famílias são formadas por apenas casais ou por casais com crianças de qualquer idade. Existem ainda os casais que vivem com os filhos e com outros membros das famílias como os avós.

Importa referir também que, hoje, há famílias com dois pais, duas mães, tios, avós, mães ou pais solteiros, mães e pais adotivos, entre muitas outras configurações que não enfraquecem o conceito de família (especialmente aquele baseado em princípios religiosos) e que nos mostra que, mais importante do que os padrões estabelecidos, é o afeto que une as pessoas que partilham suas vidas e jornadas.

Dia da Família: os desafios do século XXI

Como referido, a formatação da família dos últimos tempos mudou significativamente e, junto com as transformações, aumentaram os desafios para manter uma boa relação entre os familiares.

São vários os obstáculos que a vida contemporânea impõe, tais como as jornadas longas de trabalho, que podem enfraquecer o convívio e, consequentemente, dificultar a formação de vínculos entre pais e filhos; a falta de diálogo; o avanço das tecnologias que provocam retrocesso nas relações pessoais dentre outras questões que precisam ser superadas em nome dessa instituição que tem como compromisso produzir os primeiros valores no indivíduo.

O relacionamento familiar é um dos principais e mais importantes círculos sociais que uma pessoa tem desde sua infância até sua velhice, por isso, é salutar promover o bom convívio, o que pode ser feito seguindo algumas dicas:

1. Tenha tempo para a sua família

Ter tempo para o relacionamento familiar não deve ser tratado como uma questão secundária, algo a ser “celebrado” apenas no Dia da Família, pois é graças à boa convivência e à interação comunicativa que os pais e os filhos conseguem alcançar um desenvolvimento emocional e cognitivo mais saudável. Ter uma boa relação com pais e irmãos fortalece os laços afetivos e melhora a autoestima dos membros da família.

2. Amenize o discurso e procure o diálogo

Para manter um bom relacionamento familiar, é fundamental amenizar o discurso ao tratar de assuntos considerados tabus, estilos de vida ou posições políticas, sob pena de enfraquecer o vínculo entre os membros da família. É preciso procurar sempre o diálogo, especialmente diante das diferenças, pois só assim será possível criar um ambiente de tolerância e respeito acima de quaisquer conflitos ideológicos.

3. Exercite a empatia e a solidariedade

Fale e coloque em prática a escuta ativa, oportunidade em que os pais e os filhos podem dar total atenção uns aos outros, sem interferências, sem julgamentos. Seja solidário, tente compreender o porquê de atitudes que, por vezes, podem parecer intempestivas, mas que na realidade podem estar fundamentadas em problemas mais sérios. Ofereça ajuda sempre que possível, dê apoio emocional e construa encontros para partilhar momentos.

4. Priorize a convivência de qualidade

As longas jornadas de trabalho diminuíram o tempo de convívio entre pais e filhos. Os pequenos, por sua vez, também estão com as agendas lotadas de atividades extracurriculares, que preenchem o tempo livre e não dão espaço para o simples exercício de desligar o pensamento e descansar. Um dos principais desafios da família contemporânea é a criação de tempo de convívio de boa qualidade, e cabe a cada família encontrar meios para se manter unida, seja promovendo passeios ou reuniões para conversar sobre o dia a dia.

5. Celebre as vitórias, mesmo as pequenas

Celebrar conquistas e vitórias, sejam familiares ou individuais, é uma forma de se motivarem uns aos outros. É sempre muito positivo felicitar e destacar as coisas boas que nos enchem de alegria e satisfação. Ademais, esta é uma ótima oportunidade de demonstrar amor e incentivar aqueles que mais ama a serem pessoas bem-sucedidas nos aspetos pessoal e profissional. Embora o Dia da Família só se comemore uma vez ao ano, as vitórias devem ser sempre comemoradas.

6. Estabeleça regras de convivência

Os impasses do dia a dia podem transformar pequenos problemas em verdadeiras guerras familiares. Para evitar que isso aconteça, é importante estabelecer algumas regras que facilitam a organização diária e diminuem a incidência dos conflitos. Dividir as tarefas, por exemplo, pode ajudar a evitar atritos. Respeitar o espaço do outro é outra conduta importante, a intimidade familiar pode, mesmo sem intenção, transpassar este “limite”.

7. Não tenha medo de demonstrar afeto

A correria do dia a dia acaba por dar ênfase às críticas e às exigências, no entanto onde o afeto prevalece, todos compreendem que as exigências são importantes para o bom andamento das atividades corriqueiras e atribuições de cada um. O afeto é essencial para fortalecer vínculos de confiança que perduram por toda a vida. São estas manifestações que vão fortalecer a segurança e amor-próprio de todos.

Resumindo…

O Dia da Família é uma ótima oportunidade para pensarmos juntos sobre questões fundamentais relativas às famílias no âmbito social, económico e cultural. Ademais, é importante para refletirmos acerca dos desafios impostos pela sociedade contemporânea e, claro sobre as novas configurações familiares, questão que pode ser incluída na programação pedagógica desde muito cedo, sobretudo se conduzida com sensibilidade e livre de estereótipos.

Luana Castro Alves

Licenciada em Letras e Pedagogia, redatora e revisora, entusiasta do universo da literatura, sempre à procura das palavras. "Não se pode escrever nada com indiferença." (Simone de Beauvoir)