Dormir com soutien: mitos e verdades

A generalidade das mulheres já ouviu falar que dormir com soutien (ou sutiã, se preferir) faz mal à saúde. Dentre os principais malefícios estariam um possível aumento das probabilidades de desenvolver cancro de mama, além da temida e indesejada flacidez nos seios, visto que o acessório carrega consigo a má fama de, supostamente, enfraquecer o tecido mamário.

Embora essas informações sejam amplamente difundidas, isso não quer dizer que sejam verdadeiras, afinal de contas, não existe sustentação científica de que dormir com soutien é prejudicial à saúde.

Facto é que existem muitos mitos quando o assunto é dormir com soutien: o pior boato sobre esta peça do vestuário feminino veio à tona em 1995, com a publicação do livro Dressed To Kill: The Link between Breast Cancer and Bras (Vestida para Matar: A Ligação entre Cancro de Mama e sutiãs).

Na obra, os autores afirmam categoricamente que o uso diário de soutiens apertados aumentava o risco do cancro de mama por restringir o funcionamento do sistema linfático, retendo toxinas dentro do corpo. Não obstante, tal ligação nunca contou com o amparo da ciência, tendo sido inclusive refutada por especialistas da área. Um estudo recente de controlo de casos publicado na revista de medicina Cancer Epidemiology, Biomarkers & Prevention não encontrou nenhuma relação entre o risco do cancro de mama e o uso do soutien em mulheres, especialmente durante a menopausa.

Ou seja, já sabemos que dormir com soutien não faz mal…, mas será que faz bem? O que dizem os especialistas sobre esta questão? Ficou curioso? Então confira esta e outras respostas neste artigo que preparamos para si. Acompanhe!

Dormir com soutien: perguntas frequentes e respostas

Há muita discórdia em torno deste assunto. Enquanto algumas mulheres simplesmente detestam a ideia, alegando ser o acessório extremamente desconfortável, outras afirmam que o soutien é um ótimo apoio, sobretudo quando os seios são maiores e necessitam de sustentação – o que evitaria, inclusive, dores na coluna. Há ainda quem acredite que dormir com soutien pode evitar a flacidez e manter os seios empinados, o que driblaria até mesmo a inevitável lei da gravidade…

Numa entrevista recente, Amber Guth, M.D., professora adjunta de cirurgia e diretora do Curso Multidisciplinar de Cirurgia de Cancro de Mama do hospital Langone Medical Center da New York University fez alguns esclarecimentos importantes acerca da “polémica dos sutiãs”. A saber:

1. Não aumenta as probabilidades de cancro de mama

Como referido, dizer que “dormir com soutien aumenta as chances de cancro de mama” é uma informação que carece de comprovação científica, pois até hoje não há quaisquer indícios que relacionem o cancro de mama ao uso noturno do soutien.

O que se pode afirmar, no entanto, é que o cancro se desenvolve por causa de mutações e alterações do ADN das células, e não por conta da acumulação de toxinas no corpo – o que supostamente seria provocado por uma dificuldade de funcionamento do sistema linfático associado à pressão da peça no corpo da mulher. Portanto, se deseja aderir ao uso da peça durante o sono, já pode o fazer sem preocupações.

2. Dormir com soutien não evita a flacidez

Mais uma vez esta é uma afirmação que não possui qualquer suporte científico. A flacidez é uma condição provocada por diversos fatores, entre eles a idade, gravidez, amamentação, gravidade e histórico genético. Então, dormir com soutien não tem, infelizmente, o poder de evitar que o tónus muscular sofra com o envelhecimento natural da pele.

3. Dormir com soutien não prejudica a circulação

Novamente vem à tona o boato de que o uso do soutien durante o sono prejudicaria a circulação e afetaria o sistema linfático. Como dito anteriormente, não há qualquer relação entre uso do soutien e sistema linfático, todavia, é claro que ao fazer uso de uma peça apertada corre o risco de prejudicar a circulação sanguínea independentemente do momento do dia.

Qual o melhor soutien para dormir?

Esta é uma pergunta comum entre as mulheres que não prescindem do uso do soutien durante o sono. Estas geralmente alegam que o acessório traz mais conforto, dando a sustentação necessária para os seios e proporcionando uma noite de sono mais tranquila e livre de incómodos (tais como dores na lombar ou coluna). No entanto, é fundamental que o soutien esteja adequado ao seu tipo de corpo e, principalmente, ao tamanho dos seios.

Confira algumas dicas que lhe vão ajudar na hora de comprar a peça:

  • Evite soutiens muito estruturados, com ferros que elevem as mamas: este artifício pode causar um enorme desconforto e ser até mesmo perigoso, pois é comum que o ferro rasgue a camada de tecido e atinja a pele – o que certamente ocasionará feridas provocadas pelo atrito do material com o seu corpo;
  • Evite soutiens com camadas grossas de enchimento: se é adepta de modelos de soutien que dão a ilusão de que os seus seios são maiores, então recomenda-se que restrinja o uso do acessório para situações diurnas (durante o sono o que menos se quer é se sentir incomodado, não é mesmo?);
  • Se vai dormir com soutien, então dê preferência aos sutiãs cuja costura é fina e não marca a pele, cuidado que evitará que se sinta apertada pelo uso do acessório;
  • Prefira modelos fabricados com tecidos delicados e inteligentes, que permitam a livre transpiração. Existem várias opções no mercado para quem deseja dormir com soutien, mas não quer sentir que está, de facto, usando um;
  • Utilize modelos com boa sustentação: algumas mulheres precisam do soutien para a sustentação dos seios – o que é benéfico para a saúde, de acordo com especialistas. Neste caso, encontre aquele que melhor se adapta às suas formas e durma bem!

Se prefere dormir com soutien então o melhor a fazer é escolher um que seja mais macio, sem o famoso “ferrinho”. Lembre-se também de privilegiar os modelos que não apertem, afinal de contas, a intenção é descansar, e não passar a noite toda a sentir-se desconfortável por causa da peça. Cuide-se!

Luana Castro Alves

Licenciada em Letras e Pedagogia, redatora e revisora, entusiasta do universo da literatura, sempre à procura das palavras. "Não se pode escrever nada com indiferença." (Simone de Beauvoir)