Psicologia do trabalho: o que é, importância e funções

Muitas vezes quando pensamos em psicologia associamos ao contexto clínico, ao aconselhamento de um psicólogo que tem à sua frente alguém com problemas e questões emocionais e psicológicas. No entanto, a psicologia não se resume ao domínio clínico e da saúde. Também se estende a outros domínios, já que é uma ciência que se foca no comportamento humano, nas emoções e no funcionamento da mente.

Sendo o trabalho um domínio tão relevante da existência humana, é natural que a psicologia seja fundamental nesta área. A psicologia do trabalho é uma área da psicologia, na qual os conhecimentos sobre a mente e o comportamento humano são aplicados ao mundo do trabalho.

Sendo uma área tão vasta e tão relevante, neste artigo pretendemos ajudar a compreender o que é a psicologia do trabalho, quais os seus objetos de estudo e o que faz um psicólogo do trabalho na prática.

O que é a psicologia do trabalho?

Sendo uma área da psicologia, a psicologia do trabalho aplica os conhecimentos científicos da psicologia aos comportamentos organizacionais e à gestão dos recursos humanos. Assim, a prática dos profissionais que trabalham em psicologia do trabalho é guiada e orientada por teorias e práticas científicas de eficácia comprovada.

A psicologia do trabalho é uma das várias áreas específicas ou especializações da psicologia, e consiste no desenvolvimento e aplicação dos princípios científicos da psicologia do contexto laboral ou de trabalho.

Assim, dentro da psicologia do trabalho inserem-se as seguintes funções e competências:

  • Recrutamento e seleção de trabalhadores;
  • Desenvolvimento de competências associadas a entrevistas de recrutamento, entrevistas de avaliação psicológica, entrevistas de avaliação de competências, aplicação e interpretação de testes psicotécnicos, de personalidade ou outros, condução e avaliação de exercícios de dinâmica de grupo e estudos de caso, elaboração de relatórios…;
  • Desenvolvimento organizacional e reestruturação;
  • Gestão do desempenho;
  • Avaliação e desenvolvimento de potencial;
  • Desenvolvimento e comportamento organizacional;
  • Desenvolvimento de carreira;
  • Intervenção social e comunitária;
  • Conceção e monitorização de ações de formação em contexto empresarial;
  • Consultoria;
  • Gestão e coordenação de organizações sem fins lucrativos, de intervenção social e comunitária.

Qual a importância da psicologia do trabalho?

O trabalho dos psicólogos do trabalho é extremamente relevante, dando um contributo fundamental às realidades económicas, sociais e individuais das empresas e organizações. De facto, os estudos científicos demonstram a eficácia e o custo-benefício da psicologia de trabalho e da atuação dos psicólogos do trabalho.

A psicologia do trabalho, na pessoa dos psicólogos que trabalham neste âmbito, tem objetivos importantes, nomeadamente a nível da integração dos trabalhadores no contexto organizacional, na promoção da satisfação e motivação laboral (o que por sua vez vai potenciar os resultados da empresa).

Podemos dizer que o grande objetivo, o principal, da psicologia do trabalho, é garantir e promover a qualidade de vida dentro das organizações. Deste modo, a psicologia do trabalho permite garantir que quer a empresa quer os seus trabalhadores estão sincronizados, que o bem-estar é garantido dentro do ambiente de trabalho e que, dando importância às características e necessidades individuais e emocionais dos trabalhadores, a empresa conseguirá ter mais sucesso.

Alguns dos princípios benefícios da psicologia do trabalho são:

  • Potenciar a melhoria contínua da empresa ou organização;
  • Facilitar o atingimento de metas e objetivos organizacionais;
  • Promover a qualidade de vida dos trabalhadores no contexto laboral;
  • Promover questões importantes como a produtividade e a motivação dos trabalhadores;
  • Criar um clima organizacional mais positivo.

Não podemos esquecer que dentro de uma empresa estão vários trabalhadores, com características muito distintas, com necessidades particulares, com histórias de vida únicas. Se não tivermos em conta a dimensão humana e psicológica no trabalho, dificilmente os resultados serão positivos. Os fenómenos psicológicos são variados e muito presentes na realidade laboral e, por isso, a psicologia do trabalho assume uma importância indiscutível.

Quais as funções dos psicólogos do trabalho?

Os psicólogos do trabalho podem atuar em diversos contextos que se insiram no mundo laboral, sendo por isso o seu âmbito de atuação alargado e diverso. Os destinatários do trabalho dos psicólogos do trabalho são as organizações públicas e privadas, independentemente do setor de atividade, bem como todos os seus elementos, desde gestores, líderes, colaboradores, supervisores…

Deste modo, a psicologia do trabalho e os psicólogos que trabalham neste âmbito, pode ter uma atuação quer a nível organizacional quer a nível individual. O objetivo é o de melhorar o desempenho, a produtividade e a satisfação laborais, assim como zelar pelo bem-estar dos recursos humanos das empresas ou organizações.

Das funções e atividades dos psicólogos do trabalho, destacam-se as seguintes:

  • Avaliação psicológica: em psicologia do trabalho, os psicólogos inseridos nas organizações podem fazer avaliação psicológica dos trabalhadores e encaminhá-los, se necessário, para serviços de saúde mental especializados e adequados. A avaliação psicológica em psicologia do trabalho pode também ser feita como forma de diagnóstico psicossocial da organização. Ou seja, os psicólogos monitorizam e avaliam indicadores importantes como características da organização do trabalho, riscos psicossociais existentes, clima organizacional, bem-estar e saúde dos trabalhadores. Esta avaliação vai permitir prevenir que ocorreram problemas psicossociais na empresa e doenças profissionais associadas.
  • Prevenção e intervenção nos riscos psicossociais: em psicologia do trabalho, os psicólogos dentro das organizações têm também como função analisar os riscos presentes e determinar os fatores que contribuem para a ocorrência de situações nas quais existem riscos psicossociais (por exemplo, horários de trabalho excessivos ou stress no trabalho). A partir desta análise, os psicólogos podem implementar medidas preventivas e de intervenção nos riscos identificados. Estas medidas podem aplicar-se à empresa como um todo, ou a grupos ou indivíduos em particular;
  • Promoção da saúde organizacional: dentro das funções do psicólogo do trabalho insere-se também a elaboração, implementação e avaliação de programas de saúde no trabalho e de promoção da saúde mental e psicológica, bem como do bem-estar no local de trabalho. Assim, em psicologia do trabalho os psicólogos têm o importante papel de contribuir para criar ambientes de trabalho mais positivos e saudáveis, através de estratégias como o envolvimento dos trabalhadores, a promoção do equilíbrio entre a vida profissional e pessoal, o desenho de postos de trabalho, o garante do crescimento e desenvolvimento pessoal e profissional, a melhoria das condições físicas do local de trabalho, entre muitas outras. Dentro desta função, o psicólogo do trabalho pode também supervisionar a organização dos primeiros socorros e o atendimento de emergência aos trabalhadores;
  • Organização e desenvolvimento de recursos humanos: em psicologia do trabalho, os psicólogos têm também funções respeitantes à gestão de recursos humanos, nomeadamente: garantir que as funções se adequam ao trabalhador, contribuir para a mudança organizacional, melhorar a organização do trabalho, promover a eficácia e reduzir o absentismo, promover a produtividade, melhorar a integração do trabalhador na empresa, acompanhar processos de demissão ou de transição para a reforma, entre outros;
  • Seleção, avaliação e orientação de recursos humanos: o psicólogo no âmbito da psicologia do trabalho pode ainda ser responsável por processos de recrutamento e seleção, bem como apoiar na tomada de decisões relativas à gestão dos recursos humanos, promover programas de gestão de talentos e auxiliar os processos de planeamento e desenvolvimento de carreira. Dentro destas funções o psicólogo do trabalho assume tarefas como conduzir entrevistas de recrutamento e seleção, realizar avaliação e orientação profissional, aplicar e interpretar provas de avaliação psicológica, realizar dinâmicas de grupo e outras técnicas relevantes de avaliação, adequar os postos de trabalho dos trabalhadores, fazer avaliações de desempenho e desenhar e implementar programas de desenvolvimento de recursos humanos;
  • Promoção da motivação e satisfação laborais: faz ainda parte das funções do psicólogo no âmbito da psicologia do trabalho a avaliação e valorização da satisfação laboral. Para isso, o psicólogo pode rever as questões salariais e a forma como os trabalhadores são reconhecidos e recompensados. O psicólogo do trabalho pode ainda criar programas de motivação e medidas de promoção do desenvolvimento e crescimento profissional e pessoal;
  • Resolução dos conflitos laborais: sendo o psicólogo especialista em questões do comportamento humano e da comunicação, o psicólogo do trabalho tem também como função resolver conflitos e problemas que podem ter consequências para a empresa, colocando para isso em prática estratégias de gestão e mediação de conflitos, bem como prevenindo a ocorrência de situações de assédio ou violência laboral;
  • Gestão da qualidade: o psicólogo no contexto de psicologia do trabalho pode também ter funções de melhoria da qualidade interna, seja de serviços ou de produtos, sistemas e processos. Para isso, o psicólogo do trabalho pode desenvolver programas de gestão de qualidade;
  • Marketing e investigação comercial: em psicologia do trabalho, o psicólogo pode ainda ter funções associadas à psicologia do consumidor, tais como: identificar as preferências dos clientes e consumidores, as suas motivações e intenções de compra, os seus padrões de resposta e, a partir disso, criar formas mais eficazes e eficientes de vender os produtos ou de potenciar o sucesso da empresa. O psicólogo do trabalho pode ainda realizar tarefas como sondagens, estudos de mercado, questionários sobre os comportamentos e os hábitos dos consumidores, participar em projetos de publicidade e marketing, entre outras;
  • Colaborar, desenvolver e implementar ações de formação, educação ou sensibilização, que podem ser dirigidas a trabalhadores, gerentes, supervisores, etc;
  • Consultadoria: o psicólogo, no âmbito da psicologia do trabalho, pode ainda realizar trabalho de consultadoria, dando informação à direção da empresa sobre questões como estruturas e processos de trabalho, mudança de comportamento organizacional, desenvolvimento organizacional, sistemas de organização do trabalho, políticas sociais, cultura organizacional, sistemas de liderança, entre outros;
  • Participar e elaborar processos de candidatura a financiamentos, sobretudo se estes disserem respeito a fatores comportamentais, humanos e psicossociais;
  • Intervenção em situações de crise e emergência que possam ocorrer dentro da organização, de modo global ou com algum trabalhador em particular.

Como trabalhar em psicologia do trabalho?

Para trabalhar na área de psicologia do trabalho, em Portugal, tem de primeiramente existir uma formação base em psicologia. Neste regime de Bolonha, o estudante faz o Mestrado Integrado em Psicologia, em que os primeiros 3 anos são de tronco comum e, nos últimos dois, escolhe a especialidade de Psicologia do Trabalho e das Organizações (a terminologia pode variar ligeiramente mediante as instituições de ensino).

Esta área de especialização em psicologia do trabalho inclui temas e áreas do conhecimento como: sociologia, antropologia, processos cognitivos, estatísticas, psicopatologia, psicologia organizacional, psicologia social, entre outras.

No final da especialização tem de ser feita uma tese de mestrado, versada em temáticas da psicologia do trabalho. Para o psicólogo do trabalho ser membro efetivo da Ordem dos Psicólogos Portugueses, tem também de fazer um estágio profissional, na área, de duração de um ano.

Diana Pereira

Amante de histórias, gosta de as ouvir e de as contar. Tornou-se Mestre em Psicologia Clínica e da Saúde, pela Universidade do Porto, mas trouxe sempre consigo a escrita no percurso. Preocupada com histórias com finais menos felizes, tirou pós-graduação em Intervenção em Crise, Emergência e Catástrofe. Tornou-se também Formadora certificada, e trabalha como Psicóloga Clínica, com o objetivo de ajudar a construir histórias felizes, promovendo a saúde mental. Alimenta-se de projetos, objetivos e metas. No fundo, sonhos com um plano.