Homeopatia: uma terapia alternativa segura e benéfica?

A homeopatia é um tipo de medicina alternativa capaz de trazer inúmeros benefícios para o corpo humano e, no geral, para a qualidade de vida das pessoas. Se estiver apenas agora a descobrir esta terapia, não se engane, pois este não é um método medicinal inovador ou recente.

Na verdade, a homeopatia foi criada há cerca de 200 anos, mas só recentemente passou a receber a atenção de investigadores do Ocidente e de adeptos que pretendem testar a sua eficácia.

Neste artigo, explicamos no que consiste a homeopatia, quais os seus benefícios, efeitos colaterais, entre outras questões.

O que é a homeopatia?

A homeopatia é uma terapia não convencional

A homeopatia é uma terapia não convencional desenvolvida pelo médico Samuel Hahnemann há mais de 200 anos. Esta é uma medicina alternativa, que consiste na administração de medicamentos diluídos como forma de permitir ao corpo curar-se a si próprio. No decorrer da sua investigação, Hahnemann concluiu que determinadas substâncias não podiam ser usadas em grandes doses, e como tal, precisaria de as diluir.

Assim, a homeopatia olha para os sintomas como um sinal de desequilíbrio no organismo do ser humano. Como tal, de forma a evitar o desenvolvimento de certas doenças, a homeopatia pretende estimular as defesas do organismo, e consequentemente, voltar a encontrar o equilíbrio desejado.

Referir ainda que todas as pessoas, independentemente da idade, podem recorrer à homeopatia sem qualquer problema. Normalmente, as crianças ingerem os glóbulos e os mais idosos, que apresentam dificuldade em ingerir medicamentos, podem optar pelas gotas.

A homeopatia apresenta efeitos colaterais?

Depende. Regra geral, a homeopatia é considerada uma terpia extremamente segura por utilizar doses ultra diluídas, o que reduz significativamente o risco de surgimento de efeitos colaterais.

No entanto, a ingestão de doses erradas pode provocar consequências negativas. Por esta razão, antes de qualquer terapêutica (homeopatia) deve-se sempre consultar um médico para este aconselhar a dosagem indicada tendo em conta o sexo, peso, idade, e estado de saúde do paciente.

O que são medicamentos homeopáticos?

Os medicamentos homeopáticos são criados através de substâncias naturais

Os medicamentos homeopáticos são criados através de substâncias naturais de origem vegetal, animal e mineral/química. Estas substâncias são manipuladas e diluídas de modo a fornecerem pequenas doses de um princípio ativo, que quando ingeridas corretamente, restabelecem o equilíbrio do corpo humano.

É através do processo de diluição que as substâncias perdem a sua toxicidade, mas mantêm o seu efeito terapêutico. Portanto, não precisa de se preocupar com a segurança destes medicamentos, já que são todos criados de forma orgânica e natural, estando livres de compostos químicos ou tóxicos prejudiciais à saúde.

Como tomar os medicamentos homeopáticos?

Estes medicamentos apresentam-se de várias formas, entre as quais, glóbulos e grânulos, mas também existem formas farmacêuticas disponíveis no mercado como gotas, xaropes, supositórios ou pomadas. Mas como é que se toma corretamente estes medicamentos?

Bem, os glóbulos e grânulos devem ser passados suavemente do frasco para a tampa, e desta diretamente para a boca do indivíduo, onde são dissolvidos. Quanto às gotas, estas devem ser tomadas na sua forma mais pura, sem qualquer acompanhamento, com a exceção da água.

É importante ter ainda em conta que a ingestão de alimentos com cheiro ou paladar potentes não é recomendada entre 15 a 30 minutos antes e depois de tomar o medicamento. O mesmo se aplica ao tabaco e ao café.

No que toca às doses e intervalo de tempo entre as mesmas, tudo depende da idade, sexo e peso da pessoa em questão. Portanto, é sempre necessário aconselhar-se junto de um médico para se certificar de que ingere a dosagem correta.

Rótulos dos medicamentos homeopáticos

No rótulo destes medicamentos há uma letra que designa uma escala de diluição do medicamento

Já alguma vez encontrou as letras CH, D, X, LM ou L no rótulo de algum medicamento? É provável que sim, e é mais provável ainda que não saiba o significado das mesmas. Mas se não está familiarizado com a homeopatia, nós explicamos:

Primeiro, vamos começar pelo significado propriamente dito destas letras:

  • CH – Diluição Centesimal Hahnemanniana (a mais comum);
  • D ou X – Diluição Decimal Hahnemanniana;
  • LM ou L – Diluição Cinquenta Milesimal;

Cada letra designa uma escala de diluição do medicamento. Por exemplo, um medicamento cujo rótulo indica “15CH”, é um medicamento homeopático que sofreu 15 diluições sucessivas, de acordo com a escala de diluição centesimal de Hahnemann.

De seguida, explicamos um pouco melhor o nível das diluições dos medicamos usados na homeopatia:

Nível de diluiçãoDescrição
5 CH (diluições baixas)Usadas para situações agudas como uma picada de mosquito.
7CH ou 9CH (diluições intermédias)Usadas em situações como dores musculares.
15 CH ou 30 CH (diluições mais altas)Usadas em situações como stress e ansiedade.

Para que serve a homeopatia?

A homeopatia tem como propósito o tratamento de alguns problemas físicos e psicológicos

Os medicamentos homeopáticos são utilizados para tratar vários problemas, tanto a nível físico como psicológico, entre os quais:

Apesar dos medicamentos homeopáticos não contribuírem para a cura do cancro, estes podem ser usados para reduzir sintomas associados à quimioterapia e radioterapia.

Além disso, sabia que a homeopatia é uma das terapias não convencionais mais utilizadas em crianças? É verdade, esta técnica é principalmente usada nos mais pequenos para tratar problemas dermatológicos, problemas da garganta e ouvidos (otites) e problemas respiratórios.

É ainda importante saber que os tratamentos de homeopatia podem ser usados como complementos aos tratamentos convencionais, mas em alguns casos, podem mesmo substituí-los. No entanto, aconselhe-se sempre junto de um médico antes de ingerir estes medicamentos.

O que diz a lei quanto a estes medicamentos?

A homeopatia e os medicamentos homeopáticos estão enquadrados legalmente

Em Portugal, de acordo com o Decreto-Lei n.º 176/2006, os medicamentos homeopáticos são considerados medicamentos não sujeitos a receita médica, exceto nos seguintes casos em que:

  • Possam ser um risco para a saúde do doente, direta ou indiretamente, até mesmo quando são usados para o fim a que se destinam, se forem utilizados sem vigilância médica;
  • Possam ser um risco, direto ou indireto, para a saúde, quando são utilizados com frequência em quantidades consideráveis para fins diferentes daquele a que se destinam;
  • Contenham substâncias, ou preparações à base dessas substâncias, cuja atividade ou reação adversas seja indispensável aprofundar;
  • Se destinem a ser administrados por via parentérica.

Se após ler este artigo ficou interessado em fazer uso da homeopatia, procure um médico especializado que consiga orientá-lo da melhor forma possível. Regra geral, a homeopatia é eficaz e segura, desde que siga as recomendações de um profissional.

Esperamos que o tenhamos ajudado a aprender algo de novo com a informação aqui disponibilizada!

Catarina Fonseca

Desde cedo uma curiosa nata, decidiu seguir Ciências da Comunicação para desenvolver a sua paixão pelo jornalismo e pela escrita. Agora formada, gosta de se aventurar pelo mundo, conhecer novas pessoas e culturas, e leva sempre um caderno e câmara fotográfica às costas para eternizar as suas experiências.