Sonilóquio: porque falamos quando dormimos?

Certamente conhece alguém que fala durante o sono. Talvez você mesmo o faça sem ainda ter reparado. A verdade é que este fenómeno, conhecido por sonilóquio, é mais comum do que se pensa, e embora afete mais recorrentemente as crianças, qualquer pessoa está sujeita a episódios de fala durante o sono.

Neste artigo, iremos abordar em que consiste o sonilóquio, nomeadamente quais as suas causas, bem como outras questões relacionadas.

O que é o sonilóquio?

O sonilóquio trata-se de um distúrbio do sono caracterizado pela fala durante o período em que a pessoa está a dormir. Como já sabemos, o nosso cérebro nunca adormece totalmente, sendo que continua a formular pensamentos inconscientes, que podem levar, em determinados casos, à fala.

O sonilóquio manifesta-se mais frequentemente nas crianças e pode ser caracterizado por episódios de fala, murmúrios, diálogos muitas vezes pouco elaborados e incompreensíveis, e até mesmo por gritos.

Quais as causas do sonilóquio?

Algumas pessoas acreditam que falar durante o sono é apenas um resultado dos sonhos que, neste caso, são reproduzidos além da mente da pessoa, passando também pelas palavras. No entanto, este não é um facto confirmado, até porque o sonilóquio ocorre em qualquer fase do sono e não apenas na fase REM (a mais profunda e caracterizada pela ocorrência dos sonhos.

Segundo especialistas, o sonilóquio pode ser causado pelos seguintes fatores:

  • Determinados medicamentos;
  • Stress;
  • Febre;
  • Álcool;
  • Doenças psicológicas.

Apesar dos fatores mencionados, o sonilóquio pode ocorrer sem uma grande razão aparente, sendo na grande maioria das vezes algo completamente inofensivo e que normalmente não exige uma grande atenção.

No entanto, é possível que o sonilóquio esteja associado a algum distúrbio do sono mais grave ou até mesmo a outro problema de saúde.

O sonilóquio pode provocar outros problemas?

Sim. Se a fala durante o sono acabar por interferir com as horas de descanso, tal irá refletir-se negativamente no dia a dia da pessoa, e como tal deverá consultar um especialista no sono.

A privação do sono pode contribuir não só para o mau estar diário, humor negativo, cansaço e falta de produtividade, como também para algo mais sério ainda como o desenvolvimento de doenças cardiovasculares, diabetes e obesidade.

Portanto, qualquer coisa que interfira com o sono, como é o caso do sonilóquio, pode revelar-se problemático. Desta forma, se verificar que os episódios de fala no sono são recorrentes e que se vão agravando com o tempo, por exemplo através do aumento do volume da sua voz, o melhor será contactar um profissional.

Como tratar o sonilóquio?

Como já mencionado, a maioria dos casos de sonilóquio são leves e inofensivos, portanto, normalmente, não é necessário nenhum tratamento específico. Contudo, existem alguns hábitos que poderá alterar no seu dia a dia, de modo a verificar melhorias e até mesmo para resolver o problema do sonilóquio:

  • Deitar-se e levantar-se sempre à mesma hora;
  • Dormir entre sete a nove horas por noite;
  • Evitar o álcool, pois esta substância pode afetar significativamente o sono e causar alguns distúrbios.
  • Cuidar da sua saúde mental, procurando formas de diminuir o stress e ansiedade, como através da meditação.
  • Cuidar do seu ambiente de descanso, ou seja, procurar formas de relaxar a sua mente antes de dormir. Para tal, evite usar dispositivos eletrónicos momentos antes de se deitar, pois a luz destes interfere na produção da melatonina, que é responsável por alertar o nosso corpo que está na hora de dormir.

Mais uma vez é sempre aconselhável consultar um profissional de saúde caso tenha episódios de fala no sono recorrentes, e principalmente se sentir que o sonilóquio se está a agravar.

Devemos acordar alguém que fala durante o sono?

Na maioria das vezes, se o sonilóquio se tratar de um caso isolado, não adiantará de muito acordar a pessoa em questão, pois quando esta voltar a adormecer, o mais provável será voltar também a falar.

No entanto, se estiver perante casos mais “agressivos” marcados por movimentos bruscos e tom elevado de voz, o melhor será perguntar a opinião de um especialista, pois cada caso pode merecer uma atenção diferente.

Como já mencionado, se estiver a experienciar episódios de fala durante o sono ou se conhecer alguém que sofra de sonilóquio, não se preocupe, pois realmente na maioria das vezes não há razão para preocupação. No entanto, esteja atento aos sintomas e procure um especialista se os episódios se tornarem mais frequentes e agressivos, pois poderá estar a enfrentar algo mais grave do que uma simples perturbação no sono.

Esperamos que este artigo tenha sido esclarecedor!

A redação do trabalhador.pt