Alopecia: tipos, causas, tratamento e prevenção

Embora a calvície seja, não raras vezes vista como um problema masculino, a verdade é que as mulheres também podem sofrer de uma intensa queda de cabelo, podendo ficar com algumas áreas do couro cabeludo expostas, causando um grande desconforto em relação à aparência. Este problema designa-se por alopecia.

Regra geral, a alopecia é desencadeada por fatores hormonais, stress, maus hábitos alimentares, entre outros. Não obstante, por existirem diferentes tipos de alopecia, as suas causas poderão não ser sempre as mesmas, podendo variar de pessoa para pessoa. Isso significa também que o tratamento para este problema poderá variar – o que resultou com uma pessoa, poderá não resultar com outra.

Além disso, a alopecia pode, por vezes, não ser um problema de fácil identificação, em grande medida porque um dos seus principais sintomas é a queda de cabelo, algo que é normal acontecer no dia a dia. De forma simples e simplicista, podemos dizer que uma das diferenças entre a alopecia, no que à queda de cabelo diz respeito, é a intensidade/quantidade de fios de cabelo.

Se está com queda de cabelo e tem dúvidas se poderá ser algo mais sério, então acreditamos que este artigo poderá ser-lhe útil. Nele abordamos os tipos, causas e tratamento da alopecia, bem como algumas dicas para prevenir este problema.

O que é alopecia?

A alopecia é um problema que leva à queda de cabelo

De forma simples e simplicista, pode-se dizer que a alopecia trata-se de um problema que leva à queda de cabelos, tanto em homens como em mulheres. Embora associada à idade adulta, pode também afetar crianças.

Se notou que os seus cabelos estão a cair numa quantidade/intensidade maior que o habitual (o que pode ser observado ao pentear o cabelo ou até ao olhar para almofada ao acordar de manhã), recomendamos que valorize esses sinais, dado que poderão ser indicativos de algum tipo de alopecia.

Quais os tipos de alopecia?

Existem inúmeros tipos de alopecia

Como já referimos, a queda de cabelo é um dos sintomas mais comuns da alopecia. Mas isso não quer dizer que a alopecia seja sempre igual, existindo vários tipos que, regra geral, diferenciam-se uns dos outros pelas suas causas.

Principais tipos de alopecia:

  • Alopecia areata: um dos tipos mais comuns, especialmente entre as pessoas mais jovens. Está ligada a fatores emocionais, como quadros de ansiedade ou de stress, que geram uma inflamação do folículo piloso, impedindo o crescimento normal dos fios e levando a quedas pontuais, com algumas falhas no couro cabeludo.
  • Alopecia androgenética: é o tipo de alopecia que causa a calvície em homens, mas, embora mais raro, pode também afetar mulheres devido a fatores genéticos e hormonais.
  • Alopecia química: é muito comum em quem se submete a procedimentos químicos no cabelo, como, por exemplo, tratamentos para alisamentos, pintura do cabelo e outros que utilizam produtos fortes que podem danificar os fios e o couro cabeludo.
  • Alopecia por tração: afeta pessoas que “forçam o couro cabeludo”, fazendo com que os fios sejam arrancados, ainda que de forma involuntária. É muito comum em quem usa penteados que esticam demasiado o cabelo.
  • Alopecia fibrosante frontal: é um dos tipos mais graves de alopecia, uma doença inflamatória crónica que causa a perda permanente dos fios, não apenas do couro cabeludo, mas também das sobrancelhas e até das pestanas. É mais comum em mulheres acima dos 50 anos e/ou depois da menopausa.
  • Alopecia cicatricial: é um tipo que acontece quando há uma cicatriz de alguma ferida ou queimadura, o que impede o nascimento de novos fios de cabelo.
  • Alopecia traumática: mais comum entre crianças, é um tipo de queda de cabelo que acontece devido a infeções causadas por fungos.
  • Alopecia senilis: é a alopecia mais frequente entre os idosos, dado ser causada pela passagem do tempo.
  • Alopecia totalis: é um tipo de alopecia que leva à perda total do cabelo em todo o couro cabeludo.

Conseguir identificar qual o tipo de alopecia que o afeta é o primeiro passo para encontrar um tratamento que o possa ajudar a reverter o quadro de alopecia.

Embora as pessoas possam identificar alguns sinais de alopecia, apenas um médico dermatologista lhe poderá diagnosticar este problema, e sendo o caso, o tratamento mais adequado.

Quais as causas da alopecia?

A alopecia poderá ter na sua origem fatores genéticos

A avaliação profissional procura, principalmente, determinar qual é a causa da alopecia, a severidade desta e em que tipo se enquadra, para, a partir disso, indicar o tratamento correto.

As causas mais comuns da alopecia podem passar por:

  • Fatores genéticos;
  • Lesões dos folículos capilares;
  • Ansiedade, stress e depressão;
  • Maus hábitos alimentares;
  • Efeitos secundários de medicação;
  • Disfunções na tireoide;
  • Cirurgias recentes;
  • Doenças inflamatórias e infeciosas.

Se em alguns casos pode ser algo simples, noutros pode ser um indício de que poderá haver algo de errado com a saúde. Por isso, identificando qualquer sinal ou uma queda de cabelo mais intensa e sem motivo aparente, mesmo que a princípio não pareça preocupante, é importante consultar um médico dermatologista.

Como tratar a alopecia?

Conhecer qual o tipo de alopecia que o afeta é importante para determinar qual o tratamento mais indicado

Como já mencionado, os tratamentos para a queda de cabelo vão depender da causa, do tipo e até da intensidade da mesma. Não obstante, há quatro formas de combater o problema:

  • Produtos tópicos: o uso de champôs e loções aplicados diretamente no couro cabeludo podem ser eficientes para casos mais leves de queda de cabelo.
  • Medicação oral: em alguns casos os medicamentos podem ser prescritos por um médico para ajudar a bloquear as inflamações que obstruem os folículos pilosos, fazendo com que os fios de cabelo voltem a nascer.
  • Procedimentos estéticos: atualmente existem várias técnicas modernas e inovadoras, como o laser, que podem ajudar a recuperar o crescimento dos cabelos, especialmente quando a queda já está num estágio mais avançado.
  • Procedimentos cirúrgicos: para os casos mais graves a cirurgia de transplante de cabelo pode ser a única alternativa. Os fios são retirados de outras áreas do corpo e introduzidos na região da cabeça com falhas.

Como prevenir a alopecia?

Alguns hábitos podem ajudar a prevenir a alopecia

Se não foi afetado por este problema ou mesmo depois de o tratar, é importante adotar alguns cuidados para prevenir a alopecia. Alguns hábitos que podem ser adotados passam por:

  • Alimentação equilibrada;
  • Prática de exercício físico regular;
  • Evitar procedimentos agressivos para o couro cabeludo;
  • Usar produtos que sejam específicos para seu tipo de cabelo.

Como muitas vezes a queda do cabelo é normal (quando em pouca quantidade), a maioria das pessoas só chega a perceber que há um problema numa fase mais avançada, mais frequente e intensa. Isto faz com que o tratamento possa ser um pouco mais complicado.

Por isso é importante ter sempre atenção e procurar aconselhamento médico perante os primeiros sintomas de alopecia. Cuide bem do seu cabelo!

Mariana Bueno

Brasileira, jornalista e escritora. Desde criança tem os livros como os seus grandes companheiros e, mais tarde, transformou a escrita em profissão. É formada em Comunicação e pós-graduada em Media Digitais. Gosta de transmitir informações por meio dos seus textos e adora ouvir e contar boas histórias, de preferência as que descobre ao viajar por diferentes lugares.