Poluição da água: o que é, causas e principais consequências

O seu nome é Terra, mas também pode ser chamada de Planeta Água. Muitos de nós certamente já ouvimos essa metáfora, afinal de contas, em média, 70% da superfície terrestre é composta por água – e é justamente a existência dessa substância, junto com o oxigénio, o que torna possível a sobrevivência dos seres vivos nesse planeta. Todavia, de toda a água existente na Terra, mais de 97% é salgada e apenas 3% são de água doce, realidade que tem tornado este precioso líquido cada vez mais escasso em várias regiões do globo.

A escassez de água pode ser atribuída a diversos fatores, entre eles, à poluição da água, problema que agrava a falta de acesso a água potável e impacta negativamente o desenvolvimento socioeconómico de muitas nações.

O Relatório Mundial das Nações Unidas sobre o Desenvolvimento dos Recursos Hídricos – disponível aqui – revelou que os mais pobres têm maior probabilidade de ter acesso limitado a água e saneamento adequados. Além disso, a poluição da água atinge principalmente populações mais vulneráveis, principalmente crianças, de acordo com dados revelados pela UNICEF, cujo estudo revelou também que morrem mais crianças por falta de água potável do que por violência.

Diante de constatações tão alarmantes, faz-se urgente discutir ações para combater, de forma eficiente e célere, a poluição da água, problema que é extremamente grave e que nos coloca numa contagem regressiva para a morte.

Se quer saber mais acerca deste importante assunto, então continue a leitura deste artigo e conheça as principais causas da poluição da água, as suas consequências e o que pode ser feito para minimizar os seus efeitos nocivos.

O que é a poluição da água?

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), água contaminada é aquela que sofre alterações na sua composição até ficar imprópria para o consumo, para a agricultura, produção de energia, entre outras atividades em que esta é indispensável. Ademais, a poluição da água provoca anualmente 500.000 mil mortes em todo o mundo, causadas principalmente por doenças como cólera, disenteria, febre tifoide, poliomielite, entre outras.

Entre os principais poluentes da água estão vírus, bactérias, parasitas, pesticidas, fertilizantes, nitratos, fosfatos, medicamentos, plásticos, resíduos fecais e até mesmo substâncias radioativas, elementos que muitas vezes são detetados apenas através de análises químicas que denunciam o estado da qualidade da água.

Causas da poluição da água

A poluição da água acontece, basicamente, por conta de dois agentes:

  • Fatores naturais: como a filtração do mercúrio presente na crosta terrestre e que contamina oceanos, rios, lagos, canais e barragens;
  • Atividades humanas: desflorestação, aquecimento global, atividades industriais, entre outras práticas predatórias, sobre as quais falaremos detalhadamente a seguir.

Aquecimento global

Fenómeno que vem sendo registado pelo mundo todo durante as últimas décadas, o aquecimento global é o aumento progressivo das temperaturas médias de oceanos e da atmosfera terrestre, provocado pela emissão de gases que intensificam o efeito estufa.

As suas principais consequências são a desertificação, alteração do regime das chuvas, poluição da água, intensificação das secas em determinados locais, escassez de água, abundância de chuvas em algumas localidades, tempestades, furacões, inundações, alterações de ecossistemas, redução da biodiversidade, perda de áreas férteis para a agricultura, além da disseminação de doenças como a malária, esquistossomose e febre amarela.

Desflorestação

Também conhecida por desmatamento, a desflorestação caracteriza-se pela remoção total ou parcial de coberturas vegetais (savanas, matagais, florestas etc.). Considerada um dos maiores problemas ambientais em nível global, provoca a poluição da água, proliferação de pragas e doenças, escassez de recursos naturais, assoreamento dos rios, empobrecimento e erosão dos solos, efeitos climáticos e desertificação, apenas para citar alguns exemplos.

Atividades industriais, agrícolas, pecuárias e minerais

O desenvolvimento de atividades industriais, agrícolas, pecuárias e minerais está entre os principais agentes causadores da poluição da água e de outros impactos ambientais seja no meio rural ou no meio urbano. 

Derramamentos de combustível

O transporte e o armazenamento do petróleo e seus derivados causam filtrações que podem chegar às fontes de águas. Ademais, a limpeza das áreas atingidas por petróleo não é tarefa fácil, fator que contribui ainda mais para a poluição da água. Um maior rigor no que respeita às normas de segurança de transporte e leis mais severas em caso de não cumprimento das regras poderiam diminuir os impactos negativos do derramamento de combustíveis.

Lixos e efluentes de águas fecais

De acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU), mais de 80% das águas residuais do mundo que são lançadas em mares e rios não são tratadas. Este problema poderia ser minimizado se houvesse uma correta implementação de sistemas de saneamento, além de tratamento mais eficiente das águas contaminadas.

Consequências da poluição da água

Além dos impactos negativos no meio ambiente, a poluição da água afeta também a saúde e a economia global, visto que a deterioração da qualidade da água é um fator que impede o desenvolvimento e agrava a pobreza em muitos países, como referido. Conheça infra outras consequências que a poluição da água acarreta:

  • Destruição da biodiversidade;
  • Poluição da cadeia alimentar;
  • Doenças;
  • Mortalidade infantil;
  • Escassez de água potável.

Possíveis soluções para a poluição da água

Preservar a água significa garantir a manutenção da vida. Por isso, é fundamental que sejam colocadas em prática políticas públicas voltadas para esta causa, bem como pequenas – porém significativas – ações que cada cidadão poderá desempenhar no dia a dia. Dito isto, conheça infra as principais formas de evitar a poluição da água:

  • Redução da emissão de CO2, o que evitará o aquecimento global e a acidificação dos oceanos;
  • Limitar o uso de plásticos e aumento da produção de plástico biodegradável, que se deteriora mais rapidamente na natureza;
  • Atenuar o uso de pesticidas químicos e nutrientes nos cultivos agrícolas;
  • Não descartar medicamentos ou outros materiais nas águas sanitárias. Muitas farmácias fazem a recolha de medicamentos fora do prazo;
  • Reduzir o desperdício de água em atividades corriqueiras, como escovar os dentes e tomar banho;
  • Reciclagem correta de um resíduo abundante em Portugal que pode ter efeitos negativos a vários níveis: o óleo alimentar usado;
  • Endurecimento das leis, sobretudo no que respeita ao tráfego marítimo, visto que boa parte dos plásticos que poluem os oceanos procedem dos barcos pesqueiros, petroleiros e do transporte de mercadorias;
  • Tratamento de efluentes oriundos de indústrias, hospitais e áreas de comércio que, para além de fundamental, deve ser projetado para diminuir a poluição nos lagos;
  • Promover a pesca sustentável, o que garantirá a sobrevivência das espécies e evitará o empobrecimento dos mares;
  • Pratique o consumo consciente de água. Evite desperdícios!

Luana Castro Alves

Licenciada em Letras e Pedagogia, redatora e revisora, entusiasta do universo da literatura, sempre à procura das palavras. "Não se pode escrever nada com indiferença." (Simone de Beauvoir)