Quantos países tem o mundo? Descubra a resposta!

Sempre teve curiosidade em saber quantos países tem o mundo? A maioria das pessoas já se fez essa pergunta – que parece simples, mas na verdade, não é! Isto porque existem alguns critérios para se obter uma resposta exata, visto que, a depender do reconhecimento de cada órgão internacional, o número de países pode variar entre 193 e 206 nações.

Referir também que existem questões diplomáticas e políticas que podem pesar na hora de se decidir se um determinado território poderá ser considerado um país ou não.

Ficou curioso? Então não deixe de ler este artigo onde esclarecemos, de uma vez por todas, quantos países tem o mundo. Acompanhe!

Mas afinal, quantos países tem o mundo?

Como referido, existem alguns fatores que precisam de ser considerados antes de se afirmar que um determinado território é um país. Entenda: para que um território seja alçado ao status de Estado, este precisa de cumprir com alguns requisitos básicos, como ter um governo, população e território; quando estes elementos existem e podem ser comprovados, é possível que sejam reconhecidos como países.

Atualmente, a ONU (Organização das Nações Unidas) é o órgão referência no que respeita ao reconhecimento de países em âmbito internacional, dispondo de um fórum político multilateral que avalia e concede soberania a um território. Além da ONU, outros órgãos como o Fundo Monetário Internacional (FMI), Banco Mundial, FIFA e Comité Olímpico também podem reconhecer nações.

Para que se possa considerar um país, uma região precisa ter um território definido, ser habitado com algum grau de permanência, ter instituições políticas e governo próprio, ter a independência reconhecida por outros Estados soberanos e interagir diplomaticamente com outros países.

Martin Purvis, especialista em geografia histórica e política da Universidade de Leeds

Dito isto, vamos à resposta para a questão inicial: de acordo com a ONU, quantos países tem o mundo? Atualmente, são 193 os países reconhecidos como tal, o que implica dizer que todos estes territórios têm reconhecimento das demais nações e atenderam aos requisitos impostos pela ONU – ou seja, estes países entraram com uma solicitação formal para o Secretário-Geral, passaram por uma avaliação do Conselho de Segurança e, finalmente, foram aprovados no formato de Resolução pela Assembleia Geral.

Importante referir que as questões geopolíticas podem atrapalhar o reconhecimento de um aspirante a país perante a comunidade internacional, situação em que se encontra a Palestina, por exemplo, considerada um Estado observador que, apesar de participar em debates e discussões, não tem direito a voto em determinados fóruns / matérias.

Além da Palestina, que enfrenta a resistência por parte de Israel no que concerne à questão territorial, o Tibete e Taiwan passam pela mesma situação. Este último chegou a ser reconhecido pela ONU, todavia, com a entrada da China como membro da organização, deixou de ser reconhecido por alguns países do bloco de nações estrangeiras.

E qual a razão da China, país de muita influência na comunidade internacional, se opor ao reconhecimento de Taiwan como nação? Bem, porque após a revolução comunista na China, os dissidentes capitalistas fundaram Taiwan; portanto, trata-se de uma questão de interesses e negociações políticas, e não meramente geográfica.

Já a Coreia do Norte enfrenta uma situação um pouco diferente, pois é reconhecida pela ONU, mas tem sido alvo de diversas sanções internacionais devido a problemas geopolíticos com outros países.

Países reconhecidos pelo Comité Olímpico

O Comité Olímpico Internacional (COI) reconhece, atualmente, 206 nações, das quais 193 são membros da ONU. O número é diferente porque durante a maior parte da existência dos Jogos Olímpicos não era necessário ser um país independente para participar. Assim, cada delegação participante nos jogos representa um território, ainda que composta por um único atleta.

Entre os países que não são reconhecidos como tal pela ONU, e que geralmente enviam representantes para as olimpíadas, estão as Ilhas Cayman, Bermudas e Ilhas Virgens Britânicas (parte do Reino Unido); Porto Rico, Ilhas Virgens Americanas, Samoa Americana e Guam (Estados Unidos da América); Ilhas Cook (Nova Zelândia), Hong Kong (China) e Aruba (Holanda) considerados territórios dependentes de outros países.

Países que “não existem”

Há países que não são tão conhecidos, razão pela qual a generalidade das pessoas muito dificilmente ouvirá sobre eles, seja no que respeita à cultura, moeda, língua, entre outros elementos que compõem a tal identidade nacional.

Via de regra, essas nações possuem autonomia e até moeda própria, não obstante, não são reconhecidas como um país, pela ONU. Esta é a situação da República de Nagorno-Karabakh (Alto Carabaque), Somalilândia, Abecásia, Transnístria, entre outros territórios.

O número de Estados não reconhecidos pode chegar a 50, estando estes localizados nos quatro cantos do globo: da Europa à África existem países que ainda lutam para “existir” como Estado.

Podemos ter novos países em breve?

Para Alex Jeffrey, geógrafo político com interesse particular em processos de construção do Estado, a pergunta “quantos países tem o mundo” não poderá ser respondida com exatidão tão cedo. Isto porque, para o investigador britânico, as mudanças na geopolítica mundial ainda podem provocar surpresas, mesmo de onde não se esperava. Existem Estados que são produto da colonização europeia e que se dividiram recentemente (algo que era esperado), como é o caso do Sudão, por exemplo.

Nós sempre tivemos essa situação confusa, uma mistura de Estados e não-Estados. Na verdade, o mapa político do mundo é uma ficção. Ele nunca foi organizado, e continua não sendo.

Dra. Fiona McConnel, professora de Geografia Humana da Universidade de Oxford.

Já na Europa o clima de tensão acontece numa região que aparentemente estava bem definida, visto que a Escócia vive hoje a possibilidade de um novo referendo sobre a independência do país do Reino Unido, sobretudo após o Brexit.

Concluindo: embora seja quase improvável que o mundo viva novamente picos de criação de países (tal como aconteceu entre os anos de 1960 a 1990, com a descolonização europeia dos países africanos e o esfacelamento da antiga União Soviética), não está descartado que possam surgir novos Estados como fruto de tensões políticas e sociais.

Portanto, da próxima vez que alguém lhe perguntar “quantos países tem o mundo“, seja categórico em sua resposta: depende!

Lista de países reconhecidos pela ONU

Conheça a lista de países reconhecidos pela Organização das Nações Unidas:

A

  • Afeganistão
  • África do Sul
  • Albânia
  • Alemanha
  • Andorra
  • Angola
  • Antígua e Barbuda
  • Arábia Saudita
  • Argélia
  • Argentina
  • Armênia
  • Austrália
  • Áustria
  • Azerbaijão

B

  • Bahamas
  • Bahrein
  • Bangladesh
  • Barbados
  • Bélgica
  • Belize
  • Benim
  • Bielorrússia
  • Bolívia
  • Bósnia e Herzegovina
  • Botswana
  • Brasil
  • Brunei
  • Bulgária
  • Burquina Fasso
  • Burundi
  • Butão

C

  • Cabo Verde
  • Camarões
  • Camboja
  • Canadá
  • Catar
  • Cazaquistão
  • Chade
  • Chile
  • China
  • Chipre
  • Colômbia
  • Comores
  • República Checa
  • República Democrática do Congo
  • República do Congo
  • Coreia do Norte
  • Coreia do Sul
  • Costa do Marfim
  • Costa Rica
  • Croácia
  • Cuba

D

  • Dinamarca
  • Djibouti
  • Dominica

E

  • Egito
  • Emirados Árabes Unidos
  • El Salvador
  • Equador
  • Eritreia
  • Eslováquia
  • Eslovênia
  • Espanha
  • Essuatíni
  • Estados Unidos da América
  • Estónia
  • Etiópia

F

  • Fiji
  • Filipinas
  • Finlândia
  • França

G

  • Gabão
  • Gâmbia
  • Gana
  • Geórgia
  • Granada
  • Grécia
  • Guiana
  • Guatemala
  • Guiné
  • Guiné-Bissau
  • Guiné Equatorial

H

  • Haiti
  • Honduras
  • Hungria

I

  • Iémen
  • Islândia
  • Índia
  • Indonésia
  • Irão
  • Iraque
  • Irlanda
  • Israel
  • Itália

J

  • Jamaica
  • Japão
  • Jordânia

K

  • Kiribati
  • Kuwait

L

  • Laos
  • Lesoto
  • Letônia
  • Líbano
  • Libéria
  • Líbia
  • Liechtenstein
  • Lituânia
  • Luxemburgo

M

  • Macedónia do Norte
  • Madagáscar
  • Malawi
  • Malásia
  • Maldivas
  • Mali
  • Malta
  • Marrocos
  • Ilhas Marshall
  • Mauritânia
  • Maurícia
  • México
  • Mianmar
  • Estados Federados da Micronésia
  • Moldávia
  • Mónaco
  • Mongólia
  • Montenegro
  • Moçambique

N

  • Namíbia
  • Nauru
  • Nepal
  • Nicarágua
  • Níger
  • Nigéria
  • Noruega
  • Nova Zelândia

O

  • Omã

P

  • Países Baixos
  • Paquistão
  • Palau
  • Panamá
  • Papua-Nova Guiné
  • Paraguai
  • Peru
  • Polónia
  • Portugal

Q

  • Quénia
  • Quirguistão

R

  • Reino Unido
  • República Centro-Africana
  • República Dominicana
  • Roménia
  • Ruanda
  • Rússia

S

  • Ilhas Salomão
  • San Marino
  • São Cristóvão e Neves
  • Santa Lúcia
  • São Tomé e Príncipe
  • São Vicente e Granadinas
  • Samoa
  • Senegal
  • Sérvia
  • Serra Leoa
  • Seicheles
  • Singapura
  • Síria
  • Somália
  • Sri Lanka
  • Sudão
  • Sudão do Sul
  • Suécia
  • Suíça
  • Suriname

T

  • Tajiquistão
  • Tailândia
  • Tanzânia
  • Timor-Leste
  • Togo
  • Tonga
  • Trindade e Tobago
  • Tunísia
  • Turquemenistão
  • Turquia
  • Tuvalu

U

  • Ucrânia
  • Uganda
  • Uruguai
  • Uzbequistão

V

  • Vanuatu
  • Venezuela
  • Vietname

Z

  • Zâmbia
  • Zimbabwe

Luana Castro Alves

Licenciada em Letras e Pedagogia, redatora e revisora, entusiasta do universo da literatura, sempre à procura das palavras. "Não se pode escrever nada com indiferença." (Simone de Beauvoir)