Singapura: razões (de sobra) para visitar a “Pérola da Ásia”

A República de Singapura (ou “Cidade Leão”, em malaio) é atualmente um dos destinos turísticos mais desejados do sudeste asiático. Estabelecida como cidade-estado, independente do domínio britânico em meados dos anos 60, este conjunto de ilhas do Índico com apenas 700 km² é hoje um importante pólo comercial.

A chamada “ilha inteligente” apresenta o mais alto Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) da Ásia, possui um dos portos mais movimentados do mundo e tem um dos seus principais centros financeiros. Mas o que torna Singapura um destino de férias tão apetecível?

A multiculturalidade

A exposição a novas culturas é um dos principais motivos para viajar. Apesar da ausência de uma cultura própria e da sua aparência ocidentalizada, Singapura oferece uma vasta panóplia cultural.Composta por uma população de origem maioritariamente malaia, chinesa, indiana e indonésia, esta ilha portuária concentra diferentes culturas e tradições asiáticas no mesmo local.

Visitar o bairro chinês de Chinatown e assistir a uma cerimónia budista; percorrer o distrito indiano Little India e observar o desfile de saris pelas ruas; explorar as inúmeras lojas de têxteis e joalharia do Arab Quarter – são algumas das atividades sugeridas a quem procura mergulhar na imensa multiculturalidade deste país.

A oferta gastronómica

Passar fome em Singapura é difícil. Em primeiro lugar, existem ofertas ajustadas a todas as carteiras – é possível comprar uma refeição por apenas 6 dólares singapurenses (4€). Em segundo lugar, há opções para todas as bocas. Reflexo da sua diversidade cultural, a variedade gastronómica de Singapura vive nos bairros típicos, nos mercados, na comida de rua, nos restaurantes e até nos centros comerciais.

Saborear comida chinesa, coreana, japonesa, vietnamita, indiana e ocidental no mesmo espaço não só é possível, como altamente expectável. O Chicken Rice (Arroz com Galinha) e o Chilly Crab (Caranguejo Picante – atenção, é MESMO picante), por serem pratos tipicamente singapurenses, encontram-se literalmente em qualquer canto da cidade.

A eficiente rede de transportes de Singapura

O governo de Singapura prevê regras ao desincentivo do uso de veículo próprio, o que significa menos automóveis nas estradas e um sistema de transporte público eficiente

A rede de metro cobre toda a ilha principal de Singapura de forma rápida e eficaz; articulada com uma frota de autocarros modernos e confortáveis, constitui a solução perfeita para qualquer deslocação a preço acessível.

O táxi, meio de transporte amplamente utilizado, é uma excelente alternativa ao transporte público tradicional. A abundância de paragens para estes veículos, aliada à sua vasta oferta e transparência de preços (o ato de regatear corridas não só é inexistente, como ilegal) faz com que este seja o meio preferido de alguns turistas. Por exemplo, deslocar-se entre o centro financeiro e a praia mais badalada da ilha de Sentosa demora cerca de 15 minutos e custa à volta de 12 dólares (aproximadamente 8€). 

As aplicações móveis de transporte privado funcionam muito bem, pelo que constituem uma opção igualmente viável.

Numa nota mais turística e em jeito de sightseeing, o Cable Car, vulgo teleférico, permite uma vista panorâmica pela parte sul da ilha, o que resulta numa experiência agradável e em registos fotográficos únicos.

A fácil comunicação e a elevada segurança

Ao contrário da maioria dos seus congéneres asiáticos, a barreira linguística em Singapura não é tema. Sendo a língua inglesa um dos idiomas oficiais do país, a comunicação com os locais é facilitada e as deslocações pelas ilhas são simples. Todos os sinais e placas estão convenientemente escritos em (não só, mas também), inglês.

Na hora de decidir um destino de férias, Singapura destaca-se pela sua extrema segurança. A cultura de respeito, aliada às imposições legais muitas vezes apelidadas de “rigorosas” e “restritivas” (p. ex., a existência de videovigilância 24h/dia, por todo o território), valeram à Cidade Leão um lugar no top 10 dos países mais seguros do mundo, ao lado da Islândia, Canadá e até mesmo Portugal.

O clima constante em Singapura

O clima equatorial, característico pelas suas temperaturas altas (a rondar os 30ºC) e a sua elevada humidade, pode desanimar até o turista mais empolgado. Contudo, a constância meteorológica de Singapura permite a este destino adaptar-se a qualquer roteiro.

Por ser um sítio, geralmente, “de passagem” – incluído noutras viagens com destino à Malásia, Tailândia, Indonésia – ele não oferece constrangimentos na hora de decidir o itinerário, estando sempre pronto para o receber. Ademais, a utilização de ar condicionado é popular em toda a ilha, o que permite fugir à sensação de “sauna exterior” de uma forma fácil e rápida – basta entrar em qualquer transporte ou local público fechado.

O regime de entrada e a prevenção médica

Pela sua política neutra e de incentivo ao turismo, cerca de 80% das nacionalidades podem entrar no território singapurense por um período de 30 a 90 dias sem a necessidade de visto.

O cidadão português tem direito ao maior período sem visto, o que representa uma enorme poupança na hora de planear a sua viagem. Economizar em gastos médicos também é possível já que, salvo raras exceções, não existem profilaxias obrigatórias ou recomendadas para entrar no país, ao contrário de outros destinos exóticos.

A paisagem futurista de Singapura

Singapura é a cidade do futuro, do progresso, da tecnologia e do desenvolvimento económico. A sua paisagem é caracterizada por prédios altos, janelas espelhadas, linhas limpas e retas. Mas também pelas pinceladas de verde que nela figuram. Canteiros floridos e jardins suspensos são parte integrante deste panorama moderno, ilustrando o casamento perfeito entre a botânica e o betão, a natureza e a civilização.

A cidade goza de alguns jardins agradáveis, como o Chinese Garden, e outros de cortar a respiração, como o Gardens by the Bay. Neste jardim botânico, a tecnologia é aliada à natureza e o visitante tem a sensação de estar dentro do filme “Avatar”. Uma experiência quase psicadélica e verdadeiramente única.

Por todos estes motivos, é fácil compreender a origem do seu apelido, “Pérola do Asiático”. A abundância cultural e paisagística de Singapura, aliada a uma segurança acima da média e à comunicação e transportes convenientes, torna este um tesouro imperdível na altura de marcar a próxima viagem ao sudeste asiático. 

– Rita Biscaia, analista de negócios e viajante a tempo inteiro.

A redação do trabalhador.pt

Adicionar comentário