Pelos encravados: causas, prevenção e tratamento

Os pelos encravados são mais comuns do que se possa imagina e podem afetar não só mulheres, mas também homens e até mesmo crianças

Os pelos encravados surgem quando, ao nascer, um pelo não consegue encontrar uma “saída” ou romper a camada que se forma sobre a pele. Ocorre então um crescimento interno, ou seja, o pelo continua a crescer debaixo da pele, ou, faz uma curva e volta a penetrar no folículo piloso.

É como se o pelo ficasse “preso”, o que faz com que seja visto pelo organismo como um corpo estranho. E isso pode acabar por causar uma inflamação no local, ficando avermelhada e dolorido, algo bastante incomodativo.

As lesões causadas são semelhantes a uma “espinha” e podem ser acompanhadas de dor, comichão e pus. A intensidade da inflamação varia de caso para caso. Em alguns pode haver inchaço e até mesmo febre.

Nas mulheres as áreas onde os pelos encravados aparecem com mais frequência são as axilas, as virilhas e as pernas. Já nos homens, a região da barba é a mais afetada.

Se sofre com este problema, este artigo poderá ser-lhe útil. Nele abordamos as principais causas dos pelos encravados, algumas formas de tratamento e partilhamos algumas dicas para evitar que apareçam.

O que causa pelos encravados?

Os pelos encravados são mais comuns em partes do corpo onde há dobras, o que que favorece o nascimento irregular dos pelos. No entanto, este não é o único fator que faz com que os pelos fiquem encravados.

Entre as principais causas dos pelos encravados estão:

  • Depilação: a retirada dos pelos é um dos principais fatores que causam pelos encravados, pois, dependendo do método, a tendência é deixá-los mais finos e com mais dificuldade em romper a camada da pele.
  • Uso de roupas apertadas: o vestuário pode também contribuir para o aparecimento de pelos encravados, particularmente as roupas muito apertadas. Isto acontece porque este tipo de roupa deixa a região mais abafada, tornando mais difícil a respiração da pele.
  • Feridas na pele: seja alguma lesão ou até mesmo pequenos cortes feitos ao retirar os pelos com lâmina, as feridas são outra das causas que pode dar origem a pelos encravados.
  • Transpiração excessiva: a transpiração, sobretudo quando em excesso, pode obstruir os folículos, podendo estar assim na origem de pelos encravados ao dificultar a sua “saída”.
  • Oleosidade e aquecimento do corpo: são fatores que aumentam consideravelmente as probilidades de haver uma inflamação dos poros.
  • Alterações hormonais: são causadoras de mudanças na aparência do pelo e na velocidade com que crescem.
  • Imunidade baixa: deixa as pessoas mais suscetíveis a desenvolverem infeções nos folículos pilosos.
  • Tipo de pelo e de pele: características como o tamanho dos poros, o formato e a espessura dos pelos (que podem ser mais finos ou mais grossos), aumentam as probabilidades do pelo encravar.

Como evitar os pelos encravados?

Não há uma formúla mágica para prevenir os pelos encravados. Não obstante, há alguns cuidados simples que podem e devem ser incluídos na rotina do dia a dia, nomeadamente:

1. Limpeza e hidratação da pele

A limpeza é essencial para remover os resíduos acumulados nos poros e diminuir a oleosidade da pele. Recomendamos que a lave com água morna, passe um sabonete antisséptico e enxágue com água fria. Deverá fazer isto duas vezes ao dia, uma de manhã e a outra à noite.

Depois da limpeza, é importante assegurar a hidratação da pele, usando um creme que seja específico para o seu tipo de pele.

2. Evitar roupas justas

Como vimos, as peças de roupa que ficam muito coladas ao corpo acabam por dificultar a respiração da pele, contribuindo para o aparecimento de pelos encravados. Os tecidos sintéticos, bem como os mais grossos são os menos indicados – deverá optar por as peças de algodão, preferencialmente largas.

3. Esfoliar a pele

Esfoliar a pele com um produto esfoliante tem inúmeros benefícios: ajuda a remover as células mortas, deixa a pele mais lisa e macia, estimula a circulação sanguínea e facilita o crescimento dos pelos.

4. Método de depilação

Reconhecemos que depilar-se com lâmina é fácil e prático, no entanto, esta não é a forma mais indicada para remover os pelo, dado poder causar pequenos cortes que aumentam as probabilidades de inflamação.

Já o uso da cera depilatória, de uma depiladora a cera, de uma depiladora elétrica ou de outros métodos retiram o pelo pela raiz, são também agressivos, propicionado o aparecimento de pelos encravados.

O melhor método de depilação varia de pessoa para pessoa, todavia, regra geral, as depiladoras a laser são as menos propícias ao surgimento de pelos encravados, além de terem efeitos duradouras. Se está a pensar escolher uma depiladora, considere sempre o seu tipo de pele.

Tratamento para os pelos encravados

De um modo geral, os pelos encravados são eliminados naturalmente pelo próprio corpo. No entanto, não há um prazo para isso, podendo demorar mais ou menos tempo em função do tipo de pele e do grau da própria irritação.

O que acontece é que muita gente acaba por mexer no local afetado, o que faz com a inflamação se agrave, dificultando o processo e tornando a recuperação mais demorada.

Todavia, mesmo mantendo todos os cuidados, o problema pode persistir ou surgir com relativa frequência. Nestes casos, o ideal é consultar o seu médico dermatologista para que lhe sejam indicadas as melhores opções de tratamento.

Entre as opções mais comuns para o tratamento dos pelos encravados estão:

  • Produtos que contenham ativos que ajudam a desencravar o pelo;
  • Pomadas ou cremes com ação antibiótica e/ou anti-inflamatória;
  • Procedimentos estéticos como o laser, que destrói o local onde o pelo nasce, ou a fotodepilação, que remove parcialmente;
  • Pequeno corte no local para remoção do pelo e retirada do pus.

Esperamos que todas estas informações o ajudem a lidar com os pelos encravados, seja evitando que apareçam ou tratando-os da forma mais adequado.

A recomendação essencial é que, ao sentir sintomas de pelos encravados, evite tocar na zona afetada e retirar o pelo, pois isso poderá complicar ainda mais a situação, eventualmente causando uma infeção.

Mariana Bueno

Brasileira, jornalista e escritora. Desde criança tem os livros como os seus grandes companheiros e, mais tarde, transformou a escrita em profissão. É formada em Comunicação e pós-graduada em Media Digitais. Gosta de transmitir informações por meio dos seus textos e adora ouvir e contar boas histórias, de preferência as que descobre ao viajar por diferentes lugares.