Regras do voleibol: tudo o que precisa de saber

O voleibol está certamente entre os desportos mais praticados em todo o mundo, e não poderia ser diferente em Portugal. De acordo com pesquisas do Congresso do Desporto, a modalidade, segundo estatísticas realizadas pela PORDATA, ocupa hoje a terceira posição no que respeita à popularidade entre os portugueses, que olham para o voleibol uma ótima alternativa de lazer e bem-estar.

O que talvez muita gente não saiba é que o voleibol foi introduzido em Portugal pelas tropas norte-americanas durante a Primeira Guerra Mundial. Estacionadas na Ilha dos Açores, faziam da prática do desporto um momento de descontração de todo um contexto bélico e hostil.

Posteriormente, o desporto chegou até Lisboa por meio do engenheiro António Cavaco, natural de São Miguel, e disseminou-se nas Escolas Superiores e Faculdades, com maior incidência na Associação de Estudantes do Instituto Superior Técnico, cuja equipa dominou a modalidade até os anos de 1960. De lá para cá, vários clubes foram criados, bem como campeonatos masculinos e femininos, que mostram a força do desporto que conquistou milhares de adeptos, sem distinção de género, no nosso país.

Se tem interesse por esse desporto e deseja conhecer as regras do voleibol, os seus principais fundamentos, bem como factos interessantes relacionados à modalidade, então continue a leitura deste artigo que preparamos para si. Quem sabe, muito em breve, não dominará todas as suas técnicas? Acompanhe!

As 10 principais regras do voleibol

Nos jogos de voleibol, a disputa acontece entre duas equipas, cada qual representada por 6 jogadores atuando em quadra e mais 6 no banco de reservas. Entre os atletas em quadra, um deles pode ser o líbero, cuja função é receber e defender a bola. Confira infra as principais regras do voleibol:

  1. Cada jogo de voleibol conta com 5 sets, sem tempo definido em cada um deles ou no total;
  2. Um set termina assim que uma das equipas alcança 25 pontos, com 2 pontos de vantagem sobre o adversário. Enquanto não houver essa vantagem, a partida prossegue até que uma das equipas finalmente consiga abrir 2 pontos de diferença e vença o set;
  3. Não obstante, há uma exceção no tamanho dos sets quando as duas equipas vencem, cada um, dois sets, empatando a partida em 2 x 2. Nessa situação é disputado um quinto e último set, conhecido como tie break.
  4. O tie break vai até aos 15 pontos, ou seja, vence a equipa que atingir essa pontuação primeiro com uma vantagem de 2 pontos. No entanto, caso a vantagem não exista, a partida prossegue até que o desempate atinja esses 2 pontos, momento em que se conhece o vencedor por 3 sets contra 2.
  5. De acordo com as regras do voleibol, a partida começa sempre com um serviço e, após o apito do árbitro, o jogador tem até 8 segundos para o efetuar;
  6. Depois de efetuado o serviço, cada equipa poderá tocar até três vezes na bola antes de a passar para o lado adversário, com um ataque ou uma devolução simples, todavia é proibido que um jogador dê dois toques seguidos na bola. Importa referir que, de acordo com as regras do voleibol, o toque no bloqueio não conta;
  7. Sempre que a equipa adversária servir e sofrer um ponto, a outra equipa deve realizar uma rotação na posição dos atletas que estão em quadra, regra que confere movimento às peças em quadra e melhora a dinâmica e os embates do jogo;
  8. No bloqueio, os jogadores podem tocar na bola além da rede, não obstante, essa ação não pode interferir no golpe de ataque da outra equipa, isto é, fica proibida de invadir o seu espaço, infração que invalida a jogada e atribui um ponto ao adversário;
  9. É considerada bola fora a bola que sai das linhas demarcatórias, que toca nas antenas e nos cabos ou que cruza o espaço de fora das antenas;
  10. As regras do voleibol também definem que os jogadores, em nenhuma circunstância, podem pisar na quadra adversária ou tocar na rede. Caso a falha ocorra, a equipa adversária pontua.

Quais as posições no jogo de voleibol?

As regras do voleibol definem que, numa partida, cada equipa vai dispor os seus atletas em cinco posições básicas, que poderão ser ajustadas conforme as necessidades da equipa, qualidades e estilo de jogo da equipa adversária. Todavia, as funções dos jogadores não costumam variar muito. Conheça agora quais são:

1. Levantador

Nas regras do voleibol, levantador é o jogador que distribui as jogadas e tem a responsabilidade de armar os movimentos do ataque da sua equipa. Pode-se dizer que este é o comandante da equipa, visto que a efetividade ofensiva das jogadas realizadas depende das suas decisões. Portanto, o levantador ocupa uma posição-chave, via de regra, de liderança dentro do grupo.

2. Meio de rede

Os atletas de maior estatura são conhecidos como meio de rede. É deles a missão de bloquear o meio, marcar as bolas rápidas e de diagonal da equipa adversária, funções que são habilmente executadas em virtude do tamanho e envergadura desses jogadores. Ademais, são tidos como uma segura arma ofensiva em bolas rápidas, função facilitada em virtude da estatura e potência dos ataques desses atletas.

3. Oposto

Nas regras do voleibol, a função do oposto, jogador mais incisivo do ataque de força, é completar e facilitar o trabalho do levantador. Apresenta velocidade e precisão nos ataques, dominando os fundamentos ofensivos nas bolas de ponta, bolas rápidas e bolas de fundo. É sua função, mais do que passar a bola, pontuar, bloquear e auxiliar a defesa.

4. Líbero

Peça-chave de qualquer esquema tático, o líbero é um jogador fundamental para a defesa e no primeiro passe. O mais comum é que entre no lugar do jogador de meio, atleta que se desloca para o fundo da quadra visando à defesa do serviço adversário, para oferecer uma boa recepção, o que levará a um bom ataque.

5. Ponta

Ao lado do líbero, o ponta é mais um responsável pela qualidade nos passes da equipa. É imprescindível que os ocupantes dessa posição apresentem uma boa defesa, dominem a bola com a manchete e então suba como uma opção no ataque rápido pelas laterais.

Pontuação do voleibol

Dando continuidade às regras do voleibol, vamos falar sobre a pontuação do jogo. Nas competições oficiais, as vitórias por 3 x 0 ou 3 x 1 garantem 3 pontos à equipa vitoriosa. Já as vitórias por 3 x 2 somam 2 pontos e derrotas por 2 x 3 e dão à equipa derrotada 1 ponto. Caso a equipa sofra uma derrota por 0 x 3, não recebe nenhum ponto. No entanto, em situações mais extremas, como o W. O (do inglês walkover, isto é, “vitória fácil”), em que a equipa adversária não comparece para a disputa, vê 2 pontos subtraídos à sua classificação. 

Os movimentos do voleibol

Conforme as regras do voleibol, são cinco os principais movimentos que ocorrem durante uma partida. A saber:

  1. Serviço: trata-se do primeiro movimento da bola, que deve atravessar a quadra e atingir a equipa adversária. Desde que ultrapasse a rede, a bola está em jogo;
  2. Receção: ocorre no momento em que a equipa defende o serviço e recebe a bola, dando continuidade à dinâmica de jogo e preparando o seu ataque;
  3. Levantamento: acontece quando a bola é trocada entre os atletas da mesma equipa após a receção. Nesse movimento, o levantador é o responsável por definir a melhor jogada e preparar a bola para o atacante da sua equipa;
  4. Ataque: o ataque acontece depois da recepção e do levantamento, momento em que a bola é lançada para o campo da outra equipa;
  5. Bloqueio: movimento feito pelos jogadores da rede para impedir o ataque adversário.

Arbitragem no voleibol

A equipa de arbitragem é fundamental durante a partida pois garante que as regras do voleibol sejam cumpridas à risca. É composta por:

1.° árbitro

Este profissional ocupa a cadeira de arbitragem, do lado oposto do apontador e numa das extremidades da rede. É dele a responsabilidade de marcar faltas do jogador que efetua o serviço, de posicionamento, toque de bola, invasões, entre outras infrações às regras do voleibol.

2.° árbitro

Posiciona-se do lado externo da quadra, em pé e próximo ao poste da rede, de frente para o 1.º árbitro. As suas principais atribuições são marcar faltas de posição, contacto faltoso com a rede, contacto da bola com um objeto fora do jogo, contacto da bola com o solo quando houver dúvida, e quando a bola cruza a rede total ou parcialmente por força do espaço dentro das antenas.

Apontador

Encontra-se na mesa do apontador, de frente para o 1.º árbitro. É dele a incumbência de registar os pontos marcados, controlar a ordem de serviço das equipas, efetuar substituições com uso de sinal sonoro (campainhas), anunciar o fim dos sets, registar advertências de condutas inapropriadas, controlar o intervalo, entre os sets entre outras atribuições que visam ao cumprimento das regras do voleibol.

Juízes de linha

Estes profissionais posicionam-se no fundo das quadras, próximos às linhas de fundo e lateral do seu lado, na diagonal. São os responsáveis por sinalizar se a bola foi dentro ou fora, se tocou a antena, se o jogador pisou fora da quadra, faltas de serviço, entre outras funções relativas a marcações.

Intervalo das partidas de voleibol

Conforme preconizam as regras do voleibol, cada intervalo entre os sets tem duração de 3 minutos, tempo que pode ser estendido para atender necessidades técnicas das emissoras de televisão que estejam a transmitir a partida. Nessas situações, a duração dos intervalos precisa ser negociada entre as equipas, seleções e a federação responsável pela competição, que em Portugal é a Federação Portuguesa de Voleibol (FPV), e internacionalmente a Federação Internacional de Voleibol (FIVB).

Termos utilizados numa partida de voleibol

Agora que já conhece as principais regras do voleibol, posições dos atletas, movimentos em quadra, atribuições da equipa de arbitragem e tempo de intervalo, que tal ficar por dentro das principais expressões utilizadas pelos jogadores? Assim ficará mais fácil entender o que acontece dentro das quatro linhas. Confira:

  • Condução – Acontece quando o jogador carrega excessivamente a bola no seu toque, ou quando não deixa as mãos completamente abertas ao apoiar a bola. Esta prática é proibida pelas regras do voleibol.
  • Invasão – Como referido, o jogador de uma equipa não pode invadir a quadra adversária, não importando se toca a rede por cima ou se ultrapassa a quadra para o outro lado em busca de uma bola perdida. Caso aconteça, a equipa adversária pontua imediatamente.
  • Cravar – Quando um ataque explode no chão da quadra adversária com muita potência recebe o nome de “cravada”.  É caracterizada pelo facto de o atacante subir bastante para o ataque e conseguir executar um ataque com muita força direcionado para o chão, o que impossibilita a defesa da equipa adversária.
  • Bola de segunda – Diz respeito ao segundo toque na bola. Comummente, a equipa realiza uma receção no primeiro toque, sendo que o segundo é responsabilidade do levantador, que vai preparar a jogada. Todavia, em vez de armar um ataque, o levantador pode simplesmente atacar, estratégia que apanha de surpresa a equipa adversária.
  • Dois toques – Nas regras do voleibol fica claro que cada jogador só pode tocar a bola uma única vez em cada lance. Caso o segundo toque ocorra, acidentalmente ou não, a equipa adversária pontua.
  • Match point – Significa o ponto do jogo, acontece quando uma equipa tem a vantagem necessária para vencer, no entanto, precisa de marcar um último ponto.
  • Set point – É o mesmo que o match point, mas com menor relevância. É a possibilidade de ponto final num set, quando a equipa precisa pontuar naquela jogada para vencer o set.

Curiosidades sobre o voleibol

Agora que já conhece as regras do voleibol, confira cinco curiosidades sobre essa modalidade:

  • O voleibol surgiu nos Estados Unidos da América, em 1895. Foi criado pelo professor de educação física William George Morgan, que tinha como objetivo desenvolver um desporto que não tivesse muito contato entre os jogadores e pouco impacto, características que evitariam lesões;
  • Inicialmente, foi chamado de mintonette, uma alusão ao badminton, desporto que se assemelha ao ténis;
  • O voleibol tornou-se oficialmente um desporto olímpico em 1962. A sua primeira participação nas olimpíadas foi em 1964, em Tóquio, no Japão. À época, apenas 10 países enviarem delegações deste desporto: União Soviética, Checoslováquia, Japão, Roménia, Bulgária, Hungria, Brasil, Países Baixos, Estados Unidos da América e Coreia do Sul;
  • A partida mais longa de voleibol aconteceu na final das olimpíadas de 1976, entre as equipas da Polónia e da União Soviética. Foram 4 horas e 36 minutos de jogo, com vitória da equipa polaca;
  • O voleibol é um dos poucos desportos que treinam todos os músculos do corpo, facto que se deve à sua mecânica. Ademais, é conhecido como uma das modalidades desportivas que menos cansam o jogador.

Gostou deste artigo sobre as regras do voleibol? Então que tal arriscar-se no universo deste desporto tão interessante? Convide os seus amigos para formar uma equipa e garantam bons momentos de descontração!

Luana Castro Alves

Licenciada em Letras e Pedagogia, redatora e revisora, entusiasta do universo da literatura, sempre à procura das palavras. "Não se pode escrever nada com indiferença." (Simone de Beauvoir)