Joanete: o que é, sintomas, causas e tratamentos

Um desalinhamento entre os ossos e as articulações dos dedos dos pés. Estamos a falar do incómodo (e feio) joanete, uma deformidade óssea cuja evolução pode fazer com que o “dedo grande do pé” empurre, se sobreponha ou se coloque debaixo de outros dedos. Parece complexo? Nós explicamos.

Engana-se quem pensa que a saliência não causa nenhum transtorno além do estético: na verdade, o joanete tem como principal consequência comprometer a distribuição do peso nos pés, facto que prejudica e prejudica várias articulações do corpo.

Sofre deste problema ou conhece alguém que sofra com os joanetes? Então aproveite para conhecer algumas das informações que partilhamos neste. Entre outros aspetos, procuramos responder a algumas das perguntas mais frequentes, nomeadamente: o que é o joanete, as suas causas, sintomas, consequências e possíveis tratamentos.

Além disso, conheça todas as recomendações para evitar que o joanete, uma deformidade bastante comum, aconteça consigo. Boa leitura e cuide-se!

O que é o joanete?

Como referido, o joanete é uma deformidade óssea, nomeadamente uma saliência, encontrada na base do longo osso que liga os dedos à parte central dos pés, o metatarso. O joanete contece quando o dedo grande do pé (ou hálux, de acordo com a nomenclatura médica) sofre um desvio e aproxima-se do segundo dedo. Desta forma, é incorreto dizer que o joanete é “um osso que cresceu demais”.

Os nossos pés são estruturas complexas, formadas por 19 músculos, 26 ossos, 107 ligamentos, 33 articulações e um grande número de tendões. Por isso, não é de se estranhar que alterações anatómicas possam ocorrer, entre elas o joanete. Em alguns casos, o joanete em nada tem a ver com alterações no dedo grande do pé, mas sim com o desvio do quinto osso metatársico que se encontra na base do dedo mindinho do pé.

Qual a prevalência e causas do joanete?

Não é muito difícil deparar-se com um joanete. Isto porque esta é a deformidade mais comum nos pés dos adultos, sobretudo da população feminina. Sabe porquê? Porque uma boa parte das mulheres costuma fazer uso prolongado e indiscriminado de sapatos de salto alto, hábito que acelera o surgimento do joanete. Este tipo de calçado projeta o pé para frente, prejudicando assim a distribuição do peso corporal. Ademais, provoca a compressão dos dedos, especialmente do dedo grande e do mindinho.

Todavia, não fique a pensar que apenas os adultos sofrem com o joanete: algumas crianças já nascem com este desvio lateral, demonstrando assim o fator genético (hereditariedade) também atribuído ao desenvolvimento da saliência óssea.

Além das causas já citadas, existem ainda outras, como:

  • Doenças reumáticas pré-existentes: Gota, lúpus, artrite reumatoide, entre outras;
  • Enfermidades neurológicas: paralisia cerebral, trauma medular, Acidente Vascular Cerebral (AVC), entre outros;
  • Anatomia anormal dos pés: pé chato, dedo grande do pé mais longo que o segundo dedo, fragilidade dos tendões e ligamentos, etc.

Quais os sintomas do joanete?

Alguns joanetes são assintomáticos, contudo, quando os sintomas se manifestam, causam um grande desconforto e dor. Conheça os principais sinais:

  • Surgimento de um tipo de calo ou saliência na base do dedo do pé grande;
  • Calor e dor na articulação, sintoma provocado pelo processo inflamatório que se manifesta na articulação;
  • Surgimento de calosidades nos dedos afetados e na planta dos pés;
  • Enrijecimento gradual do dedo deslocado;
  • Pele espessa na base do dedo grande do pé.

Existe tratamento para o joanete?

Depois do diagnóstico, geralmente feito por um médico ortopedista através da análise dos sintomas e de exames de raios X, o especialista poderá mensurar a gravidade da lesão, nomeadamente o joanete, e assim indicar o tratamento mais adequado.

É importante referir que não existe um tratamento padrão, por isso, é indispensável que consulte um especialista de forma a ser orientado sobre a terapêutica apropriada para o seu caso. O médico avaliará as condições e necessidades de cada paciente, entre elas o grupo etário, estado geral de saúde, estilo de vida e a gravidade dos sintomas do joanete; feito isso, poderá propor ou não uma intervenção cirúrgica.

Quando o ortopedista indicar tratamentos não invasivos, ou seja, que não necessitam de cirurgia, significa que pretende apenas aliviar os sintomas e evitar que o joanete continue a evoluir. O médico certamente alertá-lo-á sobre a importância de escolher calçados confortáveis, evitando calçados antigos e apertados que tanto colaboram para a formação desta deformidade óssea.

Outro recurso bastante recomendado é o uso de protetores ortopédicos na área do joanete, de forma a manter o dedo grande do pé sempre afastado do segundo dedo. Além destas terapêuticas, o médico poderá prescrever medicamentos analgésicos e anti-inflamatórios capazes de minimizar as dores nas articulações.

Infelizmente, nos casos mais graves, as terapêuticas referidas tendem a não surtir efeitos, por isso, uma solução cirúrgica para eliminar o joanete poderá ser considerada. Existem várias técnicas que visam à correção do joanete e à restauração das funções perdidas, bem como à eliminação dos sintomas.

Atualmente, o procedimento pode ser feito em ambulatório hospitalar por ser de pequeno potencial invasivo, permitindo, inclusive, que o paciente caminhe, apoiando-se no calcanhar, já no dia seguinte. Contudo, o melhor a fazer é repousar, evitando assim deslocamentos desnecessários que possam vir a comprometer a recuperação e a causar inflamações.

Além destas recomendações, após o procedimento, não deverá usar calçado fechado durante cerca de 40 dias.

O que fazer para prevenir o joanete?

Existe algumas coisas que pode fazer para prevenir os joanetes, nomeadamente:

  • Não compre sapatos apertados, que não permitam que os seus pés se acomodem como devem. A falta de espaço para todos os dedos interfere de sobremaneira na distribuição equilibrada do corpo, fator que leva à formação do joanete;
  • Privilegie tacão a saltos altos;
  • Se a ponta dos dedos encostar na parte de frente dos sapatos, então é um sinal de que precisa de escolher um outro modelo / tamanho;
  • Os saltos altos  são permitidos, contudo, não devem ultrapassar os 3 cm;
  • Quando possível, ande descalço, pois o hábito fortalece os dedos e articulações dos pés;
  • Caso tenha joanetes, aplique gelo sobre estes. Esta é uma forma de aliviar a dor e paralisar o processo inflamatório;
  • Evite usar o mesmo par de sapatos durante vários dias seguidos, visto que este hábito pode causar atrito sempre no mesmo ponto dos pés, favorecendo assim o surgimento dos joanetes;
  • Caso sinta os seus pés doridos ou note alguma alteração na aparência e formato do pé, não hesite em procurar ajuda de um ortopedista.

Esperamos que o presente artigo tenha sido útil. Cuide-se!

A redação do trabalhador.pt