Limpar os ouvidos: como o fazer da forma correta?

Limpar os ouvidos é essencial para manter uma boa saúde auditiva. No entanto, a maioria das pessoas não sabe como fazer isso da forma correta. Assim, ao limparem os ouvidos, o efeito pode ser o oposto, prejudicando a saúde auditiva.

Um erro comum é achar que a cera auditiva causa problemas e que, por isso, deve ser retirada. Quando, na verdade, a função da cera é exatamente proteger o sistema auditivo, promovendo uma lubrificação que elimina as bactérias e possível sujidade.

Assim sendo, importa referir que limpar os ouvidos não passa necessariamente pela remoção da cera. Portanto, ao contrário do que a generalidade das pessoas pensa e faz, o uso de cotonetes não é indicado para a região da entrada do canal auditivo, em virtude de poder causar danos. 

Para saber como limpar os ouvidos de forma correta, procuraremos neste artigo responder a algumas das dúvidas mais comuns sobre este tema. Boa leitura!

Como limpar os ouvidos? Dois simples passos

No que à higiene dos ouvidos diz respeito, é importante encontrar um ponto de equilíbrio, isto é, deve ser suficiente para a sua proteção, mas não intensa a ponto de a prejudicar.

A melhor altura para limpar os ouvidos é depois do banho, com a pele ainda molhada. Basta seguir os seguintes dois passos:

  1. Comece por inclinar a cabeça para drenar a água – faça isso dos dois lados;
  2. Passe uma toalha macia, usando os dedos, de forma delicada, sem forçar e indo apenas até onde o dedo consegue ir. Isto pode e deve ser feito todos os dias, se tornando um hábito da rotina.

Caso sinta necessidade, existem alguns produtos específicos para a remoção e diluição da cera auditiva. São facilmente encontrados em farmácias ou parafarmácias. No entanto, o mais indicado é não os usar antes de falar com o seu médico.

As receitas caseiras funcionam?

Além dos produtos específicos para limpar os ouvidos, há quem aposte em misturas caseiras, feitas com ingredientes comuns presentes em todas as casas. Há até quem use óleos e azeites, misturados com outros. Todavia, este tipo de medida não é recomendável, pois são produtos que podem fazer mal ao entrarem em contato com a cera ou até mesmo com a pele da região dos ouvidos.

Também não se deve fazer uma irrigação do ouvido em casa com seringa. Todos os procedimentos de limpeza que não os indicados previamente, bem como a prescrição de medicamentos, devem ser feitos apenas por um profissional de saúde.

Posso usar cotonetes para limpar os ouvidos?

Não. Além de remover a cera auditiva sem necessidade, o uso de cotonetes pode danificar o canal auditivo ou mesmo levar a um rompimento do tímpano. Mais ainda, pode até empurrar a cera para dentro do canal auditivo – o oposto daquilo que pretende.

Da mesma forma, também não é recomendada a introdução de nenhum objeto dentro dos ouvidos, como tampas de canetas, chaves, palitos de dente, lápis, e outros, pois também podem causar danos irreversíveis na tentativa de limpar os ouvidos.

O ouvido é um órgão muito sensível e, por isso, os cotonetes são indicados apenas para realizar a limpeza das partes externas da orelha, sem forçar a entrada do canal auditivo.

Tirar ou não a cera dos ouvidos?

A cera auditiva, como já referido, não deve ser retirada. Também conhecida como cerume ou cerúmen, contém uma enzima antibacteriana que diminui o risco de infeção. Além disso, retém partículas de poeira do ar e impede que atinjam o tímpano, ou seja, funcionam como uma barreira de proteção.

E, de modo geral, de tempos em tempos a cera desprende-se sem que seja necessário retirá-la. Isso faz com que o ouvido seja considerado “autolimpante”.  Portanto, não é preciso preocupar-se com a cera ao limpar os ouvidos.

A acumulação de cera faz mal?

Embora seja benéfica para a saúde dos ouvidos, quando acontece em quantidades anormais, a cera auditiva pode causar dores ou comichão nos ouvidos. É mais comum em pessoas que têm o canal auditivo mais estreito.

Além das dores e da comichão, um dos principais sinais da acumulação excessiva de cera auditiva é a diminuição do volume dos sons e a sensação de ouvido entupido. Também pode acontecer ouvir zumbidos e outros ruídos. Ou, quando mais grave, fluidos como sangue ou pus a sair da orelha. E, ainda, provocar vertigens.

Em todos esses casos, do mais leve ao mais sério, é uma sensação bastante incómoda. E o melhor a ser feito é consultar um médico otorrino, principalmente quando houver sintomas como febre, pois se o problema não for tratado da forma correta, poderá ter consequências.

Como é feita a limpeza nos consultórios médicos?

Ao consultar um médico otorrino, este poderá observar o interior do ouvido com um aparelho próprio para o efeito, de forma a diagnosticar e entender a gravidade de cada caso.

Assim, se necessário, poderá proceder a uma limpeza dos ouvidos, incluindo do canal auditivo, da forma correta, removendo o excesso de cera sem causar nenhum tipo de dano. Isso costuma ser feito de três formas diferentes.

Através do uso de instrumentos como “ganchos” para remover a cera. Aspiração por meio de sucção. Ou a própria lavagem, feita com jato de soro fisiológico morno inserido por meio de uma seringa, a chamada lavagem auricular, que costuma ser mais eficaz quando os métodos anteriores não funcionam. Vale lembrar que esses procedimentos nunca devem ser feitos em casa, mas apenas por um profissional.

Caso a cera auditiva estiver muito “dura”, o que dificulta a remoção, o médico otorrino poderá recomendar medicamentos que vão amolecer e, assim, poderá ser retirada depois de alguns dias de uso. E mesmo se não houver nenhum sintoma, é importante fazer visitas regulares ao médico para uma avaliação geral da saúde dos ouvidos e para evitar problemas futuros.

Em resumo, para se ter uma higiene auricular saudável, livre de infeções e outros danos, é importante saber como limpar os ouvidos da forma correta, sem a necessidade de utilizar cotonete e tampouco remover a cera. Fazendo isso corretamente, a saúde dos seus ouvidos está garantida!

Mariana Bueno

Brasileira, jornalista e escritora. Desde criança tem os livros como os seus grandes companheiros e, mais tarde, transformou a escrita em profissão. É formada em Comunicação e pós-graduada em Media Digitais. Gosta de transmitir informações por meio dos seus textos e adora ouvir e contar boas histórias, de preferência as que descobre ao viajar por diferentes lugares.