Como responder à pergunta “porque foi despedido”? numa entrevista de emprego

Ser despedido é uma situação difícil por si só. Se juntarmos a isto o facto de termos de explicar o nosso despedimento a cada entrevista de emprego, parece que nunca mais deixamos esta situação cair no esquecimento.

Em primeiro lugar, é importante perceber que os despedimentos acontecem e, que a certa altura, toda a gente já enfrentou esse cenário. Portanto, não há que criar um bicho de sete cabeças à volta do assunto, ou sentir vergonha pelo sucedido. Aliás, há quem defenda que todas as pessoas devem ser despedidas pelo menos uma vez na vida, pois só assim é possível aprender.

Encarar o assunto com normalidade!

O recrutador que o entrevista não tem necessariamente de saber que foi despedido, no entanto é expectável que lhe possa perguntar porque saiu do seu último emprego. Caso isso aconteça, encare o assunto com naturalidade! Deixamos-lhe algumas dicas sobre o que deve ou não dizer nas próximas entrevistas que tem pela frente.

1. Pratique a sua resposta

Por se tratar de um assunto frequentemente evitado por muitos, o melhor é habituar-se a abordar o tema. Deve praticar uma resposta padrão, especialmente se estiver à procura de um novo emprego, dado que o mais provável é que a pergunta acabe por surgir.

Assim, deve em primeiro lugar resolver quaisquer inquietações e limpar rancores que ainda não tenha resolvidos, para que possa pensar de forma clara e passar uma imagem calma, assertiva e confiante sobre o assunto.

2. Evite o jogo das acusações

Por muito injustiçado que se sinta, ou por muito que queira gritar aos quatro ventos que o seu patrão era uma pessoa horrível, não o faça. Estará apenas a levantar dúvidas sobre o que faria caso a empresa em causa alguma vez o despedisse. Será que iria espalhar mentiras sobre os seus antigos colegas? Será que iria falar mal da empresa a outros recrutadores? Coloque-se na pele do recrutador.

Admita os seus erros, assuma responsabilidade, e mesmo se achar que a culpa ficou completamente do outro lado, não deixe essa ideia transparecer, pois poderá também dar a entender que se acha o dono da razão.

3. Explique o que realmente aconteceu

É importante ser honesto, mas não há necessidade de partilhar em demasia. Não se pode esquecer de que o foco da entrevista é você, as suas competências, as suas experiências profissionais e tudo de bom que tem para oferecer ao novo ao seu novo empregador.

Assim, recomendamos que explique brevemente qual a grande razão por detrás do seu despedimento:

  • O que deve dizer – “O trabalho não estava a ir bem. Eu e o meu patrão tínhamos visões diferentes para a empresa e ambos achámos que era melhor eu procurar um local que melhor se adequasse aos meus objetivos. Procuro agora um trabalho que realmente me deixe progredir na carreira e que me deixe satisfeito e confortável.”;
  • Aquilo que não pode dizer – “Bem, nem sei por onde começar. Sempre houve algum desentendimento entre mim e os meus superiores. Eles não me davam as oportunidades que eu merecia (…) sempre trabalhei muito por aquela empresa e sentia que não era devidamente recompensado (…) depois, os meus colegas de trabalho também não ajudavam muito (…) já para não falar das vezes em que eu ficava até tarde a trabalhar completamente sozinho… ainda não recebi o pagamento por essas horas extra…”

4. Diga que aprendeu com a última experiência

Não há nada como pequenos percalços e desentendimentos ao longo da vida para que possamos crescer como seres humanos e profissionais. Após avaliar bem a situação e resolver as questões que ainda o incomodavam, partilhe com o recrutador o que mais aprendeu com a experiência passada. Olha agora para a sua vida pessoal e profissional de forma diferente? Mudou a maneira como aborda os seus colegas ou superiores hierárquicos? Acha que podia ter lidado melhor com determinadas situações? Se sim, de que forma?

É importante mostrar que tem as ideias claras e que possui consciência de que errou e aprendeu com os incidentes. Além de maturidade, revela ainda que consegue adaptar-se a desafios e que possui uma visão enquadrada no crescimento individual – qualidades atrativas num potencial funcionário.

5. Realce as suas competências

Após abordar a pergunta menos apelativa de qualquer entrevista de emprego, certifique-se de que recentra a atenção do recrutador para o essencial, o seu potencial como profissional. Afinal é para isso que lá está. Relembre quais as suas qualidades, a sua formação, os anos que passou em determinado cargo e o que aprendeu durante essa jornada.  

Além disso, é ainda importante mostrar que está motivado para apresentar novas soluções que levem a empresa a um outro patamar. De que forma pretende ajudar? Quais são os seus planos para melhorar os resultados da empresa? Mostre entusiasmo em assumir este novo passo na sua vida e deixe clara a sua intenção em fornecer o que esperam de si, e mais além.

Se foi despedido e não sabe bem como abordar a situação, respire fundo, clarifique as ideias e seja confiante e assertivo na sua resposta. E, claro, deixe de lado a atribuição de culpas e a má língua. O importante é mostrar que ultrapassou uma situação complicada, que aprendeu com esta e que se sente agora mais preparado do que nunca para embarcar numa nova jornada.

Pratique os pontos que pretende abordar e certifique-se de que demonstra eficazmente o que é capaz de acrescentar à empresa. Esperamos que este artigo tenha ajudado. Boa sorte!

Catarina Fonseca

Desde cedo uma curiosa nata, decidiu seguir Ciências da Comunicação para desenvolver a sua paixão pelo jornalismo e pela escrita. Agora formada, gosta de se aventurar pelo mundo, conhecer novas pessoas e culturas, e leva sempre um caderno e câmara fotográfica às costas para eternizar as suas experiências.

Adicionar comentário