Hormonas da felicidade: o segredo do bem estar?

Certamente já experimentou a maravilhosa sensação de estar apaixonado. De sentir a brisa no rosto durante uma caminhada no parque. De ouvir um “amo-te” dos seus filhos e logo depois ganhar um demorado abraço. De estar em família, entre amigos e celebrar a vida. Todos estes momentos de prazer e êxtase são gerados por algo conhecido como hormonas da felicidade, nomeadamente a endorfina, dopamina, serotonina e ocitocina.

Mas o que são, exatamente, as hormonas da felicidade? Tratam-se de neurotransmissores capazes de gerar sensações como alegria, euforia, bem estar, entre tantas outras que garantem o perfeito funcionamento do seu organismo e equilibram o humor. Estas substâncias são produzidas pelo cérebro, e atuam como mensageiras que potencializam e modulam reações corporais. Podem ser classificadas como excitatórias (quando provocam a ação) e inibitórias (quando acalmam as atividades locais).

Quando há um desequilíbrio das hormonas da felicidade, o nosso corpo pode provocar uma verdadeira rebelião, despertando uma série de problemas como insónias, stress, aumento do peso corporal e o temido mau humor. Além disso, podem causar desmotivação, procrastinação e, em casos mais graves, até mesmo depressão.

Não obstante, é possível adotar alguns hábitos para evitar que esse desequilíbrio ocorra. Quer saber quais? Então continue a leitura deste artigo e saiba mais sobre as hormonas da felicidade.

Quais as funções das hormonas da felicidade?

As hormonas da felicidade, como referido, são neurotransmissores que atuam como mensageiros químicos. São estes que transportam, estimulam e equilibram os sinais entre os neurónios, células nervosas e outras células do corpo. Quando são libertados, atravessam a lacuna entre as células e ligam-se a outro neurónio e, de acordo com suas características, podem estimular ou inibir o neurónio recetor.

Mas engana-se quem acredita que as hormonas da felicidade atuam apenas na produção das sensações; também têm influência sobre uma grande variedade de funções físicas, entre elas, a frequência cardíaca, o sono e até o apetite. Confira abaixo as principais funções de cada uma delas e como estimular a sua produção:

Dopamina

A dopamina é a hormona responsável pela sensação de felicidade, bem estar e motivação. Porém, também pode ser a causadora do aumento da ansiedade. Podemos resumir referindo que a dopamina é o neurotransmissor que regula os processos motivacionais, impulsionando-nos a atingir os nossos objetivos.

Formas de estimular a dopamina:

  • Atinja as metas a que se propõe;
  • Pratique exercício físico regularmente;
  • Reforce o sistema antioxidante com uma dieta rica em betacaroteno, vitamina C, vitamina E e minerais;
  • Pratique meditação.

Serotonina

Encontrada principalmente no sistema nervoso central, no trato gastrointestinal e nas plaquetas, a serotonina ajuda a equilibrar o humor, levando à sensação de prazer e bem estar. Além disso, esta hormona da felicidade impulsiona a vida sexual, o sono, o apetite, a memória e equilibra a temperatura corporal. A sua ausência no cérebro pode provocar mau humor e depressão.

Como estimular a serotonina:

  • Cuide bem de si;
  • Tome banhos de sol, a exposição solar moderada tem vários benéficos;
  • Ingira 5-HTP (um aminoácido natural que pode ser suplementado por via oral);
  • Pratique meditação.

Endorfina

Esta hormona da felicidade é libertada pelo organismo em situações de dor e stress, atuando como um poderoso analgésico que nos faz sentir menos desconforto. Ademais, a endorfina ajuda no controlo da resposta do corpo ao stress. É importante também para a regulação da produção de outras hormonas, bem como para a inibição do crescimento de células cancerígenas.

Formas de estimular a endorfina:

  • Tome banhos frios;
  • Exercite-te com mais intensidade;
  • Respeite o seu sono;
  • Apanhe banhos de sol;
  • Saia com os seus amigos;
  • Opte por alimentos que aumentem os níveis de endorfina (chocolate, pimenta, aveia, alface e sementes de abóbora e girassol);
  • Ingira alimentos saborosos (com moderação);
  • Faça acupuntura.

Ocitocina

É a responsável pela sensação de confiança, auxiliando na criação de laços afetivos nos relacionamentos em geral. É conhecida também como “hormona do amor”, visto que potencializa o desejo sexual feminino e o orgasmo masculino. Também é produzida durante o parto, estimulando as contrações do útero, bem como durante a  amamentação, ajudando a libertar o leite materno.

Como estimular a ocitocina:

  • Abrace demoradamente quem ama;
  • Tenha relações sexuais;
  • Tome sol;
  • Relaxe e tire um tempo para si;
  • Tome a hormona (a ocitocina pode ser ingerida diretamente, sob receita médica).

Como estimular a produção de hormonas da felicidade?

Alguns alimentos têm o poder de libertar a sensação de bem estar no nosso corpo, bem como estimular as hormonas da felicidade, o que diminuirá o stress, a depressão e a ansiedade. Quer saber quais são os melhores e porque não podem faltar no seu cardápio? Entenda:

  • Proteínas: carnes, ovos, leites e derivados possuem grandes quantidades de triptofano, aminoácido importante para a formação da serotonina.
  • Aveia: os hidratos de carbono presentes na aveia elevam os níveis de insulina, o que facilita a absorção de triptofano. É por esta razão que dietas restritivas não devem ser adotadas, visto que eliminar os hidratos de carbono pode deixar as pessoas mal humoradas.
  • Banana: fonte de vitamina B6, responsável por prevenir a ansiedade e a irritação, a banana é uma fonte de hidratos de carbono que estimulam a produção de serotonina.
  • Vegetais com folhas escuras: são fontes de potássio e ácido fólico, que auxiliam nos quadros de depressão. Na falta destes elementos, o corpo demonstra cansaço, insónia, apatia e fraqueza.
  • Oleaginosas: nozes, castanhas e amêndoas são fontes dos minerais magnésio, cobre e selênio, responsáveis por melhorar o humor, visto que são considerados antidepressivos naturais.
  • Peixes e frutos do mar: o salmão e a sardinha são peixes ricos em ómega 3, ácido graxo que aumenta a produção dos recetores de neurotransmissores. Além disso, combatem a ansiedade e o cansaço.
  • Laranja: fonte de vitamina C e cálcio, diminui a quantidade de hormonas que provocam o stress físico e emocional.
  • Chocolate: o chocolate amargo é fonte de triptofano e possui teobromina, um alcaloide da família da cafeína que possui efeito estimulante. Ademais, o magnésio presente no chocolate é eficiente para diminuir os sintomas da TPM (Tensão Pré-Menstrual).

Como pôde perceber, aliar a prática de atividade física, momentos de prazer e uma alimentação equilibrada fazem parte dos segredos do sucesso para a produção das hormonas da felicidade, pois são esses hábitos que proporcionarão a libertação dos neurotransmissores na corrente sanguínea.

Quem já é adepto de uma vida mais saudável sofre menos com o stress, a depressão e a ansiedade. Por isso, invista no seu bem estar e impulsione a produção das hormonas da felicidade,  carinhosamente apelidadas de “quarteto fantástico”. Cuide-se!

Luana Castro Alves

Licenciada em Letras e Pedagogia, redatora e revisora, entusiasta do universo da literatura, sempre à procura das palavras. "Não se pode escrever nada com indiferença." (Simone de Beauvoir)