Influencers: uma moda que veio para ficar?

Nos dias de hoje, o termo influencers já não é desconhecido para ninguém, muito menos para os mais jovens. Os influencers, também conhecidos por influenciadores digitais, não surgiram há muito tempo e a afirmação e reconhecimento dos mesmos parece estar apenas a começar.

O poder de influência destas personalidades é inquestionável, sendo que se estabelecem crescentemente como uma mais-valia para empresas e marcas que se veem confrontadas com a necessidade de construir um relacionamento com influencers, como forma de aumentar tanto as suas vendas, como a sua visibilidade.

Mas afinal, o que são influencers digitais?

Os influencers são pessoas com um grande número de engagement (relação próxima entre o influenciador e o seguidor, medido, entre outras coisas, pelo número de partilhas e gostos nas publicações) nas redes sociais, nomeadamente no Instagram, e que, através da relação que estabelecem com o seu público, conseguem gerar tráfego, visibilidade e consequentes vendas às marcas com quem trabalham.

O termo “influencers” surge da capacidade destas pessoas em incentivar e convencer o público a adotar determinados comportamentos, adquirir produtos ou serviços. Muitos deles são famosos apenas por serem eles mesmos, documentando as suas vidas como pessoas normais, partilhando momentos especiais ou do dia a dia, viagens, recomendações, entre outras coisas.

Pode-se considerar dois grandes tipos de influencers: celebridades e micro influencers. A grande diferença entre ambos assenta no facto dos primeiros possuírem, à partida, mais seguidores, o que geralmente leva a uma maior visibilidade e interesse por parte do público, enquanto os segundos possuem uma esfera de alcance mais limitada. Os conteúdos mais populares entre os seguidores são as publicações inseridas nos ramos da moda, beleza, viagens, fitness e alimentação.

Para que servem os influencers?

O surgimento dos influencers digitais tem vindo a intensificar-se de dia para dia. Atualmente, os compradores já não se interessam tanto pela publicidade tradicional apresentada na televisão, isto porque atualmente a nossa atenção está muito mais direcionada para o mundo online, em particular para as redes sociais. Assim, é fundamental que a publicidade acompanhe esta tendência e se adapte aos novos hábitos dos consumidores.

A verdade é que o público prefere tomar as suas decisões de compra com base na opinião de pessoas em quem confiam. É aqui que surge a utilidade dos influencers. É essencial compreender os gostos e interesses do público, de forma a conseguir impulsionar as vendas e direcionar a publicidade correta ao público correto.

Com base nas suas publicações, estas personalidades partilham a sua vida, os seus interesses e dicas com o público, criando consequentemente uma relação de proximidade e confiança com o mesmo. Desta forma, torna-se mais fácil seguir as recomendações destas personalidades com quem se foi criando uma relação honesta e duradoura do que propriamente com os anúncios aleatórios de diferentes marcas. O retorno de investimento (ROI) do marketing de influencers é comparável ou superior à maioria das outras táticas de marketing, o que demonstra a grande potencialidade desta estratégia.

O perfil de Cristiano Ronaldo tem 195 milhões de seguidores

Como é que as marcas identificam os influencers?

Em algumas plataformas, é fácil fazer a distinção entre perfis regulares e perfis de influencers. No entanto, no caso do Instagram em particular, pode ser difícil diferenciar um perfil de um utilizador ativo e com muitos seguidores do perfil de um verdadeiro influenciador digital. Assim, é necessário ter em conta vários fatores que podem ser determinantes na identificação destas personalidades, entre os quais:

Número de seguidores dos influencers

Um influencer com sucesso tem a capacidade de influenciar o seu público quanto a dado produto ou serviço, sendo importante considerar o nível de alcance que estes têm sobre os seus seguidores. O seu poder depende principalmente do número de pessoas que veem o seu conteúdo e que agem perante a influência deste.

Nível de “engagement” com o público

Contudo, é necessário ter em atenção que número de seguidores não significa automaticamente engagement. Simplificando, não adianta que um influenciador tenha muitos seguidores se não tiver influência sobre os mesmos, se os seus conteúdos não chegarem até ao público ou não coincidam com o que este procura. Assim, é necessário que as marcas escolham influencers que possuam uma relação próxima com os seus seguidores, que saibam o que estes procuram e que tenham um público que responde de forma ativa ao conteúdo publicado.

Multiplicidade de canais de comunicação

Os influencers não se encontram apenas no Instagram. É cada vez mais comum que estes possuam canais de Youtube ou blogs, o que se torna uma mais-valia para as marcas, pois vêm aqui uma oportunidade para terem os seus produtos/serviços espalhados por várias plataformas, consequentemente ganhando mais visibilidade. Para os profissionais de marketing, um perfil de Instagram com um blog ou canal de Youtube anexado é uma maneira rápida e fácil de identificar um influenciador no meio da multidão, e também é uma boa forma de avaliar se o alcance e a influência se estendem por várias plataformas.

Presença de e-mail na descrição

Se um endereço de e-mail for identificado à primeira vista em dado perfil, é quase certo que se trata da conta de um influenciador digital. Os influencers têm um endereço de email prontamente disponível para que marcas e profissionais de marketing possam contactá-los para colaborações.

Identificação de marcas nas publicações

Geralmente, os influencers pretendem aumentar o seu nível de alcance e ganhar mais exposição. Assim, identificam através de tags diferentes marcas, pois estas normalmente republicam conteúdo gerado pelos utilizadores que as identificam, o que leva a mais visibilidade para o influenciador.

Tipo de conteúdo dos influencers

Os influencers , principalmente na área da moda, são conhecidos por manterem um tema de fotos com um padrão de cores muito semelhante em todas as publicações. Temas e publicações esteticamente apelativas são quase uma regra para quem se quer tornar influenciador. Além disso, a qualidade das imagens é também um fator denunciador de um influenciador, já que estes têm por hábito utilizar câmaras fotográficas e de smartphones de grande qualidade para criarem conteúdo único e que se destaque dos restantes perfis.

Frequência de publicações

Os influencers costumam publicar várias vezes ao longo do dia e apenas em períodos de tráfego intenso: de manhã entre as 6h e 9h, meio-dia e entre as 19 e 22h, pois é quando a maioria dos utilizadores está online nas diferentes plataformas. Além disso, há um comportamento esporádico nos canais dos influencers, à medida que o conteúdo é elaborado, editado e pré-agendado estrategicamente, de modo que a consistência seja essencial.

Quem são os maiores influencers portugueses?

De acordo com com o TOP 1000 da Brinfer, os 20 influenciadores digitais portugueses com maior nível de engagement (não necessariamente com mais seguidores), em Janeiro e Fevereiro de 2020, são:

  1. Cristiano Ronaldo – futebolista;
  2. Cristina Ferreira – apresentadora;
  3. Sara Sampaio – modelo;
  4. Bruno Fernandes – futebolista;
  5. Ricardo Quaresma – futebolista;
  6. João Félix – futebolista;
  7. Rita Pereira – futebolista;
  8. Diogo Amaral – futebolista;
  9. Nelson Semedo – futebolista;
  10. Carolina Patrocínio – apresentadora.

Conclui-se que os influencers não são apenas caras bonitas com boas fotos e conteúdo apelativo. Atualmente, são os aliados de muitas marcas e a força motora de muitos negócios. Os influencers vieram para ficar, mas o marketing associado aos mesmos mudou muito nos últimos anos, e daqui a pouco tempo estará drasticamente diferente do que é agora. Por agora, mantemo-nos apenas atentos à jornada do marketing de influencers e ao que esta tem para oferecer.

A redação do trabalhador.pt

Adicionar comentário