Moxabustão: conheça esta técnica da medicina alternativa chinesa

A moxabustão é uma técnica milenar oriunda da China, e que cada vez mais pessoas procuram no Ocidente, devido aos seus benefícios já comprovados. Neste artigo, iremos explicar no que consiste a moxabustão, quais as vantagens da mesma, e iremos abordar ainda muitas questões que suscitam a curiosidade de potenciais pacientes.

O que é a moxabustão?

A moxabustão é uma técnica integrada na medicina tradicional chinesa, tendo sido criada há cerca de 4000 anos na China. No entanto, só anos mais tarde quando chegou ao Japão, é que este tipo de terapia começou a ganhar algum reconhecimento.

A moxabustão trata-se de uma técnica semelhante à acupuntura, que consiste em aplicar calor direta ou indiretamente sobre a pele através de um bastão (moxa) que contém ervas medicinais.

De acordo com a medicina chinesa, o calor aplicado na pele pode libertar a energia acumulada em determinadas áreas do corpo, sendo que a libertação de tal energia pode ser útil no tratamento de certos problemas, como dores nas costas ou enxaquecas.

Vale a pena notar que a moxabustão deve ser realizada apenas por um profissional qualificado, em clínicas especializadas e sob a autorização de um médico. Deste modo, não experimente este método em casa, principalmente sem a supervisão de um especialista.

Quais os benefícios da moxabustão?

Apesar de ser ainda alvo de vários estudos no Ocidente, que pretendem comprovar a sua eficácia no tratamento de várias doenças, a moxabustão já é considerada uma ferramenta útil para combater certos problemas, entre os quais:

  • Doenças crónicas: como artrite reumatoide;
  • Lesões musculares: que podem ser o resultado de atividades desportivas;
  • Problemas do sistema reprodutivo: como infertilidade;
  • Doenças gastrointestinais: como constipações;
  • Ansiedade e stress: permite reduzir estes estados indesejados.

Além disso, é importante mencionar que a moxabustão é principalmente recomendada para combater doenças associadas ao frio e humidade, como as constipações, dificuldades respiratórias, dores musculares, sinusite, rinite, congestão nasal, etc.

Além disso, alguns especialistas o uso da moxabustão já ofereceu melhorias a mulheres com dores menstruais crónicas, incontinências urinárias e enxaquecas.

Quais os riscos da moxabustão?

Normalmente, esta terapia não provoca nenhum efeito colateral, já que se trata de um procedimento natural e indolor. No entanto, podem surgir inconvenientes, por exemplo, há pessoas que podem fazer alergia aos produtos utilizados, ou podem desenvolver uma tosse incomodativa devido ao fumo provocado pela queima de substâncias do bastão.

Além disso, a moxabustão não deve ser usada junto de orifícios, vasos sanguíneos, mucosas ou áreas sensíveis, como por exemplo, os olhos. Para as grávidas, deve-se evitar a aplicação desta técnica na região lombar e abdominal. Além disso, a moxabustão pode ainda causar pequenas queimaduras circulares.

No entanto, estas consequências negativas são mais evitadas se recorrer a um profissional qualificado que possa supervisionar o procedimento de início ao fim, portanto, mais uma vez, não aconselhamos realizar o tratamento em casa.

Como é realizado o tratamento?

A moxabustão é realizado através da aplicação de calor na pele, com recurso a uma moxa, um bastão ou cone extremamente fino, amassado, moldado com as mãos e repleto de plantas medicinais, incluindo a artemísia, cuja eficácia já foi comprovada no tratamento de infeções urinárias, cólicas menstruais e depressão.

O referido bastão é aquecido e colocado em pontos específicos da pele, dependendo do problema de saúde do paciente, e permite a libertação dos canais de energia, os meridianos.

Desta forma, o Qi (energia) do paciente é aquecido, permitindo a prevenção da penetração do frio e da humidade no corpo do paciente, o que poderia enfraquecer a energia vital do mesmo, e contribuir para o aparecimento ou agravamento de doenças crónicas. 

Normalmente, na moxabustão, o terapeuta aproxima o bastão à pele do paciente durante cerca de 5 minutos, mantendo sempre a sua mão por perto como forma de medir a intensidade do calor oriundo do bastão, o que permite prevenir queimaduras na pele do paciente.

As sessões de moxabustão duram, em média, 40 minutos, sendo que o número de sessões varia de pessoa para pessoa considerando o seu estado de saúde. No entanto, geralmente, são recomendadas 10 sessões.

Quais os tipos de moxabustão?

A moxabustão pode ser aplicada na pele do paciente através de três formas diferentes, cabendo ao terapeuta decidir qual a mais apropriada:

  • Moxa direta: consiste na aplicação do bastão diretamente na pele, sendo atualmente a técnica menos utilizada devido ao maior risco de queimaduras que pode provocar.
  • Moxa indireta: quando o calor não é aplicado diretamente na pele através do bastão. Recorre-se aqui a pedaços de alho ou gengibre para isolar o calor.
  • Moxa elétrica: funciona como um laser, aquecendo a pele do paciente através da luz. É a técnica com menos riscos de queimadura associados.

As técnicas da medicina tradicional chinesa, como é exemplo a moxabustão, apesar de milenares, estão apenas recentemente a ser descobertas no lado ocidental e são cada vez mais escolhidas por pessoas que pretendem diversificar os seus tratamentos, experimentando métodos alternativos eficazes.

A moxabustão pode ajudar numa série de problemas, mas certifique-se de que se aconselha junto de um profissional e que procura a ajuda do mesmo, caso queira seguir em frente com este tratamento.

Catarina Fonseca

Desde cedo uma curiosa nata, decidiu seguir Ciências da Comunicação para desenvolver a sua paixão pelo jornalismo e pela escrita. Agora formada, gosta de se aventurar pelo mundo, conhecer novas pessoas e culturas, e leva sempre um caderno e câmara fotográfica às costas para eternizar as suas experiências.