TPM: sintomas, causas e tratamento da tensão pré-menstrual

Vontade de chorar, irritabilidade, mau humor, cansaço, dores de cabeça e inchaço nas pernas. Todos estes sintomas, que inegavelmente prejudicam a qualidade da vida, estão associados à síndrome pré-menstrual, também conhecida por tensão pré-menstrual, ou simplesmente, TPM.

Condição muito comum entre as mulheres, a TPM é uma síndrome que surge cerca de uma ou duas semanas antes da menstruação, trazendo consigo diversos sintomas físicos e psicológicos desagradáveis, mas que infelizmente ainda são subestimados, especialmente pelos homens.

E qual a razão de alguns homens terem dificuldades em entender as mulheres durante a TPM? A resposta é simples: porque do ponto de vista das hormonas sexuais, são muito mais simples do que as mulheres, dado que os seus níveis de progesterona diminuem apenas em razão do envelhecimento. Já nas mulheres a oscilação da concentração das hormonas dá-se de um dia para o outro, e não apenas em virtude do envelhecimento, por isso é natural que o humor seja inconstante, motivo que leva alguns homens a acreditam que elas são “difíceis de entender”.

Todavia, com um pouco de boa vontade e informação é possível entender o que acontece no corpo feminino durante a TPM, o que acarretará menos julgamentos e mais compreensão. Acompanhe este artigo que preparamos especialmente para si e abandone alguns antigos conceitos acerca da tensão pré-menstrual. Boa leitura!

Afinal, o que é a tensão pré-menstrual?

Como referido, a tensão pré-menstrual (TPM) é uma combinação de sintomas que algumas mulheres apresentam aproximadamente uma semana antes de menstruar. Os sintomas surgem antes do início da menstruação (até cinco dias) e desaparecem ainda durante a menstruação. Esses sintomas afetam o corpo e o cérebro, sendo que a sua intensidade diferente de mulher para mulher.

Quais os principais sintomas da TPM?

Sabia que, durante a TPM, 85% das mulheres sentem pelo menos um sintoma comummente associado à síndrome? É o que afirma uma pesquisa realizada pelo Colégio Americano de Obstetras e Ginecologistas. Felizmente, uma grande parte dessas mulheres apresentam sintomas leves, que dispensam cuidados especiais. Todavia, existe uma pequena percentagem, entre 3% e 8%, que desenvolvem uma forma severa da tensão pré-menstrual, conhecida como distúrbio disfórico pré-menstrual.

Entre os sintomas mais comuns da síndrome pré-menstrual estão:

  • Cólicas;
  • Dores nas costas;
  • Variação de humor;
  • Sensibilidade nos seios;
  • Problemas de pele;
  • Dores de cabeça;
  • Inchaço;
  • Surtos de irritabilidade;
  • Vontade de chorar sem motivo aparente;
  • Mau humor;
  • Cansaço.

Quais as causas da tensão pré-menstrual?

A principal causa da tensão pré-menstrual (TPM) é a alteração hormonal durante o período menstrual, que por sua vez interfere no sistema nervoso central. Os médicos e cientistas acreditam que existe uma conexão entre as hormonas sexuais femininas, nomeadamente as endorfinas, e os neurotransmissores, tais como a serotonina, cujos níveis oscilam durante o período do ciclo menstrual.

Neste âmbito, referir que é sobejamente conhecido que a serotonina atua sobre o humor das pessoas, ou seja, quando o seu nível no organismo está alto, ficamos felizes e bem-humorados. Não obstante, quando havendo uma queda durante o período pré-menstrual, a mulher poderá ficar mal humorada.

Outra das causas da TPM é a alteração hormonal que acontece na segunda metade do ciclo menstrual, quando há um aumento da progesterona e uma queda do estrogénio. A progesterona provoca retenção de líquidos, o que acarreta um aumento das prostaglandinas (grupo de lipídios produzidos em locais de dano ou infeção tecidual que estão envolvidos no tratamento de lesões e doenças) causando dores e inchaço. A queda do estrogénio leva à vasodilatação, razão pela qual, é relativamente comum que durante a tensão pré-menstrual a mulher se queixe de dores de cabeça.

Além das causas mencionadas, existe ainda um terceiro fator: a sensibilidade de cada mulher e a sua genética. As mulheres cujas mães apresentaram TPM possuem uma maior probabilidade de desenvolver a síndrome pré-menstrual.

Como é feito o diagnóstico da TPM?

A tensão pré-menstrual pode gerar sérios transtornos para a vida pessoal e profissional da mulher, por isso, deve ser devidamente tratada nos casos mais sérios. Infelizmente, o tempo de diagnóstico da TPM costuma ser moroso, sobretudo em razão da falta de exames que comprovem a existência da síndrome pré-menstrual.

Existem algumas mulheres que sofrem de sintomas severos da tensão pré-menstrual durante anos, passam por diversos médicos e muitas vezes não conseguem o diagnóstico correto, o que certamente proporcionaria uma melhor qualidade de vida à paciente.

Embora a TPM não possua diagnóstico e tratamento específicos, pode sim ser identificada a partir de um quadro de sintomas e de uma avaliação minuciosa por parte de um profissional médico. Caso sofra com os efeitos da síndrome pré-menstrual, não deixe de buscar ajuda especializada: procure um ginecologista e relate o seu problema. Assim, poderá dar início ao melhor tratamento para o seu caso.

Tratamentos e cuidados da TPM

No tratamento da tensão pré-menstrual, os médicos ginecologistas poderão recomendar o uso de alguns medicamentos ou suplementos, nomeadamente:

  • Pílula anticoncepcional: o medicamento barra os efeitos da TPM, visto que a tensão pré-menstrual está relacionada com a ovulação. Isto acontece porque a pílula tem o poder de suspender a menstruação, afastando assim os sintomas desagradáveis da síndrome pré-menstrual;
  • Antidepressivos: em casos graves de TPM, nomeadamente síndrome disfórica pré-menstrual, é necessária uma medicação mais específica, como antidepressivos. Estes conseguem melhorar a qualidade de vida das mulheres que sofrem com a disfunção, mas, à semelhança de qualquer medicamento, apenas devem ser utilizados com expressa indicação médica;
  • Vitaminas, minerais e ácidos: embora não exista ainda comprovação científica, resultados de tratamentos utilizando a vitamina B6 (piridoxina), a vitamina E, o cálcio e o magnésio mostram que essas substâncias podem ajudar a diminuir os sintomas da TPM. O mesmo acontece com o ácido gama linoleico, ácido graxo essencial encontrado no óleo de prímula.

Como atenuar os efeitos da TPM?

A tensão pré-menstrual provoca impactos consideráveis na rotina de quem dela sofre, atrapalhando a realização das tarefas diárias, sejam profissionais ou pessoais. Todavia, além do tratamento a ser indicado pelo médico ginecologista, existem algumas dicas que amenizam os sintomas da síndrome pré-menstrual, nomeadamente:

  • Praticar atividades que proporcionem bem-estar: que tal dar uma volta no parque ou aprender algum trabalho manual? Ter hobbies ajuda a aliviar a tensão e o stress provocados pela TPM;
  • Praticar exercício físico: pode ser uma caminhada, natação, andar de bicicleta ou qualquer outro exercício da sua preferência. Estar ativa minimiza as dores e aumenta a autoestima;
  • Controlar a sua agenda: nos dias que antecedem a sua menstruação, evite agendar compromissos pessoais ou de trabalho. Esta é uma medida que a pode ajudar a evitar desgastes e decisões precipitadas;
  • Afastar os pensamentos negativos: durante a TPM é normal que surjam alguns negativos, afinal de contas, o corpo está a passar por uma fase de oscilação hormonal e a enfrentar algumas dores. Contudo, é importante focar-se nas coisas boas, assim será mais fácil atravessar esse período conturbado;
  • Ter uma alimentação equilibrada: inclua verduras, frutas, legumes e carnes magras no seu cardápio. Evite alimentos industrializados e fritos;
  • Diminuir a quantidade de sal: o excesso de sal na alimentação provoca a retenção de líquidos, causando inchaço corporal, incómodo muito comum durante a tensão pré-menstrual;
  • Redobrar os cuidados com a pele: durante a TPM é normal que a oscilação hormonal provoque o aumento da oleosidade da pele e o surgimento de acne; portanto, invista numa rotina de cuidados diários de hidratação e limpeza para lidar com esses incómodos.

Lembre-se: a TPM não tem cura, todavia, é possível minimizar os seus efeitos adotando os cuidados acima mencionados. Além disso, é indispensável que procure ajuda médica caso perceba que a síndrome pré-menstrual está a atrapalhar a sua rotina, afinal de contas, é normal sentir os seus impactos, não obstante, existem limites. Invista na sua qualidade de vida e faça a sua parte para viver com mais saúde. Cuide-se!

Luana Castro Alves

Graduada em Letras e Pedagogia, redatora e revisora, entusiasta do universo da literatura, sempre à procura das palavras. "Não se pode escrever nada com indiferença." (Simone de Beauvoir)