Má digestão: causas, sintomas e tratamento

Certamente sabe que o bom funcionamento do sistema digestivo é essencial para a manutenção da saúde e do bem-estar no nosso dia a dia, não é verdade? Não obstante, a verdade é que fica difícil resistir a tantas tentações quando o assunto é comida. São tantos os pratos deliciosos, tantas as opções que nos deixam com água na boca e a um passo de cometer exageros – e lá se vai a dieta e também o bom senso.

Facto é que uma alimentação desregrada, rica em alimentos pesados e gordurosos pode trazer transtornos diversos, como arrotos, enjoos e até mesmo vómitos em casos mais graves. É o que chamamos de má digestão ou, como dizem os médicos, dispepsia, uma sensação de desconforto e/ou dor abdominal superior e de estômago que, muito provavelmente, irá estragar o seu dia!

São várias as causas da dispepsia, entre as mais comuns estão o consumo excessivo de alimentos, o consumo de bebidas alcoólicas em grandes quantidades, a mastigação ineficiente e tantas outras situações que podem provocar, quase imediatamente, um quadro de dispepsia. Na generalidade das vezes, a azia e a má digestão poderão estar associadas, contudo, essas duas condições médicas são diferentes, visto que a má digestão pode ser, inclusive, um sintoma de azia.

Se sofre com frequência de má digestão e quer aprender a evitar esse desconforto e assim o eliminar de uma vez por todas da sua vida, então não deixe de ler este artigo, onde encontrará todas as informações de que precisa, nomeadamente, as causas, os sintomas e tratamentos para a dispepsia. Acompanhe.

O que é a má digestão?

A má digestão, ou dispepsia, caracteriza-se por uma dor no abdómen ou pela presença de outros distúrbios gástricos como sensação de estômago cheio, enjoos, arrotos e vómitos. Como referido, são várias as causas deste problema, a saber:

  • Ingestão de alimentos gordurosos e frituras em excesso, causando assim um “colapso” no sistema digestivo – que precisará de mais tempo para os digerir;
  • Comer demasiado depressa sem mastigar adequadamente os alimentos, o que atrapalhará o processo de digestão (cujo início é a mastigação);
  • Beber exageradamente durante as refeições, o que aumentará o volume do estômago e tornará a digestão mais lenta;
  • Abusar de bebidas alcoólicas, o que vai colaborar para o aumento da acidez do estômago e consequente refluxo para o esófago (a temida azia).

Quais os sintomas da má digestão?

Como pôde perceber, os hábitos alimentares, via de regra, estão relacionados com a má digestão, cujos sintomas clássicos são:

  • Desconforto na região superior do abdómen;
  • Gases e flatulência;
  • Azia;
  • Arrotos frequentes;
  • Enjoos e vómitos;
  • Prisão de ventre ou diarreia;
  • Cansaço;
  • Sonolência.

Além dos sintomas referidos, é importante lembrar que a dispepsia pode fazer com que o intestino absorva menos nutrientes, o que poderá acarretar problemas como carência de vitaminas e anemia.

Que alimentos podem causar a má digestão?

São vários os alimentos considerados “inimigos” do sistema digestivo, principalmente se é uma pessoa mais sensível e com um histórico de dispepsia. Conheça-os:

  • Alimentos ricos em gorduras;
  • Óleos em excesso;
  • Massas;
  • Alimentos fermentativos (como o feijão);
  • Alimentos enlatados;
  • Refrigerantes;
  • Álcool e bebidas ricas em cafeína.

Não obstante, se existem os vilões existem também os alimentos que colaboram para a digestão. Conheça alguns:

  • Mamão: com propriedades laxativas, é ideal para pessoas que sofrem de prisão de ventre. Além disso, esta fruta possui uma enzima que facilita a digestão;
  • Frutas vermelhas: cerejas, morangos e amoras são frutas ricas em antioxidantes, propriedades que ajudam a manter a saúde das células e protegem o corpo contra o surgimento de doenças, como alguns tipos de cancro. São famosas também pela sua forte ação anti-inflamatória;
  • Abacaxi: fruta que contém uma enzima digestiva natural, o abacaxi auxilia a quebra de nutrientes, como proteínas e gorduras, e melhora a absorção e a metabolização;
  • Cereais integrais: ricos em fibras e outros nutrientes que colaboram para o bom trânsito intestinal, os cereais integrais também são ótimos aliados do sistema digestivo, capazes, inclusive, de proteger o corpo contra várias doenças;
  • Azeite: óleo vegetal saudável, o azeite melhora a secreção biliar, o que facilita a digestão e impacta positivamente no funcionamento de órgãos como o pâncreas e a vesícula;
  • Iogurtes: ricos em hidratos de carbono, proteínas e outros nutrientes, os iogurtes contêm também bactérias benéficas, que atuam na flora intestinal e eliminam bactérias nocivas responsáveis por infeções intestinais, gases e outros males associados à má digestão.

O que fazer para evitar a má digestão?

A primeira atitude a se tomar é repensar os hábitos alimentares. Priorize uma alimentação equilibrada e balanceada, consuma bebidas alcoólicas com moderação, evite o consumo de líquidos durante as refeições e coma devagar, mastigando bem os alimentos.

Ademais, lembre-se de beber água ao longo do dia, evite realizar jejuns prolongados e pratique exercício físico regularmente. Mas se, mesmo depois de adotar todos estes cuidados, continuar a apresentar sintomas de má digestão, não deixe de procurar um médico gastroenterologista e, de preferência, faça acompanhamento com um nutricionista, profissionais que certamente lhe poderão ajudar a ter uma melhor qualidade de vida.

Como é o tratamento para a má digestão?

O tratamento será indicado por um gastroenterologista ou clínico geral, sobretudo em casos recorrentes de dispepsia, de acordo com os sintomas relatados pela pessoa. Além de fármacos tradicionais, existem também remédios caseiros e naturais que contêm propriedades digestivas e que podem auxiliar o tratamento indicado pelo médico.

Entre os mais recomendados estão:

  • Chá de boldo;
  • Chá de erva-doce;
  • Chá de camomila;
  • Chá de macela;
  • Sumo de laranja com couve;
  • Sumo de abacaxi com hortelã;
  • Sumo de limão, cenoura e gengibre;
  • Sumo de abacaxi com mamão;
  • Sumo de laranja, agrião e gengibre.

Os chás, assim como os sumos, devem ser preparados minutos antes de serem ingeridos, sem a adição de açúcar, ingrediente que pode piorar os sintomas da má digestão. Para que tenham o efeito desejado, deve-se beber em pequenos goles a cada 15 minutos, principalmente depois das refeições.

Aliviar os sintomas da má digestão durante a gravidez

Se já passou por uma gravidez sabe que a má digestão e a azia são sintomas recorrentes durante esse período. Isso acontece por conta das intensas alterações hormonais, que fazem com que os movimentos de alguns órgãos da grávida fiquem mais lentos. Essa lentidão afeta o estômago, que levará mais tempo para digerir a comida e a conduzir para o intestino. Ademais, há também uma notável compressão do sistema gástrico, causado pelo crescimento do bebé, o que dificultará a digestão.

Para amenizar os sintomas da má digestão na gravidez, deverá adotar alguns cuidados:

  • Fracione as refeições, isto é, consuma porções menores em intervalos de, aproximadamente, duas horas;
  • Faça as refeições em locais tranquilos, e jamais coma depressa;
  • Evite deitar-se após as refeições, hábito que pode atrapalhar a digestão dos alimentos;
  • Aumente o consumo e a variedade de fibras, frutas e vegetais, dando prioridade a uma dieta saudável e equilibrada.

Caso as dicas acima não façam efeito, e como já referimos previamente, não deixe de consultar o seu médico de família e jamais recorra à automedicação, conduta que poderá prejudicar a sua saúde e também a do bebé.

Referir ainda que é manifestamente importante conseguir diferenciar os quadros de má digestão leve e má digestão grave:

  • Dispepsia leve – são considerados quadros leves aqueles que ocorrem eventualmente, geralmente provocados por maus hábitos alimentares; nestas situações, não haverá, via de regra, necessidade de tratamento clínico.
  • Dispepsia grave – já os casos graves acabam por prejudicar a qualidade de vida do indivíduo, visto virem acompanhados de sintomas severos como vómitos, perda de peso, carência nutricional e até mesmo presença de sangue nas fezes.

Se notou que a sua rotina está comprometida, não hesite em procurar acompanhamento médico, medida que poderá evitar outras patologias mais graves provocadas pela má digestão. Cuide-se!

Luana Castro Alves

Licenciada em Letras e Pedagogia, redatora e revisora, entusiasta do universo da literatura, sempre à procura das palavras. "Não se pode escrever nada com indiferença." (Simone de Beauvoir)