Viver sozinho: conhece as vantagens e desvantagens

Sair de casa dos pais para se viver sozinho deve ser das sensações mais entusiasmantes  e, ao mesmo tempo, das mais assustadoras. A partir desse momento és livre, já não tens “recolher obrigatório”, podes sair com quem quiseres para onde quiseres mas lembra-te que a independência serve para tudo: é necessário cozinhar, lavar a roupa e pagar os impostos. Mas vamos por partes para não te desencorajar a viver sozinho.

Quais as vantagens de viver sozinho?

  • Aumento da Criatividade – Cada vez existem mais pessoas a viver sozinhas e, cada vez mais mulheres. Enquanto que antigamente viver sozinho era sinónimo de solidão, atualmente tem ganho novos contornos, existindo até uma associação entre o viver sozinho e o aumento da criatividade. Chegar a casa depois do caos e encontrares sossego e tempo para pensar pode ser tremendamente terapêutico.
  • Responsabilidade – Viveres sozinho vai-te obrigar ao desenrascanço (no bom português), terás de ser responsável pelas tuas decisões, saber gerir o dinheiro que recebes, e cumprir com as obrigações.
  • Aprender a ser anfitrião – Umas das melhores coisas de viver sozinho é poder receber pessoas na nossa casa, sentir que têm conforto com umas bolachas e um café quente. Vais sentir orgulho naquilo que fizeste ao construir o teu próprio lar e irás sentir esse orgulho naqueles que te visitam.

Quais os primeiros passos para viver sozinho?

Para poderes sair de casa dos teus pais ou do apartamento que divides com colegas de casa deves fazer um planeamento e organizar-te. Viver sozinho é uma aventura que custa dinheiro (principalmente no início) e, por isso, é importante teres um emprego, ou vários, que te garantam um salário constante todos os meses.

Querendo viver sozinho podes optar por arrendar um espaço ou, se tiveres possibilidades, comprar.

Se optares por comprar

  • Comprar um apartamento ou uma casa é um investimento brutal, e os preços dos imóveis podem aumentar ou diminuir conforme vários factores como a procura e oferta ou mesmo a própria situação económica. Se estás a pensar pedir um crédito está atento às taxas. Se a altura não for a melhor para avançar com a compra de casa própria opta por esperar algum tempo.
  • São muitas taxas e muitos termos como: Euribor, TAN, TAE, TAEG. Não te deixes levar pelo vocabulário.
  • Comprar implica preencher um espaço que está vazio e isto é algo em que precisas de pensar ao viver sozinho. Podes até encontrar uma cozinha equipada mas o resto terás de comprar. Desde a cama, sofá, mesa e cadeiras aos talheres e ao salazar (para não desperdiçares mesmo nada) terás de investir no recheio da casa. Faz uma lista de tudo o que precisas e vai procurando em vários lojas para conseguires o melhor preço.
  • Caso compres um apartamento para viver sozinho, por exemplo, terás custos com o condomínio. Por norma, o valor é fixo, mas é necessário contar com as despesas extras, como por exemplo para reparações do prédio.
  • IMI, essa sigla terrorífica. O IMI é o imposto municipal sobre o imóvel e tem um custo anual. Se o montante for mais avultado, poderás pagar em várias prestações.

Se optares por arrendar

  • Arrendar poderá ser uma boa opção para quem quer viver sozinho. Os preços variam consoante a zona, se o imóvel é recente ou não, exposição solar, se tem garagem, se tem mobília, entre muitos outros fatores. Sê paciente, o bom negócio pode demorar o seu tempo.
  • Todo o processo de arrendamento é muito mais simples do que comprar casa, muito menos burocrático.
  • Existem apoios como, por exemplo, o Porta 65 Jovem que tem como objetivo incentivar jovens com menos de 35 anos a arrendar casa e viverem sozinhos. Isto irá criar autonomia na vida dos jovens, dinamizar o mercado de arrendamento e reabilitar áreas urbanas mais degradadas.
  • Se escolheres arrendar um espaço para viver sozinho, tem em atenção os meses que te pedem de entrada. Alguns senhorios pedem dois meses de caução. Lá está, o pé de meia é importante.
  • Alguns contratos têm uma cláusula de tempo mínimo de arrendamento. Atenção a isto porque no caso de acontecer alguma coisa não poderás desvincular-te facilmente. De qualquer forma, é mais fácil mudar de casa se for arrendada.
  • Ter uma casa ao teu gosto, decorada de acordo com o teu estilo pode ser muito importante para ti. Se optares por um apartamento vazio, lembra-te que terás de investir na mobília e nos equipamentos. E o IKEA resolve muita coisa mas não resolve tudo portanto, não descures o montante para a decoração. Se, em contrapartida, queres é sair de casa, não interessa se o sofá é preto ou branco, deves optar por um apartamento já mobilado e equipado. É uma preocupação que tens a menos.

Com que despesas contar ao viver sozinho?

Seja numa casa mesmo tua ou numa casa arrendada, os gastos de viver sozinho são mais que muitos. Todos os meses tens de contar com as despesas:

  • Luz – Existem várias empresas do setor energético com serviços semelhantes, procura aquela que melhor te servirá. Depois te teres o serviço da luz, lembra-te que tudo o que gastas terás de pagar, portanto, opta por lâmpadas económicas ou até LED’s, quando não estás no espaço, desliga o interruptor e vai controlando o contador porque pode acontecer teres algum equipamento avariado a consumir muita mais energia.
  • Água – Neste caso não tens muito por onde escolher portanto o lema é poupar, poupar, poupar. E não o faças só por ti, faz também pelo bem do nosso planeta azul. Enquanto escovas os dentes, fecha a torneira e transforma o banho de 30 minutos em duches de 10.
  • Gás – Se tiveres oportunidade de ter gás natural, maravilha. Para o caso de teres aquecimento a gás torna-se muito mais económico. O tempo dos banhos também contam neste caso.
  • Internet, televisão e telefone – Aqui as operadores são inúmeras. Faz as contas e opta pela que tem um bom serviço a um preço mais acessível.
  • Compras de supermercado – Em cada esquina, um supermercado. Para fazeres as tuas compras, leva sempre uma lista contigo porque te vai conter de levares outros produtos dispensáveis. Não vás com fome, é um erro de principiante e vais acabar por comprar as bolachas mais gordas das prateleiras. E faz o cartão de cliente, por vezes compensa mesmo.
  • Transportes – Se tiveres carro tens de contar com o combustível e uma vez por ano lá tens que ir à inspeção, pagar o selo e o seguro. Conta com uma avaria ocasional ou com uns pneus novos. Isto são situações imprevistas, mas com as quais tens de contar. Se não tens veículo próprio terás de contar com a despesa dos transportes públicos.
  • Saúde – Podes ter algumas despesas fixas caso tomes medicação regularmente, mas aqui terás de contar com situações mais incomuns, idas ao médico especialista ou urgências ou algum tratamento. Nós temos um bom serviço nacional de saúde que facilita imenso, mas convém guardares algum dinheiro de lado para imprevistos.
  • Impostos – Ai que bom, ser um adulto livre e responsável! Pois bem, tens de contar com os teus impostos, tratar do IRS a tempo e horas para (se tudo correr bem) receberes algum dinheirinho.
  • Lazer – Claro, o bem bom. Viver sozinho tem a enorme vantagem de poderes aproveitar um pouco mais da vida. Se quiseres fazer uma viagem, ver um concerto ou uma peça de teatro, economiza para isso.
  • Animais de Estimação – Podes querer viver na companhia de um cão, um gato ou outro animal. Incentivamos (e muito) a iniciativa porque apesar de darem alguma despesa, dão muito amor.

A realidade de viver sozinho

Depois da teoria, vamos desvendar-te como será a prática de viver sozinho. Pode ser um grande choque inicial, mas não desesperes. Todas as mudanças necessitam de um período de adaptação e podes levar algum tempo até te sentires confortável e realmente em casa. Alguns momentos podem até ser aborrecidos:

  • Terás de cozinhar. Aposto que estás a pensar: “Que bom, já não vou comer o peixe cozido com batatas que a minha mãe fazia, vou comer o que quiser por viver sozinho!”. É muito bonito e realmente vais poder comer o que quiseres, mas depois de algum tempo, vais ser tu a tomar a iniciativa de fazer o peixinho cozido “à la mãe”. Tenta ter sempre frutas e legumes em casa, alguma carne e peixe no congelador que já é um ótimo começo para qualquer refeição.
  • Terás a tarefa de lavar a roupa, ou colocá-la na máquina. Roupa de cor e roupa branca não se misturam, é a regra número um de quem vive sozinho. Alguma roupa branca requer lixívia ocasionalmente. Os programas variam consoante a roupa que colocares, lê as instruções antes de utilizares a primeira vez.
  • Lides domésticas. Já não tens a mãe e o pai para arrumar e lavar, portanto é um trabalho só teu. As casas de banho têm de ser limpas, os vidros, o pó. TUDO! Podes pedir ajuda, utilizar um robô para aspirar, a máquina da louça, caso a tenhas, mas conta sempre com o trabalho para ti.
  • Sê cuidadoso. Ao viver sozinho poderás ter mais dificuldade em ser socorrido prontamente. Correr de meias ou estar de secador do cabelo junto a uma banheira cheia de água podem ser atividades arriscadas. Tenta criar uma boa relação com os vizinhos, porque podem ser fundamentais em situações desse género. E podem desenrascar um ovo quando fizer muita falta.
  • Os barulhos durante a noite podem tornar-se fantasmagóricos. Mas não há porque ter medo. Certifica-te de que todas as portas e janelas estão bem fechadas e isso será, de imediato, um fator de segurança. Viver sozinho tem destas coisas!
  • Viver sozinho pode ser solitário. Se te sentires mais deprimido, procura companhia, convida amigos e família a visitar a tua casa. Organiza jantares e lanches, programa noites de cinema. E quando te propuserem uma saída, vai, mesmo que o sofá chame por ti.

Por outro lado, algumas coisas são mesmo boas ao viver sozinho:

  • As coisas têm de ser feitas, lá isso é verdade. Mas se não for hoje e sim amanhã, ninguém vai saber. Tens liberdade para criar a tua rotina. Podes dormir até ao meio dia se assim quiseres. Podes encomendar o jantar se não te apetecer cozinhar. Tu mandas.
  • Tu és o rei da TV. Vês o que quiseres na televisão e quando quiseres. E quase de certeza que vais saber sempre o paradeiro do comando.
  • Podes andar despido pela casa. É verdade.
  • Apesar de as despesas serem muitas, desde que sejas capaz de gerir tudo, podes gastar o teu dinheiro naquilo que achares por bem, porque não tens de te justificar a ninguém.
  • Ao viver sozinho, podes dançar e cantar pela casa. Sabes aqueles alturas em que te apanhas sozinho em casa e danças como nunca dançarias em público? É assim, mas sempre.
  • Dentro da tua casa nunca te sentirás julgado. Podes fumar um cigarro na varanda ou beber um copo de vinho depois do trabalho que ninguém tem nada a ver com isso.

Sê uma pessoa sociável que simplesmente vive sozinha. E sê feliz!

Mariana Ledo

Uma eterna namorada da literatura, vibra com as pequenas notas que encontra nas páginas dos livros da biblioteca. Decidiu viver das palavras e por isso formou-se em Estudos Portugueses e Lusófonos, pela Universidade do Minho.