Como escolher uma ventoinha?

Para quem quer se refrescar do calor sem precisar gastar muito dinheiro, uma das melhores alternativas é escolher uma ventoinha. Embora se tratem de aparelhos que, regra geral, são muito baratos, nem todas as ventoinhas são iguais, sendo normal que, perante uma oferta tão grande (tipos, tamanhos, velocidade, ruído, etc.) o consumidor possa ter dúvidas de qual a melhor para si.

Para acertar na compra e fazer ficar com a sensação de um bom negócio (sobretudo sem riscos de arrependimento), é importante entender melhor o funcionamento dos vários tipos de ventoinhas e saber os pontos que devem ser levados em consideração na hora da escolha.

Neste artigo procuramos debruçamo-nos sobre este aparelho de ventilação, destacando alguns aspetos que consideramos importante na escolha de uma ventoinha.

Que tipos de ventoinha existem?

Existem ventoinhas para todos os gostos

Como referimos anteriormente, existem vários tipos/modelos de ventoinhas. Cada um tem as suas vantagens, mas também as suas desvantagens. A escolha depende das necessidades de cada pessoa. Parece vago? Nós explicamos!

Ventoinha de mesa

Tem um tamanho menor e mais compacto, que pode ser facilmente deslocado de uma divisão para outra. Ideal para quem valoriza a portabilidade. No entanto, a potência das ventoinhas de mesa é, regra geral, mais baixa quando comparada a outros tipos e, por isso, é mais indicada para ambientes de reduzida dimensão e com pouca gente.

Embora não seja muito comum, as ventoinhas de mesa podem ter modelos com suporte com altura regulável e a função de oscilar, o que ajuda a ventilar melhor alguns espaços de maior dimensão.

As ventoinhas de mesa são as mais comuns, em grande medida dado o seu baixo custo. Não obstante, não são necessariamente as melhores.

Preço médio: 10€ a 75€

Ventoinha de chão

Por norma, as ventoinhas de chão são maiores que as ventoinhas de mesa e, por isso, são mais potentes em termos de ventilação, sendo as mais indicadas para refrescar ambientes de maior dimensão. Embora se designem por “ventoinhas de chão”, são também comercializadas num formato alto, por causa de um “pé”, as chamadas ventoinhas de pé.

No entanto, apesar do seu tamanho, são aparelhos portáteis e podem ser deslocados para outras divisões sem grandes dificuldades, o que é sempre uma vantagem.

Preço médio: 30€ a 80€

Ventoinha de teto

Tratam-se de ventoinhas que estão presas ao teto, tornando-se parte da decoração da casa. Por se tratar de um tipo de ventoinha com pás longas, conseguem refrescar divisões de maior dimensão.

Ao contrário dos outros dois tipos de ventoinha (de mesa e de chão) que não necessitam de uma instalação, as ventoinhas de teto precisam de ser instaladas, isto é, fixadas ao teto. Em alguns casos, as próprias ventoinhas de teto permitem a instalação de lâmpadas, funcionando como candeeiro.

Preço médio: 40€ a 200€ + custo de instalação

Dicas para escolher uma ventoinha

A compra de uma ventoinha deve obedecer a alguns critérios

Como acontece com a generalidade dos eletrodomésticos, também as ventoinhas foram incorporando tecnologia, sendo hoje aparelhos mais modernos e eficientes, sendo hoje equipamentos complexos.

Queremos com isto alertar para o facto de que as ventoinhas não são todas iguais, por isso, antes de comprar uma ventoinha, devem ser considerados alguns fatores, nomeadamente:

  • Espaço disponível: Saber qual a divisão onde irá usar a ventoinha é fundamental para começar a pensar nos modelos que melhor se adequam ao pretendido.
  • Quantidade de pás: As pás são os componentes que giram, fazendo com que o ar circule e refresque o ambiente. No entanto, mais importante que verificar a quantidade de pás, é saber a velocidade das rotações por minuto (RPM) – quanto maior, melhor será a ventilação.
  • Velocidade: A maioria das ventoinhas possuem um sistema de ajuste de velocidade, podendo ser mais fraco, médio ou mais forte.
  • Ruído: Todas as ventoinhas geram ruído quando estão a trabalhar. Embora não sejam ruídos propriamente altos, não atrapalhando atividades do quotidiano, ter um modelo mais silencioso é particularmente vantajoso, especialmente para quem pretende dormir com a ventoinha ligada.
  • Estabilidade: Particularmente no caso das ventoinhas de mesa ou ventoinhas de pé, é importante que estas sejam estáveis, ou seja, que tenham uma base de apoio firme para evitar quedas enquanto estiverem a funcionar.
  • Segurança: Observe o espaço entre as grades da ventoinha, que deve ser insuficiente para colocar os dedos ou as mãos, especialmente caso tenha crianças em casa. Isso é essencial para evitar acidentes.
  • Consumo energético: Regra geral, quanto maior for o número de rotações por minuto (RPM), mais veloz e mais potente é a ventoinha. Salvo raras exceções, isto tem como consequência um maior consumo energético.
  • Limpeza: Embora não se trate de um aparelho que necessite de grandes limpezas, um detalhe que pode fazer a diferença, caso escolha uma ventoinha de mesa ou de ventoinha de pé, é permitir a remoção das grades de segurança para facilitar a limpeza.
  • Custo: Embora não seja o fator mais importante, não pode fugir do valor do orçamento disponível para a aquisição da ventoinha. No caso das ventoinhas de teto, não se esqueça do custo da instalação.

Dicas úteis na utilização da ventoinha

Boas práticas na utilização de ventoinhas

Depois de adquira a ventoinha, alguns hábitos no dia a dia podem melhorar a experiência de uso, designadamente no que concerne à circulação do ar, à saúde ou mesmo ao consumo energético.

Algumas informações que podem ser úteis na utilização da ventoinha:

  • Ao contrário do ar condicionado, a ventoinha não diminui a temperatura do ambiente e, por isso, não faz sentido deixar que o aparelho fique ligado sem que estejam pessoas presentes na divisão onde está colocada.
  • Ficar muito exposto à ventoinha pode fazer mal, causando resfriados e outros problemas de saúde. É importante manter alguma distância, de forma a que se consiga refrescar, mas sem se expor à circulação excessiva de ar.
  • Desligue a ventoinha antes de dormir ou, dispondo da função de temporizador, determine a hora a que esta se deve desligar automaticamente. Isto evita gastos desnecessários com energia elétrica.

Esperamos que com todas estas dicas a escolha de uma ventoinha se tenha tornando algo mais fácil. Agora é consigo, boas compras!

Mariana Bueno

Brasileira, jornalista e escritora. Desde criança tem os livros como os seus grandes companheiros e, mais tarde, transformou a escrita em profissão. É formada em Comunicação e pós-graduada em Media Digitais. Gosta de transmitir informações por meio dos seus textos e adora ouvir e contar boas histórias, de preferência as que descobre ao viajar por diferentes lugares.