Almofadas: como escolher o modelo mais adequado para si?

Ter uma boa noite de sono é fundamental depois de um dia de trabalho ou de estudo. Dificilmente haverá algo melhor que deitar-se numa cama confortável e poder usufruir de uma boa e longa noite de sono. Porém, para que isso aconteça, haverá duas coisas que podem fazer diferença na cama: ter um bom colchão e saber como escolher uma almofada adequada.

Ao contrário do que possa parecer, esta tarefa pode não ser assim tão simples. Isto porque há uma grande variedade de almofadas, seja em relação ao tamanho, ao formato ou até material, já para não referir as diferenças de preços. E, por isso, é comum que muitas pessoas tenham dúvidas na hora de comprar uma almofada, acabando por o fazer sem critério. Mas afinal, como saber qual a almofada mais adequada para si?

Essa escolha é muito individual, já que cada pessoa tem a sua forma de dormir. Cada um tem, também, as suas preferências, no que toca ao tamanho, formato e firmeza da almofada. Todos esses pontos fazem a diferença na hora de escolher uma almofada.

Não obstante o que referimentos anteriormente, existem outros fatores que devem também ser levados em consideração ao escolher uma almofada. É precisamente isso que abordamos neste artigo. Confira!

Que tipos de almofada existem?

Genericamente existem dois tipos de almofadas: as clássicas e as cervicais/ortopédicas

Os modelos de almofada são bastante variados no que concerne ao seu tamanho, formato e material. No entanto, apesar da grande variedade, podemos dizer que se agrupam em dois tipos principais de almofada:

  • Almofada clássicas: são as mais comuns, aquelas que se moldam naturalmente à curva do pescoço e da cabeça, independente da posição na qual se deite, o que faz com que sejam almofadas que proporcionam mais conforto para a coluna.
  • Almofada cervicais/ortopédicas: são considerados os melhores modelos para quem costuma acordar com dores nas costas ou padecer de problemas de coluna. São indicadas também para quem, fruto da sua atividade profissional, acaba por sofrer de maior desgaste nas costas, necessitando de descansar o corpo da forma mais correta.

Dicas para escolher uma almofada

Antes de comprar uma almofada deve considerar as suas necessidades

Muito provavelmente, o ponto mais importante ao escolher uma almofada é escolher qual o tipo mais adequado para si (leia-se, para a sua coluna). Não obstante, há outros fatores que devem ser considerados que não podemos deixar de mencionar, designadamente: o tamanho, o formato, o material, a firmeza e a sua posição de dormir. Em seguida, abordamos cada um mais pormenorizadamente.

1. Tamanho e formato da almofada

Antes de mais referir que a almofada é algo muito pessoal, dependendo de vários fatores, nomeadamente da morfologia de cada pessoas e das suas próprias preferências. Por exemplo, quem tem ombros largos, pode preferir as mais espessas, já para quem tiver ombros estreitos deverá ser o contrário, privilegiando as mais finas.

Não obstante, regra geral, tratando-se de uma cama de solteiro, a largura da almofada deve ser muito semelhante à da própria cama. Já no caso de uma cama de casal, a largura da almofada deve corresponder à metade da cama, de modo a que duas almofadas ocupem a largura da cama toda.

No que concerne ao formato, existem genericamente dois: o retangular/alto e o quadrado/pequeno. Genericamente, recomendamos o primeiro, pelo facto de permitirem que ao mexer-se durante a noite o seu conforto não seja afetado – sendo o formato ideal para dormir. O segundo, não é aconselhável para quem tem por hábito mexer-se bastante durante o sono, dado que o seu ponto de conforto está no meio (são habitualmente usadas com almofadas para sofás e não para dormir).

2. Material da almofada

A composição das almofadas é outro dos pontos que não pode deixar de ser considerado, dado que o material pode fazer toda a diferença no conforto que a almofada proporciona. Regra geral, a composição das almofadas pode ser de sintéticos, como a espuma, ou de materiais naturais, como são exemplo as de penas.

As almofadas de espuma, por exemplo, podem ser de látex ou viscoelásticas, sendo a principal diferença o facto que as de látex são mais resistente à pressão e não “afundam” tanto quando alguém se deita, voltando à sua forma original relativamente rápido.

Já as almofadas viscoelásticas, tratam-se de uma “versão intensificada” das de látex, sendo possível sentir a sensação de “afundamento”, dado ser mais lenta a retomar ao seu tamanho original.

Se é uma pessoa propensa a alergias, fique a saber que existem no mercado muitas almofadas que na sua composição contém materiais com propriedades hipoalergénicas – menos propensas a ácaros e fungos e, consequentemente, a causar alergias.

3. Nível de firmeza da almofada

A firmeza da almofada é outro fator importante, variando em função da sua postura, da sua idade e até dos seus gostos pessoais e necessidades. Os níveis de firmeza das almofadas dividem-se em três: alta firmeza, firmeza intermediária, baixa firmeza.

A título de exemplo, referir que se prefere uma almofada firme, as almofadas viscoelásticas poderão ser as mais indicadas. Já se preferir um nível de firmeza intermediário, as almofadas de fibras ou de microfibras podem ser aquelas que melhor se adaptam às suas necessidades. Já as almofadas clássicas, são conhecidas pelo seu baixo nível de firmeza, moldando-se à curva natural da cabeça e do pescoço.

4. Posição de dormir

Um dos fatores mais importantes a ser considerado na escolha de uma almofada é a sua posição de dormir. Ao comprar uma almofada ao calhas poderá estar a adquirir um produto que não é adequado face aos seus hábitos.

  • Se dormir de costas – a opção mais adequada poderá passar por escolher uma almofada com um nível de firmeza e altura intermediárias, nem a mais, nem a menos. Aposte em almofadas de penas ou de espuma.
  • Se dormir de lado – a opção mais adequada para quem dorme desta forma é optar por uma almofada mais firme e mais grossa. Recomendamos as almofadas viscoelásticas.
  • Se dormir de barriga para baixo – a opção mais indicada é usar uma almofada de pequena dimensão e bastante macia, sob pena de, ao escolher uma almofada de maior dimensão e firmeza, a saúde das suas costas ser afetada.

Como cuidar da almofada?

Pelo menos uma vez por semana coloque as almofadas ao sol

Como acontece com qualquer objeto em casa, é natural que com o passar do tempo e uma utilização constante, as almofadas acabem por ficar danificadas e, não menos importante, sujas.

Regra geral, não é recomendável a lavagem das almofadas (salvo menção em contrário do fabricante). Uma boa forma de as deixar “respirar” é coloca-las alguns minutos ao sol, pelo menos uma vez por semana.

Não obstante, mesmo que conservadas corretamente, recomendamos que troque as almofadas, sobretudo aquelas que usa para dormir, de dois em dois anos.

Esperamos que este artigo lhe tenha sido útil e o tenha ajudado a saber como escolher qual a almofada mais adequada para si. Agora é consigo, boas compras!

A redação do trabalhador.pt