Colagénio: o que é, quais os benefícios e como se forma?

Praticamente um terço da proteína do nosso corpo é composta por colagénio. Este é essencial para a nossa saúde, conferindo elasticidade à pele e às demais estruturas do corpo que não necessitam da sustentação dos ossos. Além disso, o colagénio ajuda a prevenir doenças como a osteoartrite e fortalecer a nossa estrutura muscular, os tendões e os ligamentos.

Embora o colagénio seja muito associado a produtos cosméticos, esta proteína pode também ser encontrada em vários alimentos que consumimos no dia a dia, bem como em inúmeros suplementos alimentares.

Para entender melhor esta proteína, abordamos neste artigo os vários benefícios do colagénio, a sua formação e os seus tipos. Acompanhe!

O que é o colagénio?

O colagénio é uma proteína estrutural produzida pelo organismo, podendo ser encontrado na pele, nos tendões e nos ossos. É responsável por dar firmeza à pele, além de ser importante para as unhas, para o cabelo e para os músculos.

Derivado da palavra grega kolla, que significa cola e genno (produção), o colagénio é essencial para manter o nosso corpo saudável. As suas fibras atuam como se fossem uma “cola”, fornecendo resistência, elasticidade e hidratação aos tecidos e órgãos.

Existem cerca de 28 tipos diferentes de colagénio, destes, cerca de 99% correspondem aos tipos 1 ao 5, que abordamos em pormenor mais à frente.

Como se forma o colagénio no organismo?

Esta proteína é formada por diversas sequências de três aminoácidos (substâncias orgânicas que apresentam amina e carboxila). Entre estes aminoácidos estão a prolina, glicina e lisina.

O colagénio é dividido em peptídeos (moléculas formadas pela ligação de dois ou mais aminoácidos) que são absorvidos pelo corpo e que para além de importantes funções na cicatrização da pele, contribuem para o fortalecimento das cartilagens, combatem o envelhecimento (formação de rugas e flacidez da pele).

Assim que os peptídeos passam pelo nosso aparelho digestivo (após a ingestão de alimentos), dá-se a formação de vários tipos de colagénio.

Além do colagénio ser produzido naturalmente pelo nosso organismo, este também pode ser encontrado em alguns alimentos, como carne vermelha, frango, peixe, gelatina e suplementos alimentares.

Colagénio em produtos de beleza

Na pele, o colagénio atua como um “produto antienvelhecimento”, favorecendo a regeneração da pele e preenchendo rugas e linhas de expressão. Os produtos à base de colagénio são indicados para o aumento da elasticidade da pele.

Além de combater a formação dos sinais de envelhecimento, o colagénio tem ainda outras vantagens, nomeadamente:

  • Redução dos processos inflamatórios;
  • Prevenção o aparecimento de estrias e celulite;
  • Redução da acne e psoríase;
  • Melhoria no processo de cicatrização da pele.

Colagénio na alimentação

Sabia que através de uma alimentação saudável, pode compensar o colagénio perdido pelo organismo? Esta proteína pode ser encontrada tanto na carne, como no peixe. Para uma melhor absorção, recomenda-se a ingestão destes alimentos juntamente com o consumo de vitamina C, uma vez que esta vitamina auxilia na síntese da proteína.

Os suplementos de colagénio funcionam?

Sim. De acordo com um estudo, publicado em outubro de 2019, os suplementos de colagénio parecem funcionar na hidratação e elasticidade da pele. Desde que

nascemos, o nosso organismo sintetiza o colagénio. À medida que a idade avança, a sua produção vai reduzindo gradualmente, sobretudo a partir dos 30 anos de idade. Outros fatores também contribuem para a diminuição do colagénio no corpo, tais como o tabagismo, o consumo de álcool, as dietas restritivas e o stress.

Para repor os níveis de colagénio perdido no organismo, uma das formas de o fazer é recorrendo a suplementos alimentares, que o ajudarão a suprir esta carência desta proteína.

Quais os principais tipos de colagénio?

Sabemos que o nosso corpo precisa do colagénio para garantir uma pele mais firme e evitar doenças como a osteoartite, por exemplo. Conhecer os diversos tipos de colagénio é fundamental para escolher produtos capazes de repor a proteína que foi perdida pelo organismo.

Alguns suplementos alimentares atuam no fortalecimento das articulações, outros têm essencialmente fins estéticos, como o fortalecimento da elasticidade da pele, do cabelo e das unhas. É importante conhecer cada tipo de colagénio de forma a suplementar

Colagénio tipo I

Trata-se do tipo de colagénio mais abundante no corpo. É extraído dos ossos e cartilagens de animais, resultando na quebra de moléculas de proteínas. Tem a função de conferir firmeza à pele, fortalecer as unhas e o cabelos, além de ajudar no processo de cicatrização.

Existe uma variedade de suplementos alimentares do colagénio tipo 1 à venda em farmácias ou lojas especializadas. É aconselhada a ingestão juntamente com vitamina C, uma vez que, como referimos, esta vitamina ajuda a potenciar os efeitos do colagénio no organismo.

Colagénio tipo II

O tipo 2 ou colagénio não desnaturado, como é também conhecido, trata-se da principal proteína estrutural da cartilagem, contribuindo para manter a flexibilidade das nossas articulações. A sua suplementação é indicada para tratar doenças, tais como:

  • Lesões nas articulações;
  • Inflamações nas articulações;
  • Dor articular (artralgia);
  • Artrite.

O nosso organismo quando está inflamado produz enzimas que destroem a cartilagem. Em consequência poderão surgir doenças bastante comuns como, a artrite e a artrose. Desta forma, o uso de suplementos alimentares de colagénio tipo 2 ajuda na reposição da proteína, além de reduzir a inflamação e alguns dos sintomas destas doenças.

Colagénio tipo III

Este tipo é produzido pelas células musculares. Pode ser encontrado na pele e em vários órgãos do corpo humano, como o útero, o fígado, o baço, os vasos arteriais e o intestino.

Colagénio tipo IV

Este tipo de colagénio é produzido pelas células epiteliais, musculares e capilares sanguíneos. Tem a função de filtrar e sustentar os tecidos.

Colagénio tipo V

Trata-se de um tipo de colagénio presente na grande maioria dos tecidos dos órgãos. A sua função é conferir elasticidade e resistência aos tecidos dos órgãos.

Colagénio hidrolisado

É um derivado do colagénio. Tem esta designação devido ao processo de hidrólise, onde as moléculas de proteína são quebradas em pequenas partes. Em virtude de ter um menor peso molecular, são rapidamente absorvidas pelo organismo.

Esperamos que o presente artigo tenha sido útil. Cuide-se!

A redação do trabalhador.pt