Filhos adolescentes? Descubra como lidar com as crises da adolescência

Antes de falarmos sobre as crises da adolescência e os conflitos geracionais tão típicos desta idade, é necessário que façamos uma breve definição deste importante momento do ciclo vital humano.

Afinal, o que é a adolescência?

A adolescência é o período compreendido entre o fim da infância e o início da vida adulta e é marcado por grandes transformações corporais, sociais e psicológicas que a tornam numa fase única de descobertas e ao mesmo tempo repleta de incertezas, medos e inseguranças. Assim como os próprios adolescentes tendem a vivenciar este momento de forma bastante intensa, os adultos que com eles se relacionam vêem-se, não raras vezes, diante de um grande desafio: como identificar e superar as crises típicas da adolescência de maneira saudável?

As crises da adolescência

Ao pensar na adolescência dos filhos, os pais revivem a sua própria juventude e temem que a relação pais-filhos, construída desde o nascimento e durante toda a infância, seja abalada pelos comportamentos típicos desta fase.

Os adolescentes passam a adotar uma postura de distanciamento em relação aos adultos, criando um universo próprio e de difícil acesso aos pais, que percebem que a autonomia que tinham sobre os filhos até então, está ameaçada.

Além disso, os adolescentes podem ficar “respondões”, desafiar a autoridade dos pais e fazer tudo ao contrário do que por estes é esperado. E é geralmente neste momento em que os pais se apercebem que estão perante uma situação desafiante: lidar com os comportamentos rebeldes dos filhos adolescentes ao mesmo tempo que tentam manter uma boa relação com estes.

Por que ocorrem crises na adolescência?

Uma vez que a adolescência é o intervalo entre a infância e a vida adulta, o indivíduo que entra na adolescência deixa de ser criança, perdendo certas características e privilégios típicos da infância, no entanto também não é adulto, logo, não tem permissão para ocupar espaços de adultos e realizar atividades consideradas exclusivas destes.

Por isso, o adolescente vê-se diante de uma grande crise de identidade: quem de facto sou eu? Esse conflito, associado à produção hormonal característica desta fase, faz com que o adolescente passe a exibir comportamentos típicos de rebeldia com o intuito de tentar criar uma identidade e ser reconhecido pelos adultos.

Como enfrentar as crises da adolescência?

Como previamente referido, enfrentar a adolescência pode não é seguramente um mar de rosas, no entanto pode ser mais simples do que muitas vezes parece. Para o efeito, deixamos-lhe algumas dicas que poderá seguir:

Fique atento aos sinais da adolescência

O primeiro passo é estar alerta para quando a adolescência chegar. Os jovens dão sinais de que estão a “abandonar” a infância e a entrar num momento de transição para a vida adulta. Na maioria das vezes os sinais corporais são os mais evidentes: nos rapazes, começam a surgir pelos no rosto e a voz engrossa, já nas raparigas os seios começam a crescer e, eventualmente, ocorre a primeira menstruação. Perceber estes sinais prepara os pais para também abandonar a infância dos filhos e viver com estes a fase seguinte.

Estabeleça um diálogo franco

Ao perceber os sinais da adolescência, convide o adolescente para conversar sobre as mudanças que estão a ocorrer no seu corpo. Ouça atentamente as questões que o jovem possa ter e responda de maneira franca e objetiva. Muitas vezes o jovem começa a apresentar sinais de rebeldia dado ter muitas dúvidas e não entender ao certo a fase pela qual está a passar. O diálogo é uma potente ferramenta para melhor enfrentar as crises da adolescência.

Mantenha uma relação de confiança

Não basta apenas explicar para o jovem o momento pelo qual ele está a passar. É preciso que este diálogo seja baseado numa relação de confiança. Deixe claro para ao jovem que estará sempre à sua disposição para conversar sobre todos os aspectos deste novo ciclo e coloque-se como uma figura em que este poderá sempre confiar. Vida escolar e social, planear o futuro, sexualidade, escolha da profissão são alguns dos assuntos que fazem parte deste reportório.

Equilíbrio entre os limites e a liberdade

O adolescente está numa fase de descobertas e naturalmente irá desejar explorar ao máximo o universo que o rodeia. Estabeleça regras e horários para que o adolescente possa desfrutar de momentos de lazer de maneira saudável e sem perder a “disciplina”.

Valide os sentimentos do adolescente

Lembre-se que é o adolescente que está a passar pela crise e que muitas vezes está cercado por angústias e inseguranças. Acolha os sentimentos dos adolescentes: se o jovem está angustiado por conta da escolha profissional, do início da vida sexual, ou outro, escute-o e conforte-o. O interesse dos adultos pelas emoções do adolescente desperta no jovem a sensação de ter a sua identidade reconhecida e respeitada e essa é a maneira mais eficaz de manter saudável a relação entre pais e filhos na adolescência.

A redação do trabalhador.pt

Adicionar comentário