Sensibilidade dentária: quais as causas e como a evitar?

Já aconteceu sentir uma dor forte nos dentes ao ingerir algo muito quente ou muito frio? Este é o principal sinal da sensibilidade dentária, uma das condições mais comuns e frequentes quando se fala de saúde oral.

Este problema é bastante incomodativo porque transforma momentos aparentemente simples e descomplicados, como as pausas para o café, em momentos de dor e desconforto.

Embora a sensibilidade dentária seja uma dor passageira, que só acontece quando há contato com determinados alimentos ou bebidas, é importante ter atenção e procurar ajuda de um dentista para determinar quais as suas causas, proceder ao seu diagnóstico e, a partir daí, ser determinada a melhor opção de tratamento.

Neste artigo abordamos a sensibilidade dentária, procurando dar resposta a algumas das questões mais frequentes, nomeadamente quais as suas causas mais comuns e que medidas adotar para a evitar.

O que é a sensibilidade dentária?

A sensibilidade dentária acontece basicamente quando a camada interna que envolve o nervo dos dentes se desgasta. Esta camada, chamada de dentina, é coberta pelo esmalte da coroa e pela gengiva. Em virtude do desgaste, os dentes perdem a sua camada protetora, fazendo com que o tecido sob o esmalte fique exposto.

Este problema pode também ocorrer em virtude de outros problemas de saúde oral. A título de exemplo, referir que a escovação dos dentes com uma escova inapropriada (demasiado rígida, por exemplo) pode danificar as gengivas, deixando exposta a raiz dos dentes.

Embora, regra geral, a sensibilidade dentária não seja algo muito grave é bastante incomodativa, acabando por atrapalhar a vida quotidiana, nomeadamente as refeições, e, consequentemente, prejudicando a qualidade de vida das pessoas.

Quais as causas da sensibilidade dentária?

São inúmeras as causas que podem estar na origem da sensibilidade dentária. Entre as mais comuns, destacamos:

  • Consumo excessivo de alimentos e bebidas ácidas, como frutas cítricas, vinho, iogurtes, refrigerantes e café, que causam a erosão do esmalte dos dentes;
  • Altos níveis de stress e de ansiedade, que podem ter como consequência o bruxismo, que provoca danos no esmalte e aumenta a sensibilidade dos dentes;
  • Problemas que afetam as gengivas, como a gengivite, por exemplo;
  • Tratamentos dentários como o uso de aparelhos ortodônticos;
  • Fraturas, perda ou restauração dos dentes;
  • Refluxo gastroesofágico;
  • Dietas restritivas, que costumam tornar o pH da boca mais ácido;
  • Branqueamentos dentários caseiros, com o uso de produtos agressivos para os dentes;

Todas estas condições podem, de alguma forma, gerar um desgaste nos dentes ou nas gengivas, fazendo com que as dores apareçam.

Diferenças entre sensibilidade dentária e cáries

Como referimos, na maioria das vezes, a sensibilidade é causada pelo desgaste dos dentes, não obstante, em alguma situações, poderá ser uma consequência de cáries dentárias. Precisamente por este motivo, é relativamente comum que algumas pessoas confundam sensibilidade dentária com cáries. Não obstante, as dores provocadas por estas condições são diferentes.

A dor causada pela sensibilidade é mais aguda e tem uma duração curta. Esta surge basicamente ao comer determinados alimentos ou a ingerir bebidas. Já a dor que resulta das cáries nos dentes tende a ser mais duradoura, não surgindo apenas quando consume/ingere determinados alimentos.

Como tratar sensibilidade dentária?

O tratamento da sensibilidade dentária vai depender da causa. Ao consultar um dentista para lhe ser diagnosticado o problema, é comum que sejam realizados alguns testes, como estímulos que expõem os dentes ao frio ou ao contato com alguns objetos, de forma a determinar o local exato da dor, bem como a sua intensidade.

A partir daí, o médico dentista saberá indicar qual o melhor tratamento. Regra geral, inicialmente é feita uma recuperação do esmalte dentário. Poderá também haver lugar à aplicação de flúor, de forma a aumentar a proteção, e de um material fixador que visa conferir impermeabilização aos dentes.

Além disso, é importante resolver o problema que está na gênese da sensibilidade dentária. Em alguns casos, isso poderá ser feito de forma simples, nomeadamente através da alteração de alguns hábitos, como por exemplo nos casos de uma escovação incorreta ou alimentação inadequada.

Já em casos mais graves, que tenham comprometido a estrutura dos dentes ou do tecido gengival, podem ser necessárias intervenções cirúrgicas de forma a realizar uma restauração.

Dicas para evitar sensibilidade dentária

Mesmo com o tratamento correto, a sensibilidade pode voltar a surgir no futuro. Por isso é importante ter atenção a alguns cuidados diários com os dentes. Em seguida, partilhamos algumas coisas que pode fazer para evitar a sensibilidade dentária:

  • Escolher uma escova de dentes com cerdas macias;
  • Usar uma pasta de dentífrica para dentes sensíveis;
  • Não fazer força/pressão ao escovar os dentes;
  • Usar diariamente fio dental, que ajuda a evitar doenças nas gengivas;
  • Evitar alimentos que causem acidez na boca;
  • Evitar as bebidas como refrigerantes, cafés ou sumos de frutas cítricas;
  • Procurar formas de tratar o bruxismo;
  • Não realizar branqueamentos dentários com produtos caseiros;
  • Evitar consumir alimentos frios após ingerir um alimento quente e vice-versa;
  • Não submeter-se a nenhum procedimento estético sem indicação ou acompanhamento médico;
  • Visitar regularmente seu o dentista.

Saber o que pode causar a sensibilidade dentária, ter informações sobre o problema e entender qual é a forma correta de cuidar dos seus dentes irá, certamente, ajudá-lo a mantê-los fortes e sem dor!

A redação do trabalhador.pt