Vitamina A: benefícios e principais fontes nutricionais

O corpo humano é uma máquina engenhosa que, para funcionar bem, depende de uma série de nutrientes, entre eles, a vitamina A. Famosa pela sua composição antioxidante, a vitamina A atua sobre o sistema imunitário, protegendo-o dos vírus, bactérias e outros microrganismos nocivos, bem como contribuindo para a renovação celular, formação de colágeno, entre outras funções que contribuem para a nossa saúde.

Facto é que as vitaminas não são produzidas pelo organismo, por isso, saber onde podem ser encontradas é indispensável para que tenhamos uma alimentação saudável, que nos forneça todos os nutrientes necessários para a manutenção do bem-estar. Se está à procura de mais informações sobre a vitamina A, nomeadamente para que serve, qual a sua importância para o corpo humano e onde pode ser encontrada, então este artigo é para si!

O que é vitamina A e para que serve?

Micronutriente lipossolúvel, isto é, dissolvido em gordura, a vitamina A está disponível em alimentos de origem animal e nos vegetais. Entre os principais benefícios do seu consumo estão o fortalecimento da imunidade e a regeneração de tecidos – ações que podem prevenir o surgimento de várias doenças e contribuir para o pleno desenvolvimento das crianças, que têm contato com este nutriente nos primeiros dias de vida, através do leite materno

Todavia, as crianças não são as únicas beneficiadas com os impactos positivos da vitamina A no organismo. Nos adultos, o nutriente pode, por exemplo, retardar o envelhecimento das células, promover a saúde ocular, diminuir a incidência de diversos tipos doenças.

Confira infra para que serve a vitamina A e conheça a sua importância:

1. Ação anti-inflamatória

Entre os principais benefícios da vitamina A está a sua capacidade de prevenir e combater quadros de inflamação. Esta ação anti-inflamatória é fundamental para o desenvolvimento de um sistema imunitário saudável e também para a preservação da integridade epitelial, prevenindo o surgimento de inflamações cutâneas e acnes. Ademais, a vitamina A é também eficiente na recuperação da pele, no combate a inflamações pulmonares e na prevenção de vários tipos de cancro.

2. Ação antioxidante

Eficaz no combate aos radicais livres, agentes que aceleram o envelhecimento das células, a vitamina A é reconhecida pela sua ação antioxidante – o que garante a preservação dos tecidos diversos, especialmente mucosas, células da pele, ossos e olhos.

3. Manutenção do sistema imunitário

Como referido, a vitamina A é um nutriente indispensável para o nosso sistema imunitário, ajudando-o a manter-se forte e saudável. Quando absorvido pelo organismo, a vitamina A estimula a produção de anticorpos, o que aumenta a capacidade do corpo de se defender de agentes invasores que causam diversas doenças.

4. Renovação celular e desenvolvimento de tecidos

Quando sintetizada pelo corpo humano, a vitamina A fornece proteínas e componentes essenciais para o desenvolvimento de tecidos da pele, mucosa, ossos, dentes, esmalte dentário e globos oculares.

5. Benefícios para a visão e tecidos oculares

A vitamina A proporciona inúmeros benefícios para a visão, pois auxilia na preservação e renovação de tecidos e mantém saudável as nossas estruturas oculares, nomeadamente, o tecido conjuntivo, a retina e as córneas. Por este motivo, este nutriente é um importante aliado na prevenção da cegueira, hipersensibilidade à luz, entre outros problemas que podem afetar a visão.

6. Regulação da gordura corporal

Por ser lipossolúvel, a vitamina A ajuda o organismo a regular os níveis de gordura, estimulando a ação termogénica que faz o corpo queimar as reservas de gordura para auxiliar na sua absorção. Por conta desse fenómeno, a vitamina A é capaz de contribuir para a função dos tecidos adiposos e prevenir a chamada gordura localizada e acumulada no organismo, sendo portanto, uma aliada da saúde cardiovascular.

7. Potencialização do ganho de massa muscular

A vitamina A desempenha papel importante na construção do tecido muscular. Quando combinada com outros nutrientes que também auxiliam nesse processo, é capaz de promover o ganho de massa nos músculos, que também são fortalecidos.

8. Desenvolvimento embrionário e infantil

A vitamina A é imprescindível para o desenvolvimento infantil, pois contribui significativamente para a formação de quase todos os tecidos do corpo, além de promover a sua preservação e regeneração.

As mulheres grávidas devem ingerir alimentos que contenham esse nutriente e/ou fazer a suplementação por meio de cápsulas (desde que, obviamente, devidamente recomendadas pelo seu médico).

Importante referir que, após o nascimento, é na amamentação que o bebé terá acesso à vitamina A, encontrada no leite materno. A partir do sexto mês de vida, durante a introdução alimentar, deverão ser oferecidos à criança outros alimentos que sejam fonte de vitamina A.

Quantidade diária recomendada de vitamina A

A quantidade diária necessária de vitamina A varia de acordo com o grupo etário. No entanto, existem valores mínimos a serem ingeridos diariamente. Conheça a recomendação:

Grupo etárioQuantidade
0 a 6 meses400 microgramas / dia
6 a 12 meses500 microgramas / dia
1 a 3 anos300 microgramas / dia
4 a 8 anos400 microgramas / dia
9 a 13 anos600 microgramas / dia
Mulheres de 14 anos ou mais700 microgramas / dia
Homens de 14 anos ou mais900 microgramas / dia
Gestantes750 a 770 microgramas / dia
Lactantes1200 a 1300 microgramas / dia

Quais as principais fontes de vitamina A?

Conheça infra os alimentos que contam com uma maior concentração de vitamina A:

Alimentos de origem vegetal

  • Cenoura;
  • Batata-doce;
  • Espinafre;
  • Manga;
  • Acelga;
  • Brócolos;
  • Pimentão;
  • Tomate;
  • Abacate;
  • Mamão;
  • Laranja;
  • Abóbora;
  • Damasco;
  • Pêssego;
  • Goiaba;
  • Couve.

Alimentos de origem animal

  • Iogurtes;
  • Queijos;
  • Óleo de fígado de bacalhau;
  • Vísceras (como moela e fígado);
  • Leite;
  • Ovos.

Consequências do défice de vitamina A

A carência de vitamina A no organismo incide principalmente na saúde ocular. Ademais, a falta do nutriente pode causar problemas de pele, enfraquecimento do sistema imunitário, problemas de fertilidade e atraso no crescimento.

Felizmente, na generalidade dos casos, os danos provocados pela carência de vitamina A são reversíveis, não obstante, será necessário seguir uma dieta apropriada e/ou suplementação, com doses indicadas por um médico ou nutricionista.

Importante referir que o excesso de vitamina A pode causar pele seca, perda de apetite, dores nos ossos e articulações, pigmentação amarelada da pele, dor de cabeça, tontura, queda de cabelo, entre outros sintomas. No caso das mulheres grávidas, os sintomas podem ser ainda mais graves, como a malformação fetal. Por isso, jamais se automedique e siga à risca as orientações do profissional de saúde. Cuide-se!

Luana Castro Alves

Licenciada em Letras e Pedagogia, redatora e revisora, entusiasta do universo da literatura, sempre à procura das palavras. "Não se pode escrever nada com indiferença." (Simone de Beauvoir)