Gengivite: o que é, sintomas, causas e tratamento

A higiene oral é algo extremamente importante para manter um bom hálito e um sorriso bonito, além disso também é responsável pela saúde de nossos dentes e gengivas.

A falta de higienização oral, pode causar inúmeros problemas que vão muito além do mau hálito. Entre as principais consequências da falta de higiene oral, estão as cáries, a formação de placa bacteriana, o tártaro e, não menos importante, a gengivite.

Sempre que pensamos na saúde é importante ter noção que a prevenção é a melhor forma de assegurarmos uma vida saudável, não obstante os grandes avanços da medicina. Com os nossos dentes não é diferente.

Desta forma, é importante que, para além da higienização oral e das idas regulares ao dentista, façamos um autoexame da boca frequentemente, de forma a aferir precocemente qualquer alteração ou aparência estranha nas gengivas e dentes.

Negligenciar a higiene oral, pode ainda levar a problemas de saúde mais graves, como má circulação e problemas cardíacos, dado que as bactérias existentes na boca (como a placa bacteriana), podem entrar na nossa corrente sanguínea – mas disto falaremos mais à frente.

Neste artigo, abordamos a gengivite, procurando dar resposta a algumas das perguntas mais frequentes sobre esta condições, designadamente em que consiste, quais as suas causas e sintomas e, não menos importante, como a prevenir.

O que é a gengivite?

A gengivite é uma doença periodontal, que consiste na inflamação das gengivas pela placa bacteriana, podendo afetar os dentes. Regra geral, esta doença causa inchaço nas gengivas e sangramento ao escovar os dentes ou ao passar fio dental.

Este processo de inflamação ocorre geralmente, devido à falta ou mesmo ausência de higiene oral. Normalmente a gengivite é facilmente tratada, por ser o primeiro estágio das doenças periodontais (infeções bacterianas nos tecidos de sustentação do dente: osso, ligamento periodontal e gengiva).

É importante procurar um profissional assim que detetar alguma alteração nas gengivas. Pois o tratamento precoce da gengivite evitará que a doença evolua para um quadro mais grave, afetando a estrutura óssea, podendo causar a perda do dente (periodontite).

Além disso, alguns estudos indicam que o agravamento da gengivite, pode levar as bactérias acumuladas nas bolsas periodontais (entre as gengivas e o osso), a entrarem na corrente sanguínea, podendo causar problemas circulatórios e no coração.

Quais as causas da gengivite?

Como já referimos, a falta de hábitos de higiene oral é uma das principais causas da gengivite. A acumulação de resíduos de alimentos na boca leva, entre outros, à formação de placa bacteriana – película fina e transparente constituída por bactérias a açúcares que se acumulam em redor dos dentes e das gengivas.

Caso a placa não seja removida, poderá transformar-se em tártaro, potencialmente causando a destruição das fibras das gengivsa, alterando a estrutura óssea dos dentes, potencialmente levando a uma periodontite.

A má oclusão dentária (quando os dentes superiores e inferiores não encaixam), as cáries, a ausência de restauração, a baixa produção de saliva, os medicamentos, o tabaco e a exposição a metais pesados, como o chumbo, são outras das principais causas da gengivite.

As alterações hormonais ocorridas durante a gravidez são também apontadas, por alguns estudos, como uma possível causa da gengivite.

Não obstante, existem outros problemas de saúde que parecem estar relacionados com a gengivite como por exemplo: a herpes labial, a leucemia, a epilepsia, a diabetes, a hipovitaminose (falta de uma ou mais vitaminas no organismo) e as reações alérgicas.

Quais os sintomas da gengivite?

Sem prejuízo das visitas regulares ao seu médico dentista, é importante que faça um autoexame com frequência para verificar alguma alteração nas gengivas e nos dentes.

Ao perceber alterações como mau hálito, vermelhidão das gengivas e sangramento espontâneo, ou quando escova os dentes, recomendamos que consulte o seu médico dentista, dado que poderá tratar-se de uma quadro de gengivite.

Entre os principais sintomas da gengivite, destacamos:

  • Sensibilidade dentária;
  • Raiz exposta;
  • Inflamação extensa;
  • Pus nas gengivas;
  • “Mau gosto” na boca;
  • Dor nas gengivas.

Qual o tratamento para a gengivite?

Como já referimos, é importante consultar o seu médico dentista assim que detetar alguma alteração nas gengivas, dado que o tratamento precoce da gengivite poderá evitar que a doença evolua para um quadro mais grave, afetando a estrutura óssea e podendo causar a perda dos dentes.

Regra geral, o tratamento de gengivite é algo simples, começando em casa, através de uma adequada e diária higienização dos dentes. O ato de escovar os dentes pode parecer uma prática simples, ninguém melhor que um médico dentista para lhe dar as orientações necessárias de como realizar a escovação de maneira eficiente.

Caso a placa bacteriana já tenha formado tártaro, será necessário realizar um procedimento de raspagem em cima e em baixo das gengivas, feita com instrumentos específicos, realizada por médico dentista em consultório. Em alguns casos mais avançados da doença, a indicação de antibióticos e anti-inflamatórios poderá ser uma medida necessária para tratar a gengivite.

Nos casos mais graves de gengivite (periodontite), em que os tratamentos acima não surtem o resultado desejado, poderá ser indicada a realização de uma cirurgia periodontal.

Como prevenir a gengivite?

Não existe uma fórmula mágica. A melhor forma de prevenir a gengivite é cuidar adequadamente da sua higiene oral, nomeadamente através das seguintes pequenas ações:

  • Escovar os dentes, pelo menos três vezes por dia, tanto do lado de fora (lado das bochechas e lábios), como do lado de dentro (lado da língua e céu da boca);
  • Escovar os dentes antes de ir para a cama, mesmo que já os tenha escovado após as refeições;
  • Utilizar um elixir oral sem álcool – ajuda no combate à placa bacteriana;
  • Passar fio dental entre os dentes, pelo menos uma vez por dia;
  • Moderar a ingestão de alimentos e bebidas doces, principalmente se não puder escovar os dentes logo após o seu consumo;
  • Evitar o tabagismo;
  • Consultar o seu médico dentista frequentemente.

Estas são algumas das ações que podem ajudar a evitar a gengivite, bem como uma grande parte dos problemas bucais. Como referimos, o acompanhamento do seu médico dentista é fundamental para detetar e tratar a gengivite.

A redação do trabalhador.pt