Relacionamentos abusivos: conheça os sinais e os fatores de risco

Embora não seja propriamente novo, o tema dos relacionamentos abusivos tem ganho destaque nos meios de comunicação e a despertar o interesse dos especialistas e da população em geral.

Os relacionamentos abusivos são capazes de desestabilizar a dinâmica de qualquer casal e afetar negativamente a saúde mental das vítimas. Nem sempre é fácil perceber às vítimas que estão numa relação tóxica, no entanto, existem alguns sinais de alerta que caracterizam abuso no relacionamento. Desubra neste artigo o que é e como identificar que se está perante um relacionamento abusivo.

O que é relacionamento abusivo?

Relacionamento abusivo é qualquer relação onde ocorram abusos físicos, psicológicos, morais, sexuais ou financeiros. Apesar dos relacionamentos abusivos poderem existir em qualquer relação interpessoal, como por exemplo, a relação entre o funcionário e o chefe, entre pai e filho, estes termos são mais utilizados para caracterizar os abusos ocorridos dentro de um relacionamento amoroso.

Quais os sinais de um relacionamento abusivo?

Um relacionamento abusivo pode acontecer em qualquer relação amorosa, seja ela hétero ou homossexual. Muitas vezes o relacionamento abusivo é de difícil identificação, já que existem algumas formas de abuso e violência que são menos perceptíveis ou pura e simplesmente não entendidas como violência.

Não obstante, existem alguns sinais que podem indicar uma situação de relacionamento abusivo. Estes sinais são comportamentos pelo parceiro abusador e que geralmente antecedem atos mais graves de violência.

Esses comportamentos são divididos em duas categorias, conheça-as e saiba identificar um relacionamento abusivo.

  1. Isolamento social: o parceiro abusador isola o outro do contato com amigos, família de origem e até vizinhos. O intuito dessa restrição social é fazer com que a vítima fique cada vez mais presa ao abusador.
  2. Controlo: Trata-se de controlo propriamente dito, onde o abusador exige que a vítima forneça “relatórios” constante sobre seu dia, o que fez, com quem estava e onde foi. Impedir acesso a dinheiro, trabalho, estudo e meios de comunicação também são formas de controlo, para além de episódios de ciúmes excessivos.

Embora os relacionamentos abusivos comecem a partir destes comportamentos, na maioria das vezes eles evoluem para casos mais graves de violência. Isso acontece pelo facto de que a vítima ter dificuldade em percepcionar os sinais iniciais de um relacionamento abusivo, o que torna mais fácil para o parceiro abusador evoluir para graus mais altos de violência. Conheça os tipos de violência que podem ocorrer num relacionamento abusivo.

  1. Violência Física: É a forma mais clara de violência e caracteriza-se pelo uso da força física, de objetos ou armas que possam causar lesões físicas. Estalos, murros, empurrões, puxões de cabelo, uso de objetos cortantesm, entre outros.
  2. Violência psicológica: Utilizar insultos, injúrias, ofensas e humilhações que provocam prejuízos à autoestima e estado psicológico e emocional da vítima.
  3. Violência Sexual: É uma forma de violência de difícil identificação dentro dos relacionamentos amorosos, pois acredita-se que, pelo facto de se estar numa relação conjugal, os parceiros têm uma “obrigação sexual”. No entanto, forçar atos sexuais quando o parceiro não quer, para além de um crime, punível pela legislação penal portuguesa, constitui uma forma de violência um tanto ao quanto comum em relacionamentos abusivos.
  4. Violência patrimonial: Qualquer prática de retenção, subtração, destruição parcial ou total de objetos da vítima, instrumentos de trabalho, documentos pessoais, bens, valores e direitos ou recursos econômicos.
  5. Violência Moral:  Qualquer conduta que visa difamar e caluniar a vítima. Um exemplo bastante comum de violência moral é expor e compartilhar conteúdos íntimos do casal, como fotos e vídeos.

Quais os fatores de risco de um relacionamento abusivo?

Diversos estudos apontam a existência de alguns fatores de risco para que uma relação amorosa se torne um relacionamento abusivo. É importante que, ao identificar algum desses fatores de risco, o casal (ou a vítima) adote medidas preventivas para evitar que a relação se torne um relacionamento abusivo. São eles:

  1. indícios de violência em relacionamentos anteriores
  2. ciúmes, necessidade de controlo e discussões frequentes;
  3. dinâmica agressiva, isolamento e enclausuramento da relação, distanciamento social de familiares e amigos;
  4. baixa capacidade do casal para solucionar conflitos através do diálogo;
  5. elevado nível de dependência econômica e/ou emocional dos parceiros;
  6. baixa autoestima e pouca autonomia dos par­ceiros;
  7. sentimento de posse exagerado por parte dos parceiros (ciúmes exacerbados);
  8. alcoolismo e/ou adição a substâncias psicotrópicas de um dos mem­bros do casal ou de ambos.

Os relacionamentos abusivos não são de hoje, aliás estiveram sempre presentes nas relações humanas. No entanto, nos tempos atuais é este fenómeno tão complexo tem ganho algum espaço de discussão. Se é vítima de um relacionamento abusivo fique a saber que não está só, existindo inúmeras redes de apoio para o(a) ajudar a identificar e superar uma relação tóxica. Com o devido apoio a vítima pode recuperar a autoestima perdida num relacionamento abusivo e reestabelecer uma boa qualidade de vida.

A redação do trabalhador.pt

Adicionar comentário