Como remover pontos negros?

Certamente já deve ter sido afetado por pontos negros no rosto. Esta situação é relativamente comum em diferentes tipos de pele, principalmente nas mais oleosas, e acontece devido à acumulação de resíduos e sujidade que obstruem os poros.

Regra geral, a parte do rosto mais afetada por pontos negros é a chamada “zona T”, que inclui a testa, o nariz e o queixo. Por serem regiões com uma maior concentração de glândulas sebáceas – membranas produtoras de matéria gorda destinada a proteger e lubrificar a superfície do corpo.

De um modo geral, os pontos negros podem ser considerados um primeiro sinal de acne. Muitas vezes, podem até mesmo gerar lesões e inflamações suscetíveis a causar dor. Por estes e outros motivos, é importante saber como cuidar corretamente da pele.

Neste artigo procuraremos dar resposta a algumas das perguntas mais frequentes sobre pontos negros, nomeadamente como os prevenir. Boa leitura!

Como lidar com os pontos negros?

A principal dica para quem tem pontos negros é evitar ao máximo tocar-lhes. É relativamente comum achar-se que espremê-los é uma boa forma de os remover, no entanto, a verdade é que isto poderá até agravar o quadro, levando a uma possível infeção.

Além disso, espremer os pontos negros pode fazer com que os líquidos e a sujidade se espalhem para outras camadas da pele, o que também aumenta as probabilidades de problemas ainda mais graves e até mesmo de ter cicatrizes.

Portanto, por mais que seja uma tentação, é importante não espremer os pontos negros de forma alguma. Ao verificar que tem pontos negros no rosto o melhor será aplicar produtos específicos, de preferência indicados por um médico dermatologista.

Há diversas opções de cremes, loções e máscaras com substâncias que ajudam na desobstrução dos poros. Em alguns casos, o dermatologista poderá recomendar uma limpeza de pele ou outros procedimentos para remover os pontos negros.

Tenho pontos negros, posso usar maquilhagem?

Uma dúvida relativamente comum prende-se com o uso de maquilhagem. É relativamente comum que quem tem pontos negros, opte por usar maquilhagem para os esconder. Entre os mais comuns estão os produtos corretivos como a base, que deixa o tom de pele mais uniforme.

Não há nenhum problema em fazer isso. Porém, deve lembrar-se que esta é uma forma de esconder o problema e não de o resolver. Pode até ser uma boa solução momentânea ou esporádica, mas o ideal é sempre procurar formas de eliminar os pontos negros e não de os esconder. Chutar para canto, nunca é solução.

Sempre que usar maquilhagem não se pode esquecer que é muito importante proceder à sua remoção, nomeadamente através de discos desmaquilhantes reutilizáveis, por exemplo.

Todos sabemos que faz mal dormir com maquilhagem, todavia, quão mal faz realmente? Ao fazer isto estará a aumentar a exposição da pele aos radicais livres, como também a degradação do colagénio e, consequentemente, ao envelhecimento precoce desta.

Dicas para evitar pontos negros

A melhor forma de lidar com os pontos negros é cuidar diariamente da pele de forma a prevenir o seu surgimento. Ao incluir alguns hábitos simples na rotina de limpeza, o problema poderá ser evitado. Deixamos algumas dicas:

1. Limpar a pele

Como já referido, os pontos negros surgem principalmente por causa da obstrução dos poros, causada pela acumulação de sujidade e resíduos. Assim sendo, a limpeza diária da pele é certamente essencial para que isso deixe de acontecer. A recomendação é de que limpe a pele pela manhã e à noite, preferencialmente com um sabonete específico para o seu tipo de pele. Não é necessário dizer que deve remover a maquilhagem antes de ir dormir, certo?

2. Não remover a oleosidade da pele

Embora a oleosidade em excesso possa ser prejudicial, a sua falta também o é. Isto acontece porque o organismo, ao entender que a pele está a perder a oleosidade, aumenta a sua produção como “mecanismo de defesa”. Em consequência, os poros ficam ainda mais dilatados, o que faz com que o problema se agrave. Por isso a indicação é limpar a pele apenas duas vezes por dia (de manhã e à noite).

3. Fazer uma esfoliação da pele

Fazer uma esfoliação na pele quinzenalmente é uma forma de fazer com que esta se mantenha saudável. Para isso há diversas opções de máscaras esfoliantes que, ao serem aplicadas, ajudam a remover as células mortas que entopem os poros e estão na origem dos pontos negros.

4. Usar os produtos certos

Um erro muito comum nos cuidados com a pele é acreditar que os cremes dão para todos os tipos de pele. O facto é que todos temos tipos de pele diferentes e, por isso, muitas vezes o que resulta para outra pessoa não resultará necessariamente consigo. Por isso, antes de aplicar qualquer produto, verifique se é apropriado para o seu tipo de pele.

5. Fazer máscaras caseiras

Quem prefere alternativas mais naturais, ao invés de comprar cosméticos pode apostar em misturas feitas com “ingredientes caseiros”. Uma dica para os pontos negros é misturar uma colher de chá de sumo de limão com meia colher de chá de mel, passar no nariz e na testa (evitando a área dos olhos), esperar que seque por aproximadamente 15 minutos e lavar com água morna.

6. Aplicar sempre protetor solar

O protetor solar é um produto imprescindível para qualquer pele. Pode ajuda a evitar manchas e prevenir o envelhecimento precoce resultante do excesso de exposição solar. É também uma boa forma de prevenir o aparecimento dos pontos negros. Mas não ache que é só o excesso de radiação solar, a mera luminosidade pode ter esse feito.

Há tratamento para os pontos negros?

Se mesmo com todas as dicas os pontos negros continuarem a aparecer, fique a saber que existem algumas possibilidades de tratamento. Para alguns casos, os médicos dermatologistas poderão indicar medicamentos, em forma de pomadas, por exemplo, para serem aplicados no local para matar as bactérias e eliminar o excesso de óleo, deixando a pele mais saudável novamente.

O mais importante é ser acompanhado por um médico dermatologista, sobretudo se o seu quadro de pontos negros é acima do normal. Cuide-se!

Mariana Bueno

Brasileira, jornalista e escritora. Desde criança tem os livros como os seus grandes companheiros e, mais tarde, transformou a escrita em profissão. É formada em Comunicação e pós-graduada em Media Digitais. Gosta de transmitir informações por meio dos seus textos e adora ouvir e contar boas histórias, de preferência as que descobre ao viajar por diferentes lugares.