Aquecedor a gás: qual o modelo mais indicado para si?

Chegando os meses mais frios do ano, os aquecedores surgem “como cogumelos” nas casas portuguesas. Em virtude de defeitos de construção e de um deficiente isolamento térmico, problemas relativamente comuns em Portugal, as pessoas procuram combater o frio e a humidade com recorrendo a aquecedores, principalmente nas regiões onde o inverno é mais agreste.

Existem diferentes tipos de aquecedores, como os aquecedores elétricos, os aquecedores a óleo e também os aquecedores a gás. Todos cumprem eficazmente a mesma função, a grande diferença assenta na forma como o calor é gerado.

Se está a pensar adquirir um aquecedor lá para casa, ou mesmo trocar o antigo por um novo, deve saber que antes de escolher um aquecedor a gás, há um conjunto de características que devem ser tidas em consideração.

Para ajudar nessas e noutras questões, procuramos responder no presente artigo a algumas da questões das mais frequentes sobre os aquecedores a gás, destacando as suas vantagens e desvantagens face a outros tipos de aquecedores.

Dicas para escolher um aquecedor a gás

Há vários fatores que devem ser considerados na escolha de um aquecedor a gás

Mas afinal, qual o modelo ideal para si? Esta é uma pergunta que não tem resposta, pelo menos uma óbvia. Há fatores a ter em consideração, dado que o que funciona com outras pessoas poderá não funcionar consigo.

Em seguida, destacamos alguns dos aspetos que consideramos serem importantes antes de avançar com a compra de um aquecedor a gás, nomeadamente:

  • Espaço: o espaço da divisão onde o aquecedor a gás irá ficar deve ser amplo e com uma boa ventilação, para evitar os riscos de acidentes já mencionados anteriormente – afinal de contas estamos a falar de um aparelho que trabalha a gás. O tamanho mínimo recomendável para uma divisão é de 20 m².
  • Consumo e eficiência energética: antes de avançar para a compra, pondere sempre o consumo energético do aquecedor. Uma boa forma de o fazer é olhando para etiqueta energética. Esta indica-lhe através de uma escala de A a G (sendo A a mais eficiente e a G a menos) qual a eficiência energética do aquecedor. A título de exemplo, referir que, para a mesma produção de calor, uma aparelho da classe A consome menos energia que um da G.
  • Funcionalidades: Em virtude dos avanços tecnológicos, vão surgindo no mercado aquecedores a gás cada vez mais modernos e com mais funcionalidades. Hoje muitos destes aparelhos permitem regular a temperatura e até estabelecer uma hora para o aparelho ligar/desligar automaticamente.
  • Preço: Embora não se trate do fator mais importante, não pode deixar de ser considerado. Hoje em dia é possível nos retalhistas de referência encontrar aquecedores elétricos a partir dos 100€.

Aquecedor a gás ou outro tipo de aquecedor?

O aquecedor a gás é mais indicado para divisões amplas

Importa, antes de mais, referir que não há forma de determinar quais os melhores aquecedores, se os a gás, a eletricidade ou outros.

A verdade é que embora não sejam tão procurados como os aquecedores elétricos, os aquecedores a gás apresentam alguns pontos positivo em comparação com aqueles, designadamente o facto de serem mais indicado para áreas grande, como também por, regra geral, o consumo energético ficar mais barato no final do mês, já que o gás é mais barato que a eletricidade.

Outro ponto a destacar é o facto de serem aparelhos particularmente potentes, aquecendo as divisões relativamente rápido, sobretudo quando comparado com os aquecedores a óleo, por exemplo.

Não obstante, existem alguns cuidados que são necessários, dado que ao serem alimentados a gás, libertam dióxido de carbono (CO2), sendo importante que, quando em funcionamento, a divisão onde estão instalados seja bem ventilada. O dióxido de carbono é particularmente perigoso em virtude de não ter cheiro, aumentando os riscos de intoxicação sem que dê por isso.

Acresce que a utilização de aquecedores a gás em divisões de pequena dimensão é desaconselhada, sendo também importante mantê-los afastados de materiais potencialmente inflamáveis, como as cortinas e os móveis, como também das crianças.

Não obstante seja importante mencionar os riscos associados aos aquecedores a gás, não podemos deixar de referir que, sobretudo os modelos mais modernos, são equipamentos considerados seguros, dispondo de características importantes como: ignição elétrica, controladores de oxigênio e termostatos que desligam automaticamente quando a temperatura fica muito alta.

Cuidados a ter com o aquecedor a gás

A generalidades dos aquecedores externos são alimentandos a gás

Ter um aquecedor em casa irá aumentar a sensação de bem estar e manter a temperatura quente. No entanto, o mais importante é garantir a segurança de todos e, para isso, há alguns cuidados que devem ser adotados na utilização de aquecedores a gás no dia a dia.

  • Ler o manual de instruções – Uma dica essencial antes de começar a usar o aquecedor a gás é ler todas as recomendações do fabricante, evitando assim problemas futuros em virtude de uma deficiente utilização
  • Regular a temperatura – É também recomendado regular e programar a temperatura – opções disponíveis nos aquecedores a gás mais modernos – se os pretende deixar ligados por muito tempo, seja durante a noite ou mesmo durante o dia. Isto não só lhe permite ter o ambiente muito mais confortável quando chegar a casa, como também reforça a segurança da utilização destes aparelhos.
  • Procurar alternativas para economizar – Quanto menos precisar de utilizar o aquecedor a gás, menor será o gasto no final do mês. Para isso, uma boa dica é procurar alternativas para deixar a casa mais quente. Mesmo que precise ligar o aquecedor a gás, o aquecimento será otimizado. Algumas das coisas que poderão ser feitas são uma aposta no isolamento térmico das portas e janelas, a utilização de tapetes, almofadas e outros produtos que mantenham o clima mais confortável, e, havendo sol, abrir os estores e deixar a luz entrar no ambiente.
  • Realizar manutenção regularmente – Para evitar riscos, é importante que os aquecedores a gás passem por inspeções periódicas (pelo menos uma vez ao ano) para verificar se o seu funcionamento está conforme o expetável e, principalmente, se não há nenhuma fuga de gás.

Esperamos que todas estas dicas possam ter tornado a tarefa de escolher um aquecedor a gás mais simples! Agora é consigo, boas compras!

Mariana Bueno

Brasileira, jornalista e escritora. Desde criança tem os livros como os seus grandes companheiros e, mais tarde, transformou a escrita em profissão. É formada em Comunicação e pós-graduada em Media Digitais. Gosta de transmitir informações por meio dos seus textos e adora ouvir e contar boas histórias, de preferência as que descobre ao viajar por diferentes lugares.