Dúvidas da língua portuguesa: o que é a família de palavras?

Já não é novidade nenhuma que a língua portuguesa é uma das mais belas e complexas do mundo. Esta complexidade exige de nós, falantes e estudiosos do idioma, cuidados especiais na hora de registar as palavras no papel, afinal de contas, existem regras que precisam e devem ser respeitadas.

Só assim, conhecendo e explorando a nossa gramática, é possível preservar este inestimável património imaterial do nosso país, bem como de tantas outras nações com as quais o partilhamos.

Por falar em estudos, quando o tema em debate é a gramática normativa, é comum que surjam diversas dúvidas, pois como bem sabe, a língua portuguesa possui inúmeras exceções às regras, o que pode induzir em erro até mesmo os mais entendidos do assunto.

Neste artigo, partilhamos consigo tudo que sabemos acerca de um tópico que, embora faça parte dos ciclos de ensino primários, gera vários questionamentos: a família de palavras.

Continue a leitura e saiba mais!

O que é a família de palavras?

Por família de palavras – ou, se preferir, família lexical – entende-se:

Conjunto de palavras que se forma a partir de uma palavra primitiva. A este conjunto de palavras damos o nome de palavras derivadas, vocábulos que têm em comum uma mesma palavra primitiva ou radical.

Agora que já sabe o que é família de palavras, confira uma lista de substantivos derivados de palavras primitivas:

Palavra primitivaPalavras derivadas
Florfloração, flora, floral, floreado, floreio, flóreo, florescente, floricultura, florido, florista, florzinha
Chuvachuvada, chuvarada, chuveiro, chuvinha, chuvisco
Terraaterrado, aterro, enterrado, terreiro, terreno, terrestre, terrinha, território
Livrolivralhada, livraria, livreiro, livreto
Dentedentadura, dentição, dentina, dentista, dentuça
Papelpapelada, papelão, papelaria, papeleiro, papelinho, papiro
Sapatosapatada, sapatão, sapataria, sapateira, sapateiro, sapatinho
Jornaljornaleco, jornaleiro, jornalista
Ferroenferrujado, ferragem, ferreiro, férreo, ferrugem

Importante referir que, embora exista uma certa confusão acerca dos termos, família de palavras, campo lexical e campo semântico são conceitos distintos. Mais adiante falaremos sobre essas diferenças. Acompanhe.

Tipos de derivação

O processo de formação de palavras por meio do acréscimo de afixos (sufixos e prefixos) é designado por derivação. Existem cinco tipos:

1. Derivação prefixal (ou por prefixação)

Acrescenta-se um prefixo à palavra primitiva, cujo significado altera a semântica, isto é, o significado da palavra. Veja os exemplos:

  • feliz – infeliz (o prefixo in- traz um sentido de negação)
  • fiel – infiel (o prefixo in- traz um sentido de negação)
  • leal – desleal (o prefixo des- traz um sentido de negação)

2. Derivação sufixal (ou por sufixação)

É o processo de formação de substantivos, adjetivos, verbos e advérbios por meio do acréscimo de um sufixo ao radical de nomes. Os sufixos podem ser de três tipos, nomeadamente, nominais, verbais e adverbiais.

Os sufixos nominais derivam substantivos e adjetivos, ou formas aumentativas e diminutivas, ao unirem-se a radicais nominais ou verbais. Veja:

  • -ismo: racismo, surrealismo, consumismo,…
  • -ada: colherada, temporada, papelada,…
  • -aria: cafetaria, serralharia, gritaria,
  • -ário: funcionário, vestiário, relicário,…
  • -eiro: cabeleireiro, tinteiro, nevoeiro,…
  • -ado: amarelado, ajuizado, acostumado, animado,…
  • -al: final, anual, pessoal, conjugal,…
  • -ar: escolar, familiar, solar, lunar,…
  • -ão: garotão, papelão, paredão,…
  • -ona: mulherona, mocetona, florona,…
  • -alhão: facalhão, vagalhão, dramalhão,…
  • -inho/a: casinha, lisinho, lapisinho,…
  • -zinho/a: animalzinho, pezinho,…
  • -zito/a: pãozito, jardinzito, florzita,…
  • -ito/a: senhorita, casita, sapatito,…

Já os sufixos verbais unem-se a radicais nominais para formarem verbos. Confira os exemplos:

  • -ar: analisar, ingressar, caprichar, tapar, afixar, chiar, parafusar,…
  • -izar: ridicularizar, memorizar, tranquilizar, organizar, priorizar, agilizar,…
  • -ecer: anoitecer, espairecer, amolecer, enlouquecer, amanhecer,…
  • -ear: folhear, cabecear, casear, tapear, tatear, flautear,…

Quanto aos sufixos adverbiais, estes originam advérbios. A saber:

  • -mente: infelizmente, velozmente, levemente, docemente, absolutamente, rapidamente,…

3. Derivação parassintética (ou por parassíntese)

Neste tipo de derivação, ocorre um acréscimo simultâneo, isto é, tanto um sufixo, quanto um prefixo se somam a um determinado radical. Exemplo:

  • (en)tristecer: tristecer – palavra inexistente na língua entrist(ecer) entrist – palavra inexistente na língua.

Portanto a palavra entristecer foi formada por derivação parassintética.

4. Derivação imprópria

Processo de formação de palavras em que não há alteração da palavra primitiva, apenas da classe gramatical a qual a palavra pertence. Na derivação imprópria, é comum que verbos se transformem em substantivos, adjetivos em substantivos, advérbios em adjetivos, entre outras alterações. Observe:

O jantar está servido (jantar = substantivo)
Foram todos convidados para o jantar. (jantar = verbo)
Vamos andar para espairecer um pouco. (andar = verbo)
O andar daquele rapaz é fascinante. (andar = substantivo)
Vamos olhar para as coisas boas da vida. (olhar = verbo)
O teu olhar é o mais belo que já vi. (olhar = substantivo)

5. Derivação regressiva

Na derivação regressiva, ocorre a redução da palavra primitiva para a formação da palavra derivada. Observe:

  • abalo (do verbo abalar);
  • agito (do verbo agitar);
  • ajuda (do verbo ajudar);
  • alcance (do verbo alcançar);
  • amasso (do verbo amassar);
  • amostra (do verbo amostrar);
  • amparo (do verbo amparar);
  • ataque (do verbo atacar);
  • atraso (do verbo atrasar);
  • caça (do verbo caçar);
  • castigo (do verbo castigar).

Do que se trata o campo lexical?

Como referido, família de palavras é um conjunto de palavras que se originam de uma palavra primitiva. Já a família lexical é um conjunto de palavras que faz referência a uma mesma área ou campo lexical, isto é, vocábulos associados cuja união se dá em razão de uma similaridade conceptual tendo por base o seu significado.

Confira alguns exemplos:

  • Campo lexical de escola: escolar, escolarizado, mochila, aprendizagem, estudo, matéria, disciplina, turma, livros, biblioteca, diretor, etc.
  • Campo lexical de informática: software, hardware, programas, computador, sites, internet, portal, blog, pen drive, gigabyte, memória RAM etc.
  • Campo lexical de teatro: atuação, expressão, palco, figurino, tablado, camarim, maquilhagem, etc.
  • Campo lexical de flor: florir, florido, margarida, rosa, girassol, copo de leite, cravo, florista, etc.
  • Campo lexical dos sentimentos: amor, carinho, saudade, tristeza, ternura, melancolia, nostalgia, etc.
  • Campo lexical da linguagem bíblica: Jesus, Novo Testamento, Deus, Velho Testamento, apóstolos, mandamentos, discípulos, etc.
  • Campo lexical do futebol: campo, defesa, atacante, baliza, árbitro, bola, estádio, equipa, etc.
  • Campo lexical de casa: quarto, varanda, quintal, casa de banho, sala, garagem, etc.

O que é campo semântico?

Agora que já sabe a diferença entre família de palavras e campo lexical, que tal entender melhor o conceito de campo semântico para, definitivamente, pôr fim às dúvidas?

Pois bem, entende-se por campo semântico o conjunto de todos os significados que esta palavra pode assumir de acordo com um determinado contexto, ou seja, estas palavras partilham entre si o mesmo valor semântico. Ainda não ficou claro? Então confira os exemplos infra:

  • Campo semântico de morrer: falecer, apagar, bater a bota, passar para um plano superior, apagar, foi para o céu, etc.
  • Campo semântico de fabricar: construir, montar, criar, projetar, edificar, confecionar, fazer, elaborar, etc.
  • Campo semântico de partir: sair, ir embora, dar o fora, sumir, morrer, quebrar, espatifar, etc.
  • Campo semântico de cansaço: canseira, fadiga, esgotado, pregado, lombeira, prostrado, exausto, etc.
  • Campo semântico de brincadeira: divertimento, distração, piada, gozação, palhaçada, etc.

Portanto, podemos afirmar que o campo semântico de uma palavra ou expressão é o acervo que acessamos com a finalidade de alcançar a interação pretendida com o nosso interlocutor. Ou seja, graças ao campo semântico é possível viabilizar as diversas situações comunicacionais nas quais estamos inseridos no dia a dia.

Como certamente constatou a língua portuguesa está cheia de especificidades, por isso vale a pena ficar atento a cada uma delas para melhor compreender o funcionamento deste fascinante idioma!

Neste artigo aprendeu o que é família de palavras, tipos de derivação e diferenças entre família de palavras, campo lexical e campo semântico – temas distintos, mas que podem gerar dúvidas em relação à conceituação.

Agora que já está por dentro do assunto, isto é, família de palavras, não deixe de partilhar este conteúdo com os seus amigos, que assim como você também gostam de estudar o nosso idioma. Bons estudos!

Luana Castro Alves

Licenciada em Letras e Pedagogia, redatora e revisora, entusiasta do universo da literatura, sempre à procura das palavras. "Não se pode escrever nada com indiferença." (Simone de Beauvoir)