Estrabismo: o que é, tipos, causas, sintomas e tratamentos

Certamente conhece alguém que não tem os olhos alinhados normalmente. Tal acontece devido a um problema conhecido como estrabismo, que impossibilita que os músculos dos olhos funcionem corretamente. O que acontece normalmente é que enquanto um dos olhos fixa um objeto, o outro é desviado para um outro lugar. Por este motivo, o cérebro recebe duas imagens diferentes.

Neste artigo abordamos o estrabismo, procurando dar resposta a algumas das questões mais comuns, nomeadamente quais as suas causas, sintomas e tratamentos. Boa leitura!

O que é estrabismo?

O estrabismo é um problema comum da visão (afeta cerca de 4% da população) caracterizado pelo desalinhamento dos olhos. Em situações normais, os seis músculos que controlam o movimento dos olhos trabalham em conjunto e apontam os dois olhos na mesma direção.

No entanto, quem sofre de estrabismo não consegue controlar eficazmente os movimentos oculares, ou seja, ambos os olhos não são capazes de olhar para o mesmo local ao mesmo tempo.

Caso não seja tratado, o desalinhamento da visão pode ter consequências sérias para a saúde visual. Regra geral, este problema afeta sobretudo as crianças, podendo manifestar-se desde o nascimento ou iniciar-se mais tarde.

Quais os tipos de estrabismo?

Existem diferentes tipos de estrabismo, sendo que cada um deles é classificado de acordo com a direção do olho desalinhado:

TiposCaracterísticas
EsotropiaQuando o olho é voltado para dentro.
ExotropiaQuando o olho se volta para fora.
HipertropiaQuando o olho é voltado para cima.
HipotropiaQuando o olho é voltado para baixo.

Quais as causas do estrabismo?

O movimento dos nossos olhos é guiado por alguns músculos que comandam o nosso sistema nervoso. Esses músculos precisam de funcionar igualmente para que os nossos olhos se mantenham alinhados. Porém, alguns fatores podem fazer com que esse alinhamento não aconteça, causando o estrabismo. São eles:

  • Dificuldade motora para coordenar o movimento dos olhos;
  • Hipermetropia de grau elevado;
  • Baixa visão num dos olhos;
  • Doenças neurológicas como o AVC, paralisia ou traumas;
  • Doenças genéticas, como a Síndrome de Down;
  • Doenças oculares, como a catarata congénita;
  • Doenças infeciosas, como encefalite e meningite;
  • Doenças da tiroide;
  • Diabetes;
  • Doença hereditária.

Quais os sintomas do estrabismo?

O sintoma mais comum do estrabismo é o desvio dos olhos, ou seja, quando um olho não fica alinhado com o outro. No entanto, existem ainda outros sintomas que podem variar de acordo com a idade em que o estrabismo se começa a manifestar em cada pessoa. São alguns deles:

  • Visão dupla;
  • Dores de cabeça;
  • Torcicolos;
  • Diminuição da nitidez de um olho.

Quais as consequências do estrabismo?

Além do desvio dos olhos, o estrabismo pode originar consequências mais graves, como a perda da visão de um olho. Tal ocorre porque um dos olhos assume o controlo da visão, enquanto o olho desviado não será utilizado, e assim gradualmente, este perde a sua função visual. Este problema é chamado de ambliopia.

Como é feito o diagnóstico do estrabismo?

Somente um oftalmologista pode realizar um diagnóstico preciso do estrabismo, identificar o seu tipo e realizar o melhor tratamento para cada caso. O oftalmologista realiza uma série de testes para verificar o estado em que os olhos se encontram, entre os quais:

  • teste de reflexo na córnea, para verificar o desvio;
  • teste de acuidade, para saber se a pessoa consegue ler bem à distância;
  • teste para medir o desvio e o movimento dos olhos;
  • exame do fundo da retina para examinar a parte de trás dos olhos.

Este diagnóstico, se feito precocemente, pode evitar a perda da visão. Todos os bebés com mais de quatro meses de idade podem fazer um exame face a suspeitas de estrabismo, que inclui:

  • Historial médico do paciente;
  • Histórico familiar;
  • Problemas gerais de saúde;
  • Medicamentos em uso;
  • Exame da acuidade visual;
  • Exame de refração;
  • Testes de alinhamento e de foco;
  • Exame após dilatação das pupilas para determinar a saúde das estruturas oculares internas.

Como é feito o tratamento do estrabismo?

O tratamento do estrabismo é feito para alinhar os olhos e devolver o sentido da visão, sendo que esse tratamento varia de acordo com o grau de estrabismo de cada pessoa. Em alguns casos, somente o uso de óculos pode resolver a situação do estrabismo. Já em outros, pode ser necessário recorrer-se a uma cirurgia.

Como é feita a cirurgia do estrabismo?

A cirurgia consiste em mudar a posição dos músculos ou em encurtá-los de acordo com o tipo de estrabismo. Para corrigir o problema, o médico cirurgião faz um pequeno corte no tecido que cobre o olho para chegar até aos músculos do mesmo. De seguida, o médico reposiciona os músculos do olho de maneira a que estes acompanhem a rotação dos olhos.

Em alguns casos, pode ser necessário realizar a cirurgia nos dois olhos. No entanto, a recuperação é, em geral, rápida e tranquila. O tempo médio da intervenção é de 30 minutos para desvios pequenos e pode variar entre 40 e 50 minutos para desvios maiores.

Há quem acredite que o estrabismo pode “desaparecer” com o tempo, mas tal afirmação não é verdadeira. No caso das crianças, se verificar qualquer sinal de desvio nos olhos, procure um médico o mais rápido possível.

O estrabismo pode ser corrigido em qualquer idade, mas os resultados são melhores quando o tratamento é iniciado cedo e seguido à risca. Por isso, ao sinal de qualquer desvio nos olhos ou outro sintoma, lembre-se de procurar um médico.

Esperamos que este artigo tenha tirado as suas dúvidas. Cuide-se!

Catarina Fonseca

Desde cedo uma curiosa nata, decidiu seguir Ciências da Comunicação para desenvolver a sua paixão pelo jornalismo e pela escrita. Agora formada, gosta de se aventurar pelo mundo, conhecer novas pessoas e culturas, e leva sempre um caderno e câmara fotográfica às costas para eternizar as suas experiências.