Mochila pesada: riscos associados e como os evitar

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o excesso de peso nas mochilas escolares e o esforço repetitivo na infância e adolescência ocasionam 70% dos problemas de coluna na fase adulta. Em Portugal, segundo estudo realizado pela Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor (DECO) e revista Proteste, mais de metade das crianças do 5.º e 6.º ano de escolaridade transporta peso a mais nas mochilas.

Ademais, o estudo revelou que 53% das crianças acompanhadas transportavam mochilas com carga acima do recomendável pela OMS, isto é, superior a 10% do próprio peso. Para se ter uma ideia do que seria um “peso ideal”, uma criança que pesa 30 quilos (kg), por exemplo, deveria carregar, no máximo, uma mochila com 3 kg. No entanto, foi identificada uma criança de 11 anos, com 32 kg, que transportava uma mochila de 10 kg!

Ou seja, a realidade parece estar bem longe do que é recomendado pelos especialistas da área de ortopedia, que alertam para o desenvolvimento de deformações ao nível dos ossos e dos músculos. Facto é que, qualquer trauma ou esforço excessivo durante a fase de desenvolvimento poderá causar graves lesões para a coluna de crianças e jovens, todavia, este problema pode ser evitado – desde que sejam urgentemente adotadas medidas preventivas.

Se sofre o desconforto de ter que carregar uma mochila pesada ou tem filhos em idade escolar que estão a enfrentar esta dificuldade, então não deixe de ler este artigo. Nele, encontrará todas as informações de que precisa, bem como dicas para evitar o excesso de peso que tão mal pode fazer à sua saúde a à saúde dos seus.

Riscos de carregar uma mochila pesada

Carregar uma mochila pesada durante todo ano letivo faz mal à coluna, afetando a postura e acarretando outros problemas, que poderão ser notados no curto ou no longo prazo. Entre os principais estão:

  • Escoliose: na escoliose, a coluna entorta para um dos lados e deixa um ombro mais alto que o outro. Isso pode acontecer quando o indivíduo carrega a carga em apenas um dos ombros, daí ser tão importante distribuidor o peso de uma mochila pesada adequadamente. Os sintomas da escoliose são dores nas costas, braços e pernas.
  • Hiperlordose: ao carregar uma mochila pesada, note que as nádegas da criança ou jovem ficam “empinadas”. Isto acontece porque há um aumento da curva que fica próximo à base da coluna. O sinal do problema costuma ser principalmente dores nas pernas.
  • Hipercifose: este aumento da curvatura no meio da costas deixa os ombros e o pescoço inclinados para a frente, formando uma corcunda. Os sintomas são dores nas costas, braços e mãos.
  • Pinçamento do nervo: sabia que a nossa coluna tem uma espécie de “amortecedor” entre uma vértebra e outra? Pois bem, a má postura ou movimentos bruscos pode fazer com se desloque e comprima a medula. Como resultado, a criança poderá queixar-se de dor aguda na hora de realizar um determinado movimento. Mais um problema de carregar uma mochila pesada.
  • Hérnia discal: quando o “amortecedor” da coluna (ou disco) sai do lugar, pode dar origem a uma hérnia na coluna, problema grave que limita os movimentos e afeta consideravelmente a qualidade de vida.

Não obstante, ortopedistas apontam que o grande problema não é só a mochila pesada, mas a forma como crianças e jovens têm carregado os materiais. A orientação é que a mochila seja usada o mais alto possível e sempre bem justa ao corpo, evitando assim que esteja frequentemente a bater nas costas da criança.

Dicas para reduzir o peso de uma mochila pesada

Carregar uma mochila pesada frequentemente tem consequências na saúde

Para ajudar pais, tutores e as próprias crianças e jovens na missão de organizar a mochila no dia a dia, e assim evitar uma mochila pesada, preparamos algumas dicas de como organizar o material escolar de forma simples e eficiente. Confira:

1. Distribua o peso pela mochila

A mochila deve ser carregada sempre nas costas, utilizando as duas alças para evitar que o peso se acumule apenas num lado do corpo. Os materiais mais pesados devem estar no centro da mochila ou mais próximos ao corpo e, caso haja bolsos laterais, deverá distribuir os objetos uniformemente, o que equilibrará o peso.

2. Organize a mochila todos os dias

Com medo de se esquecerem de algum caderno ou livro, as crianças e jovens costumam organizar a mochila para toda a semana, hábito extremamente nocivo, visto aumentar o peso a ser carregado. Para evitar uma mochila pesada, esta deverá ser preparada diariamente conforme o horário escolar do dia seguinte. Assim, só será levado para a escola o material efetivamente indispensável.

3. Opte por mochilas simples, leves e resistentes

Muitas das mochilas escolares são confecionadas a partir de materiais que já são por si só pesados ou contam com um conjunto de acessórios excessivos e desnecessários. Por essa motivo, deverá ser dada preferência a mochilas leves e resistentes.

4. Prefira mochilas pequenas

Numa mochila grande é possível guardar mais coisas, por isso, para aproveitar tanto espaço, muitas vezes colocamos demasiados objetos, que nem sequer serão utilizados. Ao optar por mochilas pequenas, diminuímos significativamente as probabilidades de carregar objetos supérfluos, por isso, prefira modelos compactos.

5. Se possível, evite cadernos de capas duras

Os cadernos de capas duras podem deixar a mochila ainda mais pesada. Por isso, prefira cadernos individuais mais finos, que podem ser retirados ou colocados na mochila de acordo com o horário escolar.

6. Escolha mochilas que tenham alças largas e acolchoadas

Este tipo de mochila pode facilitar a correta distribuição do peso, algo que, como referimos, é manifestamente importante. Além disso, são mais confortáveis do que as mochilas de alças finas e têm um acabamento macio.

7. Prefira mochilas de rodinhas

As mochilas de rodinhas podem ser uma excelente opção, desde que o puxador tenha um tamanho adequado à altura de quem a vai puxar. Todavia, é preciso verificar se a estrutura da escola permite que seja arrastada (escadas e alguns tipos de piso podem dificultar o transporte).

As dicas acima também valem para os adultos que, mesmo com uma estrutura óssea já desenvolvida, podem apresentar problemas em decorrência do uso de uma mochila pesada.

Importante: como nem sempre é possível verificar o peso exato da mochila, é fundamental prestar atenção se o seu filho se queixa de dor nas costas ou se está a andar inclinado para frente, dado serem sinais de que está, possivelmente, a carregar uma mochila pesada. Contudo, se mesmo eliminando o excesso de peso os problemas persistirem, recomendamos que consulte um médico pediatra.

Luana Castro Alves

Licenciada em Letras e Pedagogia, redatora e revisora, entusiasta do universo da literatura, sempre à procura das palavras. "Não se pode escrever nada com indiferença." (Simone de Beauvoir)