É normal não ter barba?

Se chegou até aqui é porque está certamente à procura de respostas para a pergunta que dá nome a este artigo: “é normal não ter barba?”. Provavelmente, está a estranhar a demora no crescimento dos pelos faciais do seu rosto, afinal de contas, já passou da puberdade e continuam sem aparecer… daí surge a questão que aflige alguns homens: “o que será que pode estar a acontecer?”.

Ter essa preocupação é normal, no entanto, fique tranquilo, porque vamos esclarecer os principais motivos que atrapalham o crescimento da barba e indicar-lhe alguns cuidados que poderá adotar se quiser investir no estilo “lenhador”, que tanto sucesso tem feito por aí!

Mas afinal, é normal não ter barba?

Para muitos, a barba é a representação máxima do universo masculino, por ser, supostamente, sinónimo de força e virilidade, um clichê de Hollywood que – diga-se de passagem – não tem qualquer relação com a ciência.

Há quem ostente uma barba volumosa e se orgulhe disso; no entanto há também aqueles que simplesmente passam a vida inteira de rosto liso, tal e qual um bebé. Bem, não há nada de errado em não ter barba, exceto se isso for motivo para se sentir incomodado e até mesmo frustrado com a ausência dos pelos no rosto. Mas se continua preocupado, adiantamos já que não há motivos para o desconforto, pois tudo pode ser explicado sob o ponto de vista científico.

Pois bem, a ciência afirma que sim, é normal não ter barba, e a ausência dos pelos faciais tem, na generalidade das vezes, uma origem genética. Curioso? Nós explicamos!

A hormona responsável pela barba é a testosterona, que faz com que os pelos comecem a crescer mais grossos e mais escuros. Ao ler esta informação, pode até tirar uma conclusão tão rápida quanto equivocada de que existe uma relação entre a falta de barba e os níveis de testosterona, o que fará de si, ou de outrem, “menos homem” do que os outros. Todavia, importa referir que esta dedução não faz o menor sentido, pois a maioria dos homens tem o mesmo nível de testosterona no organismo.

A resposta é relativamente simples: porque cada corpo responde à testosterona de forma diferente. Ser geneticamente sensível a essa hormona significa ter uma barba daquelas bem fartas; todavia, homens com essa predisposição tem aumentadas as probabilidade de calvície – e isso explica um pouco porque existem tantos carecas barbudos. Já tinha reparado nisso? Enfim, parece que não se pode ter tudo, não é mesmo?

Motivos que atrapalham o crescimento da barba

Se o fator “genética” não for suficiente para responder à pergunta, então fique atento a outras possibilidades que o levam a ter uma pele livre de pelos:

1. Idade

Se ainda é um adolescente e quer saber se é normal não ter barba ou, ainda, porque é esta tão “tímida”, começamos por dizer que talvez se esteja a precipitar um pouco. Não adianta querer ter uma barba volumosa se ainda não tem idade para isso, pois os fios começam a nascer de forma mais rala e espaçada, e só depois, com o avançar dos anos, ganham volume e quantidade.

Em alguns homens, os fios da barba podem começar a romper na adolescência, no entanto, outros só veem os pelos crescer por volta dos 20 e poucos anos – sem contar aqueles que nunca terão o rosto coberto pela barba, seja por questões genéticas ou por outros motivos sobre os quais falaremos adiante. Continue a leitura.

2. Stress

Não se engane: o fator psicológico tem grande influência quando o assunto é barba. Independentemente do género da pessoa, o stress pode fazer com que perca todos os pelos do corpo – todavia, ao adotar alguns cuidados, poderá evitar esse tipo de problema que tanto mal faz à autoestima.

Pessoas stressadas, sobretudo do sexo masculino, podem começar a notar algumas falhas no cabelo e na barba, condição que recebe o nome de alopecia areata, doença que provoca pequenas falhas em áreas onde deveria ter pelos.

Se desconfia que este pode ser o seu caso, então marque hoje mesmo uma consulta com um médico dermatologista, profissional mais indicado para lhe orientar sobre os tratamentos e até mesmo as mudanças no estilo de vida que possam barrar o avanço da alopecia. É normal não ter barba, mas neste caso convém procurar ajuda e, claro, adotar hábitos mais saudáveis no seu dia a dia, para que estes possam minimizar os impactos que o stress provoca na sua vida

3. Preguiça

A barba não cresce? Se descartou os fatores acima mencionados, então está na hora de rever alguns comportamentos para investigar se a ausência dos pelos tem a ver com a preguiça. Isso mesmo, muitos homens simplesmente não têm paciência para deixar a barba crescer, incomodam-se com a textura dos fios, com as falhas e por isso acabam por passar a lâmina no rosto antes do tempo indicado.

Lembre-se que é preciso ter calma, nada de cortar a barba a toda hora! Ademais, vale a pena investir em produtos específicos para hidratação dos pelos, pois só assim vai ter uma barba bonita e volumosa.

4. Falta de cuidados e de higiene

Além dos fatores já citados, outros, como exposição exagerada ao sol, o atrito, a falta de hidratação da pele e o uso de produtos não recomendados podem estar relacionados com a ausência dos pelos no rosto. Ademais, o ressecamento do rosto, o crescimento e até a queda dos fios de cabelo estão associados com uma possível falta de higiene. Então, fica o convite: que tal rever antigos hábitos? Afinal, é normal não ter barba, desde que exclua as possibilidades referidas neste tópico, certo?

Como deixar a barba crescer?

Pois bem, se nem a genética, tampouco a idade forem os motivos para a ausência de barba, então é bem provável que as dicas infra listadas lhe poderão ajudar nesta missão de fazer os pelos do rosto crescerem. Confira:

  • Procure um estilo de vida mais saudável: como falamos anteriormente, um dos passos fundamentais para que a sua barba comece a crescer mais rápido é a mudança de estilo de vida. Comece por se exercitar com mais frequência e dê um adeus, de uma vez por todas, ao sedentarismo. Importa referir que o exercício físico promove os níveis de testosterona e o fluxo sanguíneo na pele e músculos, fazendo com que os nutrientes e o oxigénio necessários para nutrir os pelos faciais cheguem mais rapidamente ao rosto. Lembre-se: hábitos mais saudáveis podem diminuir os níveis de stress que tanto prejudicam o seu corpo e, claro, o crescimento da barba.
  • Está na hora de suar a camisola! A transpiração ajuda a transportar as toxinas e os resíduos da pele, principalmente, do rosto. Assim, os poros são obstruídos rapidamente, dando passagem para os folículos capilares… ou seja, prepare-se, barba à vista!
  • Tenha uma dieta equilibrada: uma das melhores dicas para estimular o crescimento da barba é dar mais atenção àquilo que coloca no prato, sobretudo, para as proteínas, substância que está presente nos pelos do nosso corpo. Quanto mais proteínas consumir, mais rápido o cabelo irá crescer, por isso, inclua no seu cardápio alimentos como leite, carne, frutos-do-mar, linhaça, feijão, castanhas, grão-de-bico, lentilha, nozes, entre outros. Recomendamos que procure a orientação de um nutricionista para que analise o seu caso e lhe indique uma dieta equilibrada com todos os componentes fundamentais para o seu tipo físico.
  • Faça uso de vitaminas para o cabelo: quer dar uma ajudinha à natureza? Então utilize vitaminas para o cabelo, como um blend de biotina, niacina e tiamina, substâncias que ajudam os fios a crescer fortes e saudáveis. Mas antes de ir às compras, consulte um dermatologista.
  • Massage o rosto: que tal estimular a circulação sanguínea com uma bela massagem? Ao massagear o seu rosto, os folículos capilares da face recebem uma excelente ajuda para desenvolver o crescimento da barba. Para otimizar a massagem, providencie óleo de eucalipto, produto que apresenta propriedades antimicrobianas e antibacterianas, que por sua vez, combatem os fungos e as bactérias que adentram no rosto e irritam os folículos dos pelos faciais.

É normal não ter barba, mas se realmente deseja entrar para o clube dos barbudos, vale a pena seguir as dicas que partilhamos neste artigo. Em caso de dúvidas, consulte a ajuda de um médico dermatologista Cuide-se!

Luana Castro Alves

Licenciada em Letras e Pedagogia, redatora e revisora, entusiasta do universo da literatura, sempre à procura das palavras. "Não se pode escrever nada com indiferença." (Simone de Beauvoir)