Drenagem linfática: o que é, benefícios e contraindicações

drenagem linfática manual (DLM) é uma técnica de massagem cujo objetivo é estimular o sistema linfático e eliminar o excesso de fluidos do corpo. A sua eficácia está cientificamente comprovada, sendo muitas vezes indicada para promover tratamentos estéticos, relaxamento e bem-estar.

A técnica proporciona diversos benefícios para o corpo humano, entre eles, o aumento da oxigenação dos tecidos, a diminuição da retenção de líquidos, o aumento da absorção de nutrientes, entre outros.

Se ficou interessado e quer saber mais sobre o assunto, continue a leitura deste artigo, no qual partilhamos um conjunto de informações sobre a drenagem linfática, nomeadamente o que é, para que serve, suas vantagens e como é aplicado o procedimento.

O que é a drenagem linfática?

A drenagem linfática, como referido, é uma técnica de massagem manual que estimula o sistema linfático, uma rede complexa de vasos que movem fluidos pelo corpo. Graças à aplicação da massagem esse sistema trabalha de forma mais rápida, reduzindo assim a retenção de líquidos e ativando a circulação sanguínea, apenas para citar duas das suas inúmeras vantagens.

Conhecer as estruturas que compõem o sistema linfático, como a linfa e os gânglios linfáticos, é fundamental para entender melhor como esta técnica de massagem manual atua sobre o corpo. A saber:

  • Sistema linfático: atua como uma terceira circulação (além da arterial e da venosa). Através desta rede de vasos linfáticos circula um líquido chamado linfa.
  • Linfa: esta realiza trocas metabólicas com as células, tal qual o sangue. Depois dessa fase, é recolhida pelos vasos do sistema linfático e retorna aos gânglios.
  • Gânglios linfáticos: também conhecidos como linfonodos, os gânglios estão por todo o nosso corpo, exercendo um papel essencial para o sistema imunológico. Graças a estes o corpo reconhece e combate os germes, as infeções e muitas outras substâncias estranhas. Além disso, consegue filtrar a linfa que é recolhida dos vasos do sistema linfático.

Os gânglios linfáticos (linfonodos) podem ser sentidos, através da massagem, nas seguintes regiões do corpo:

  • Pescoço;
  • Abaixo da mandíbula e do queixo;
  • Atrás das orelhas;
  • Parte posterior da cabeça;
  • Axilas;
  • Virilhas.

Para que serve a drenagem linfática?

Algumas pessoas sofrem com a linfa que fica acumulada entre as células, efeito indesejado provocado por um atraso na produção desse líquido, bem como por dificuldades das células em absorvê-lo. Todavia, quando há estimulação por meio da drenagem linfática, o inchaço provocado por essa acumulação diminui consideravelmente, proporcionando ganhos estéticos como a melhora da aparência da celulite, por exemplo.

Além dos benefícios estéticos, a drenagem linfática manual melhora a circulação em geral, promove bem-estar e relaxamento e ajuda a combater a gordura localizada, visto que a massagem acelera o metabolismo do local estimulado.

Não obstante, é preciso ter noção de que a drenagem por si só não é capaz de promover perda substancial de peso. Esta apenas ajudará na redução de medidas em virtude da eliminação do inchaço e das toxinas do corpo. Para que tenha resultados mais efetivos, é essencial que adote hábitos saudáveis, como a prática de atividade física combinada com uma dieta equilibrada.

Como é realizada a drenagem linfática?

A massagem manual deve ser feita sobre o trajeto dos vasos linfáticos, no sentido do gânglio linfático, com movimentos leves e pressão em bracelete, manobra que visa ao aumento do fluxo linfático por meio de pressões intermitentes, isto é, pressionar e soltar sucessivas vezes. A fase da pressão deve durar em torno de apenas dois segundos.

É importante referir que os movimentos são diferentes de acordo com a região do corpo, devendo sempre culminar em algum gânglio linfático. Por exemplo, nas pernas, os movimentos devem ser ascendentes, indo da perna até a parte posterior do joelho, da coxa até a virilha. Já nos braços e tórax, os movimentos devem ser direcionados no sentido das axilas.

O rosto é outra das regiões do corpo onde pode ser aplicada a drenagem linfática, cujo movimento deve ser direcionado sempre para o pescoço, área onde os gânglios linfáticos também estão presentes. O couro cabeludo também pode receber a massagem, seja na parte superior do crânio, seja um pouco mais abaixo, em direção às têmporas.

Drenagem linfática manual ou com aparelhos?

Embora seja uma técnica habitualmente realizada de forma manual, isto é, com as mãos do massagista, a drenagem linfática também pode ser feita com o auxílio de aparelhos da endermologia que disponham de ferramentas de vácuo e rolamento, simulando assim os movimentos das mãos.

Todavia, não é tão eficiente quanto a drenagem linfática manual, visto que a sensibilidade, proporcionada pelo tato do profissional auxilia na localização das áreas mais inchadas, o que garantirá um melhor resultado.

Quantas sessões são necessárias?

Para que obtenha resultados, o tratamento deve ser contínuo, podendo realizar este processo até três vezes por semana. Contudo, caso não disponha de tempo e/ou recursos, poderá aplicar a técnica em si mesmo todos os dias. Siga as seguintes orientações:

  1. Prepare a pele: antes de realizar a auto drenagem linfática, faça uma esfoliação corporal, massageando a pele e ativando a circulação local;
  2. Tome um banho: a água morna promove a vasodilatação, o que facilitará a penetração do creme, além de ativar a circulação e relaxar o corpo;
  3. Escolha os objetos adequados: para aumentar o alcance dos toques, utilize bambu, pincel, escova especial, esponja de banho, entre outros objetos. Escolha o óleo de massagem ou creme (de preferência os que tenham princípios ativos que ajudam a melhorar a circulação), o que auxiliará no deslizamento das mãos e do objeto. Lembre-se que a massagem não precisa ser vigorosa, basta que se faça uma suave pressão;
  4. Escolha a parte do corpo para fazer a drenagem linfática: a massagem poderá ser realizada nas pernas, nos braços, na região do tronco, incluindo a barriga, e no rosto. Todas estas áreas possuem gânglios linfáticos que podem ser estimulados, diminuindo assim o excesso de líquido corporal e o inchaço;
  5. Movimentos da drenagem linfática: o movimento não precisa de ser forte, pois assim poderá agredir a sua pele, especialmente se tiver varizes. Os movimentos circulares devem ser feitos com o polegar, e com a mão em formato de concha, execute os movimentos de forma lenta e leve, de forma a simular o bombeamento da pele. Repita entre cinco a dez vezes na região desejada;
  6. Faça a drenagem à tarde ou à noite: Durante estes períodos a drenagem consegue, de forma mais eficaz, libertar as toxinas e retirar os líquidos acumulados pelo corpo ao longo do dia;
  7. Repita a massagem ao longo da semana: para um resultado satisfatório, repita os passos acima de duas a três vezes por semana. Não se esqueça de focar na pressão e na forma de movimentar as mãos, pois apenas assim a massagem proporcionará os resultados desejados.

A drenagem linfática tem contraindicações?

Tal como qualquer outro tratamento estético, também a drenagem linfática tem contraindicações, nomeadamente pessoas com infeção (pois as células infeciosas podem cair no sistema linfático e espalhar-se mais facilmente pelo corpo) e pacientes com risco vascular (insuficiência cardíaca, trombose e hipertensão descompensada).

Referir ainda que embora não seja necessária indicação médica para recorrer à drenagem linfática, é sempre aconselhável que consulte um médico dermatologista de forma a avaliar se a técnica é apropriada para si e se o poderá, de facto, ajudar.

Recomendamos que procure profissionais habilitados nesta técnica para que seja eficiente, nomeadamente, fisioterapeutas e massoterapeutas. Cuide-se!

Luana Castro Alves

Licenciada em Letras e Pedagogia, redatora e revisora, entusiasta do universo da literatura, sempre à procura das palavras. "Não se pode escrever nada com indiferença." (Simone de Beauvoir)