Quais os melhores filmes românticos de sempre?

Assistir a um filme romântico é certamente uma boa ideia para aqueles dias de chuva em que tudo o que se quer é acompanhar uma bela e inesquecível história de amor, não é mesmo?

O gênero romance atrai admiradores há séculos, desde quando se limitava às páginas da literatura. Quando o cinema surgiu, esta categoria tornou-se logo uma das mais requisitadas pelo público, ávido por acompanhar enredos cheios de ternura, paixão e finais felizes – afinal de contas, uma trama com romance causa sempre imensa identificação com o telespetador (pois felizmente, o amor é algo que está presente na vida de todos nós).

Existem filmes de romance que apresentam uma história dramática; já outros, possuem toques de aventura e ação. Existem também aqueles que possuem uma temática complexa, assim como existem aqueles que são mais leves e simples. Ou seja, existem produções para todos os gostos, e nesta lista dos melhores filmes românticos de sempre que preparamos para si, encontrará certamente o título ideal para um próximo serão – de preferência, ao lado de alguém por quem tenha sentimentos fortes. Prepare as pipocas, os lencinhos de papel, convide a melhor companhia e… divirta-se! Boa leitura!

1. Before Sunshine (1995)

Before Sunshine está nesta lista de melhores filmes românticos de sempre porque é simplesmente encantador. Com direção de Richard Linklater, o filme tornou-se um clássico, um verdadeiro retrato da geração de jovens dos anos 90.

A história mostra alguns momentos da vida de Celine (July Delpy) e Jesse (Ethan Hawke). Ele, um jovem americano, e ela, uma jovem francesa, cujos caminhos cruzam-se durante uma viagem de comboio. Um grande afeto cresce entre ambos e quando menos esperam estão envolvidos amorosamente. A espontaneidade da relação é o que transmite autenticidade e faz com que o espectador se aproxime ainda mais da narrativa – que na verdade é uma trilogia que conta com os mesmos atores, que gravaram nove anos depois o filme Before Sunset e, posteriormente, Sweet Dreams, em 2013. Se está à procura de filmes inspiradores, este certamente fá-lo-á suspirar.

2. Eternal Sunshine of the Spotless Mind (2003)

Eternal Sunshine of the Spotless Mind é um daqueles filmes românticos que vão “partir o seu coração” – sentimento muito comum quando um relacionamento chega ao fim. Aliás, este é o principal argumento do filme, a sensação de angústia e desespero provocadas por uma separação (e a vontade de apagar todas as lembranças dos momentos vividos).

Realizado por Michel Gondry, o filme relata a história de amor mal sucedida entre Joel Barrish (Jim Carrey) e Clementine Krzucinski (Kate Winslet), dois jovens que se submetem a um misterioso procedimento capaz de eliminar as memórias do seu relacionamento. Joel tenta a todo custo evitar o apagamento total das lembranças, pois percebe – um pouco tarde demais -, o quão importantes são essas recordações, visto que fazem parte de quem é. 

Eternal Sunshine of the Spotless Mind é um filme sobre autoconhecimento e sobre a importância de se permitir sentir a dor do luto pelo fim de uma relação.

3. Her (2014)

Realizado por Spike Jonze, Her não poderia faltar nesta seleção dos melhores filmes românticos de sempre. A história acompanha a trajetória de Theodore (Joaquin Phoenix), que se apaixona por Samantha (Scarlet Johansson). Até aqui, nada demais, não fosse Samantha a voz de um programa virtual. Assim tem início o “romance” entre um homem e uma máquina, estranha relação que não impede com que Theodore experiencie grandes emoções – e sofrimentos intensos.

A narrativa, que roça a ficção científica, mostra com extrema sensibilidade as dificuldades das relações na contemporaneidade, perpassando temas como abandono, solidão e vazio. Recomendamos que inclua este filme na sua lista de preferências!

4. Casablanca (1942)

Uma boa história de amor não tem um prazo de validade. Por isso, Casablanca figura nesta lista dos melhores filmes românticos de sempre. Clássico do cinema mundial realizado por Michael Curtiz, o filme retrata uma história de amor no meio do caos provocado pela Segunda Guerra Mundial. Os personagens Rick Blaine e Ilsa, interpretados por Humphrey Bogart e Ingrid Bergman, vivem um romance cheio de conflitos, misturando paixão e boas doses de sacrifício.

Além do enredo, principal motivo do sucesso desta obra-prima, existem outros fatores que contribuíram para este fenómeno cinematográfico, como um incrível guião, boas interpretações e uma realização primorosa. Casablanca vai certamente emocioná-lo, mesmo depois de quase oito décadas da sua realização.

5. A Bout de Souffle (1960)

Mais um clássico nesta seleção de melhores filmes românticos de sempre! A Bout de Souffle é a primeiro longa-metragem do aclamado cineasta francês Jean-Luc Godard, considerado um marco por levar para as telas diferentes elementos do que se costumava fazer no cinema até aquela época.

Godard, representante do movimento Novelle Vague, transformou o cinema ocidental por meio de novas referências, enquadramentos, planos e narrativas. É neste clima de inovação que A Bout de Souffle “surfa”: a sua história mostra a saga de Michel Poicard (Jean-Paul Belmondo), fugitivo da polícia que conhece Patrícia Franchisi (Jean Seberg) e com esta se envolve amorosamente. Juntos, o casal passa a imaginar planos fantásticos, o que lhes permite esquecer, mesmo que por alguns momentos, todos os problemas que os rodeiam. Vale muito a pena assistir esta obra-prima da Novelle Vague e de um dos maiores génios da sétima arte de todos os tempos, Jean-Luc Godard.

6. Something´s Gotta Give (2003)

Something´s Gotta Give é uma história de amor divertida e deliciosa entre duas pessoas mais velhas. Realizado por Nancy Meyers, o filme conta a história de Harry Sanbord (Jack Nicholson) e Erica Barry (Diane Keaton). Ele, um homem na faixa dos sessenta anos que sempre se envolveu com mulheres bem mais novas. Ela, a mãe da sua mais recente namorada. Muito diferentes, os dois  veem-se obrigados a relacionarem-se por alguns dias, e da convivência forçada nasce uma grande paixão – além de situações hilariantes e românticas. Vale a pena assistir, em grande medida, pelo seu enredo, pela sua leveza e, principalmente, por conta da atuação descontraída de dois génios da atuação, Nicholson e Keaton.

7. Gone with the Wind (1939)

Talvez este seja o clássico dos clássicos dos filmes de amor. Gone with the Wind é um filme norte-americano de 1939, realizado pelo trio Victor Fleming, George Cukor e Sam Wood, com um guião baseado no livro homónimo de Margaret Mitchell.

A história passa-se no sul dos Estados Unidos da América, e tem como pano de fundo a Guerra de Secessão e a era da Reconstrução. Conta a história de amor de Scarlett O’Hara (Vivien Leigh), filha mimada de um latifundiário da Georgia, com o aristocrata Rhet Butler (Clark Gable). Contudo, a menina, que tinha tudo o que queria, depois de viver uma série de desventuras transforma-se numa mulher corajosa, dona do seu futuro.

Gone with the Wind é um filme grandioso, um épico único que marcou a vida de várias gerações e que certamente vai fazer parte da sua lista dos melhores filmes românticos de sempre.

8. The Bridges of Madison County (1995)

The Bridges of Madison County é um filme de romance norte-americano realizado, coproduzido e protagonizado por Clint Eastwood. A trama desenrola-se em 1965, numa fazenda no estado de Iowa, e relata a história de uma dona de casa solitária, a italiana Francesca Johnson (Meryl Streep). Enquanto o seu marido e filhos estão fora, na feira do Estado de Illinois, conhece e apaixona-se por Robert Kincaid (Clint Eastwood), um fotógrafo que foi a Madison para retratar as pontes da região. Durante os dias que passam juntos, vivem um belo romance, que posteriormente seria relatado por Francesca no seu diário – encontrado após a sua morte pelos seus filhos.

Esta história de amor comovente, que narra o amor entre duas almas gêmeas que se conheceram demasiado tarde, não poderia faltar na nossa lista dos melhores filmes românticos de sempre.

9. Pretty Woman (1990)

Comédia romântica de 1990, Pretty Woman é um filme protagonizado por dois astros de Hollywood, Richard Gere e Julia Roberts, e realizado por Garry Marshall. Considerado um dos filmes mais populares de sempre, conta a história de Edward Lewis (Gere), um empresário da alta sociedade de Nova Iorque, e Vivian Ward (Roberts) uma prostituta. Estes se encontram casualmente na Hollywood Boulevard, zona de meretrício de Los Angeles, e passam a noite juntos. Depois, Edward decide contratá-la para ser a sua dama de companhia durante a sua estadia na cidade. Contudo, a relação extrapola o âmbito profissional, e acabam por se apaixonar – e superando todas as dificuldades inerentes de pessoas de universos tão diferentes. Uma história sobre o amor que consegue vencer os maiores obstáculos e ter um – merecido – final feliz.

10. Ghost (1990)

E para finalizar a nossa lista de melhores filmes românticos de sempre, não poderíamos deixar de mencionar Ghost, uma produção de 1990, dirigida por Jerry Zucker e protagonizada por Demi Moore e Patrick Swayze.

Ghost conta a inusitada história de amor entre Sam (Swayze) e Molly (Moore). Assassinado à frente da sua mulher na porta de um teatro, Sam recusa-se a deixar o plano dos vivos e afasta-se da sua amada, que também corre perigo de ser assassinada. Na sua jornada para tentar proteger Molly, encontra Oda Mae Brown, uma médium interesseira interpretada por Whoppi Goldberg que acaba por o ajudar na sua vingança contra o seu assassino, o amigo duas caras Carl Bruner (Tony Goldwyn). É ela quem o ouve e consegue alertar Molly do perigo que está a correr.

Ghost, filme sobre romance e luto, causa imensa comoção, por isso merece ser revisitado de tempos em tempos. Esta linda produção, responsável por uma das cenas mais icónicas do cinema (quando Molly está a fazer um vaso de cerâmica e Sam abraça-a por trás) merece ser chamada de clássica. Não deixe de assistir – ou de ver novamente.

Luana Castro Alves

Graduada em Letras e Pedagogia, redatora e revisora, entusiasta do universo da literatura, sempre à procura das palavras. "Não se pode escrever nada com indiferença." (Simone de Beauvoir)