Trabalhar por conta própria: o que ter em conta antes de abrir um negócio

Está farto de trabalhar para outras pessoas? Pretende investir nas suas ideias e ganhar dinheiro com elas? Então, trabalhar por conta própria pode ser a resposta.

Já todos conhecemos a famosa expressão “é fácil falar, mas não é assim tão fácil colocar mãos à obra”, e neste caso em particular, digamos que essa frase não podia estar mais correta. Afinal, não estamos a falar de ir às compras e ter o azar de comprar o tamanho errado de umas calças. Estamos sim a falar de um risco significativo que tanto pode trazer benefícios deliciosos como azares catastróficos.  

Por termos noção dos desafios associados a esta decisão de trabalhar por conta própria, decidimos partilhar neste artigo algumas dicas que podem ajudar.

Antes de começar o seu próprio negócio

Como já deve saber, não deve ceder ao impulso de abrir um negócio sem considerar uma variedade de fatores antes. Entendemos o entusiasmo e a vontade que sente por querer começar este novo desafio, mas a verdade é que saltar de cabeça para uma situação tão complexa como esta seria, no mínimo, irresponsável. Assim, aqui ficam algumas dicas que deveria considerar:

1. Estudar o mercado

Conhecer bem o mercado, tal como o público alvo, deve ser a primeira coisa a ter em conta quando começar a trabalhar por conta própria. Para ajudar, tente responder às seguintes questões:

  • Quem é a sua concorrência?
  • Quais os produtos/serviços que a sua concorrência oferece e a que preço?
  • Como pode distinguir-se da concorrência?
  • Quem é o seu público-alvo?
  • Quais são os interesses do seu público-alvo?
  • Quais são os hábitos de consumo do seu público-alvo?

Reúna todas estas informações e analise cuidadosamente se possui os recursos necessários para enfrentar estas questões no mundo real.

2. Fazer um plano financeiro

É essencial realizar um plano financeiro, através do qual poderá identificar todas as despesas, custos e outros valores variados e importantes para o seu negócio. É importante utilizar este plano para realizar estimativas das quantias que está disposto a investir, e para acompanhar o dinheiro que gasta e para onde este é dirigido. Essencialmente, serve para organizar as suas finanças e para se certificar de que respeita os limites monetários que estipulou para si mesmo considerando a sua situação financeira.

3. Poupar, poupar, poupar

Claro está que antes de avançar com qualquer investimento é necessário possuir capital. Se estiver a planear trabalhar por conta própria, é muito importante que comece a poupar ou então que finalmente dê uso àquela conta poupança que sempre teve em stand by, quase como à espera do momento perfeito para ser utilizada.

Mais do que possuir dinheiro para começar o seu negócio, é importante ter também poupanças durante os primeiros meses, pois trabalhar por conta própria é sempre incerto, já que não tem um cheque com valor definido todos os meses. Além disso, tudo isto se torna mais complicado, pois é normal não gerar grandes rendimentos na fase inicial do negócio. Portanto, o melhor conselho que podemos dar é poupe, poupe, poupe!

4. Distribuir tarefas

À exceção dos freelancers, são raros os negócios que contam apenas com uma pessoa. Se o seu trabalho exigir a colaboração de mais pessoas, é importante que comece a pensar em quantos funcionários precisaria de contratar e quais as funções que lhes atribuiria. É evidente que terá também de medir custos e consultar o seu plano financeiro para analisar a viabilidade destas contratações.

5. Gerir o tempo eficientemente

Os patrões têm o mau, e por vezes inevitável, hábito de não fechar a porta de casa ao trabalho. Por outras palavras, quando você é o único responsável por gerir o seu tempo, pode ser difícil escolher as alturas mais apropriadas para realizar funções laborais, principalmente na fase inicial quando tudo é ainda incerto e exige muita atenção da sua parte.

No entanto, é importante saber desde início que terá de optar pela sua sanidade mental. Deverá organizar eficazmente o seu tempo, de modo a conseguir ter momentos de puro lazer e descontração, caso contrário irá endoidecer e rapidamente o seu negócio passará a ser um encargo chato e deprimente.

6. Estude e respeite as obrigações legais

Trabalhar por conta própria implica passar a conhecer todos os requisitos legais com os quais não teve de se preocupar até agora, pois havia sempre outra pessoa encarregue de tratar dessas partes mais aborrecidas. No entanto, quando você é o seu próprio patrão, não existe mais ninguém a quem possa recorrer para certas coisas e esta é uma delas. Cabe-lhe a si estudar e aplicar as obrigações legais associadas ao seu ramo. Em baixo, aprofundaremos melhor esta temática.

Quais os aspetos legais que deve considerar?

Conhecer bem o mercado, tal como o público alvo, deve ser a primeira coisa a ter em conta quando começar a trabalhar por conta própria. Para ajudar, tente responder às seguintes questões:

1. Abrir atividade

Antes de mais, se pretende trabalhar por conta própria, terá de abrir atividade nas Finanças, através do Portal das Financeiras ou de uma repartição. Na plataforma terá acesso a todas as informações essenciais para realizar esta ação, enquanto que numa repartição será acompanhado pessoalmente por alguém que o ajudará em cada passo.

2. Segurança social

A inscrição na Segurança Social é realizada automaticamente quando abre atividade nas Finanças. Antes de começar a preocupar-se com custos que teme não conseguir pagar no início do seu negócio, relembramos que durante o primeiro ano de atividade, o mais provável é estar isento de contribuições.

Para quem não está isento, existem 11 escalões de rendimentos para efeitos de cálculo do valor a pagar à segurança social, pelo que o valor escolhido deverá ser aquele que mais perto está dos seus rendimentos.

3. Impostos

Sim, era evidente que abordaríamos esta parte tão aborrecida de trabalhar por conta própria: o pagamento de impostos. É verdade, existem dois impostos com os quais terá sempre de se preocupar, o IVA e o IRS:

Imposto sobre o Valor Acrescentado (IVA)

Está sujeito a este pagamento perante as seguintes situações:

  • Quando possui contabilidade organizada;
  • Quando realiza operações associadas à importação, exportação ou atividades relacionadas;
  • Quando atinge volumes superiores a 10.000€ no ano anterior ao pagamento;
  • Quando efetua transmissões de bens ou prestações de serviços que podem ser encontradas no anexo E do Código do Imposto sobre o Valor Acrescentado.

Imposto sobre o Rendimento de Pessoas Singulares (IRS)

Ao trabalhar por conta própria, terá de entregar uma declaração de IRS todos os anos, que seja referente ao ano anterior.

Trabalhar por conta própria não é tarefa fácil, e também não é ideal para todas as pessoas. Quem pretende assumir uma responsabilidade de tal tamanho precisa de possuir determinadas características, entre as quais, persistência, paciência, determinação, motivação e precisa ainda de gostar do que faz. Só assim poderá esperar obter sucesso e ser feliz com o seu trabalho. Esperamos que estas dicas tenham sido úteis. Boa sorte!

A redação do trabalhador.pt