Incubadora de empresas: o que são e quais as vantagens?

Se é um empreendedor ou a temática lhe interessa, possivelmente já ouviu falar em incubadoras de empresas.

Com a ajuda de uma incubadora, as empresas passam a ter um apoio técnico e alguns serviços são disponibilizados. Por exemplo: contabilidade, gestão financeira, assistência de marketing, áreas de gerência e jurídica, parcerias estratégicas, acesso a investidores, entre outras, além de cursos e treinamentos. Tudo isso gera uma boa estrutura para que o novo negócio possa oferecer melhores serviços e obter melhores resultados.

Uma incubadora de empresas, portanto, é basicamente um processo que estimula os pequenos empreendimentos a se desenvolverem e alavancarem seus negócios de uma forma menos complicada para que tenham resultados sólidos e duradouros.

Neste artigo vamos compartilhar mais algumas informações úteis e importantes que podem ajudar os empreendedores iniciantes a conseguirem fazer parte de uma incubadora!

O que são incubadoras de empresas?

A origem do termo surgiu devido às incubadoras nas maternidades, pois o princípio é o mesmo, uma incubadora ajudará no desenvolvimento inicial, neste caso de micro ou pequenas empresas e não de um bebé.

O conceito surgiu, em 1959, nos Estados Unidos quando Joseph Mancuso usou o espaço da sua antiga empresa falida e o dividiu alugando a vários empreendedores. Com o tempo, o processo foi se expandido por todo o mundo, principalmente através de centros de inovação e tecnologia.

Com a ajuda de uma incubadora, as empresas passam a ter um apoio técnico e alguns serviços são disponibilizados. Por exemplo: contabilidade, gestão financeira, assistência de marketing, áreas de gerência e jurídica, parcerias estratégicas, acesso a investidores, entre outras, além de cursos e treinamentos.

Este apoio, no início da formação de uma ideia, é essencial para o desenvolvimento de um negócio em fases embriatórias.

Tudo isso gera uma boa estrutura para que o novo negócio possa oferecer melhores serviços e obter melhores resultados.

Como encontrar uma incubadora?

As incubadoras podem abranger uma grande variedade de negócios, de diferentes áreas, sejam de tecnologia, de setores mais tradicionais, de agronegócio, de empresas culturais, de design, de empreendimentos sociais, ou mesmo mistos, entre outros.

O primeiro passo para o empreendedor é desenvolver um projeto e procurar incubadoras e encontrar aquelas que tenham a ver com a área de atuação, o que pode ser feito facilmente pela internet.

Para ajudar na pesquisa, veja algumas incubadoras em Portugal, listadas abaixo por ordem alfabética:

  • AITEC Empresário Digital;
  • Avepark;
  • Biocant;
  • CACE;
  • Centro de Incubação e Desenvolvimento Lispolis;
  • DNA Cascais;
  • FeiraPark;
  • In.cubo;
  • Incubadora D. Dinis;
  • Incubadoras Lisboa;
  • Inova Gaia;
  • Instituto Empresarial do Minho;
  • Iparque;
  • IPN – Instituto Pedro Nunes;
  • IPN Incubadora;
  • Madan Parque;
  • Madeira Tecnopólo;
  • Ninhos ANJE;
  • OPEN;
  • Parkubis;
  • ParquInvest;
  • PortusPark;
  • PROMONET – Associação Promotora de Novas Empresas e Tecnologias;
  • Rede de Incubadoras de Empresas da Região Centro (RIERC);
  • Sanjotec;
  • Startup Lisboa;
  • TagusPark;
  • TecParques;
  • Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro – GAIVA;
  • UPTEC.

Como pode ver, há diversas opções. Depois de escolher, é hora de apresentar a ideia para a incubadora, que irá avaliar.

Algumas dicas importantes antes de fazer a apresentação do projeto são: priorizar as informações relevantes de forma mais objetiva e pesquisar outras empresas que fazem parte da incubadora escolhida, para entender a que mais se adéqua ao que você precisa.

A preferência é sempre para projetos que tenham ideias inovadoras e diferenciadas, com produtos ou serviços que sejam viáveis e que interessem ao mercado. Outros critérios que podem fazer a diferença são ter à frente uma equipe qualificada e ter algum recurso financeiro para a fase inicial.

Mas, em alguns casos, pode acontecer de o empreendedor chegar com uma ideia de negócio e, no decorrer do processo, perceber que não é algo viável e ter uma nova ideia para desenvolver algo diferente do que havia proposto inicialmente. Tudo é variável de acordo com cada incubadora. Por isso é importante pesquisar e, posteriormente, conversar para saber melhor como funciona.

O que distingue incubadoras e aceleradoras?

Uma dúvida para muita gente é em relação à diferença de uma incubadora para uma aceleradora de empresas.

Em comum, o fato de que as duas têm como objetivo o apoio a empreendedores. Mas há uma diferença básica:

  • As incubadoras são focadas em negócios que estão ainda na fase inicial de idealização e usam verbas públicas disponiblizadas para esse tipo de negócio.
  • E as aceleradoras trabalham com as empresas que já estão em processo de crescimento e com grande potencial para que isso aconteça de forma rápida, sempre com capital privado.

Outra diferença é que as incubadoras têm um modelo de consultoria mais tradicional e dependem de um bom plano de negócios para conseguir apoio público – por isso costumam ser lideradas por gestores que tenham experiência na mediação com o poder público, as universidades e as empresas.

Já as aceleradoras trabalham com sessões de mentoria, têm no comando empreendedores ou investidores mais experientes, e apostam em boas ideias, mesmo que não haja um planejamento burocrático.

O melhor modelo para cada empreendimento vai depender do tipo de negócio, dos objetivos e do estágio em que cada um está.

Quais as vantagens para as pequenas empresas?

Independente da área, ao participar de uma incubadora de empresas as principais vantagens para quem está iniciando um negócio são:

  • Maiores chances de crescimento;
  • Ter uma estrutura melhor para se desenvolver;
  • Espaço de trabalho ou apoio virtual;
  • Conhecer pessoas especializadas;
  • Entrar em contato com novas tecnologias;
  • Trocar experiências com outros empreendedores.

As incubadoras também costumam auxiliar no processo de comercialização dos produtos ou serviços, seja na definição dos preços, na divulgação ou na distribuição dos mesmos.

Mas vale lembrar que o serviço que as incubadoras oferecem são temporários. Quando as empresas assistidas já conseguem se manter, o processo de incubação é encerrado. Não há um tempo médio determinado, mas costuma ser por volta de três anos, no máximo. Se você está começando um negócio e se interessou, agora é hora de desenvolver melhor seu projeto e buscar a melhor incubadora de empresas para ajudar no crescimento

Mariana Bueno

Brasileira, jornalista e escritora. Desde criança tem os livros como os seus grandes companheiros e, mais tarde, transformou a escrita em profissão. É formada em Comunicação e pós-graduada em Media Digitais. Gosta de transmitir informações por meio dos seus textos e adora ouvir e contar boas histórias, de preferência as que descobre ao viajar por diferentes lugares.